Páginas

sábado, 31 de dezembro de 2011

Feliz 2012.

Todos sabemos que o próximo ano, que chega daqui a umas breves horas, não será fácil em termos económicos e sociais. Portugal continua (infelizmente) a ser um país governado por irresponsáveis e ignóbeis; muito por culpa de todos nós, Povo; que continua a deter a soberania no momento do voto (esse momento que se reveste de extrema importância, tão transcendental) típico das ditas Democracias! Portugal, continuará a ser o País dos estádios de futebol imponentes e carros de luxo comprados a crédito; País que nem Ministério da Cultura tem (ridículo) e tão pouco, dinheiro para mandar cantar um cego, perdoem-me a expressão populista. 2012 será o ano, em que o sentido de voto se vai mais sentir na pele com o mesmo Povo a pagar a factura gigantesca de um País sem "Rei nem Roque", sem que haja uma política concertada que aposte no futuro e se quebre de vez com os lobbies instalados e se combata ferozmente a corrupção! Um País que eleja para os seus mais altos lugares de magistratura, gente inteligente e qualificada com visão de futuro e que aposte numa política de controlo de contas e dinheiros  e, que nos retire da esfera dos Países irresponsáveis que não sabem controlar os seus gastos, ainda por cima, gastos, que não provam qualquer utilidade! Gente que se vire para o País e que retire extraordinários dividendos daquilo que Portugal tem para oferecer, e, tem tanto! Gente que sobejamente saiba retirar este pedaço de terra Lusitana, da dependência do exterior! Com as contas controladas e não dependendo de ninguém, sairemos triunfantes e orgulhosos! Caso contrário, andaremos em estúpida parceria, década atrás de década, com o FMI, hipotecando o futuro das gerações vindouras!

2012 não será fácil, antes pelo contrário, será um "Cabo das Tormentas", mas, desengane-se quem pensa o contrário, não será somente 2012, serão com certeza também, todos os anos que se sigam, 2013, 2014, 2015 e por aí em diante.

Não sou fundamentalista ao ponto de não celebrar esta passagem de ano (mesmo achando que não há motivos para isso) e certamente a celebrarei, acompanhado de quem amo, os meus familiares, assim como esta e as outras que se seguirão, contando, que esteja vivo!
Para mim, 2011, foi um ano bom. Foi o ano em que me revelei à comunidade que me recebeu como seu habitante (Lanheses), com a criação do blogue, foi um ano de lutas e muito trabalho, agraciadas com sucessos e fracassos, o que é perfeitamente normal da condição humana (temos de saber perder e vencer); foi um ano em que fomentei extraordinárias amizades com algumas pessoas que me eram completamente distantes e insípidas e, condição mais importante, foi um ano em que não sendo rico (antes pelo contrário) continuo aquele TESO do costume (mas feliz); tive a maior de todas as riquezas...SAÚDE...por isto tudo, considero 2011 um ano bom e de sucesso, a nível pessoal!

As próximas palavras vão para todos vós que me acompanham diáriamente, nesta aventura que é a vida e lêem estas linhas, escritas com profundo sentimento, que passam pelas mesmas dificuldades e lutas diárias, tal como eu, mas que principalmente, fazem pela vida, trabalham, muitas vezes com sangue, suor e lágrimas!

Os meus votos e desejos para vós, novos e velhos pobres e ricos, é que tenham um Feliz Ano de 2012, regado com muito sucesso pessoal, muita felicidade e com o tal bem que considero mais precioso; muita e muita SAÚDE...com esta do nosso lado, sei que somos todos capazes de enfrentar as maiores adversidades e as maiores lutas! Eu, tendo saúde, considero-me um Homem rico e nem preciso de ter um grande "BM" estacionado à porta de casa...antes pelo contrário, uma "velha" autocaravana faz a minha felicidade, contando que possa continuar a admirar a Natureza, as árvores e os pássaros a voar!

2012 a mostrar-se já, autoritário! (risos)



 
VOTOS DE UM EXCELENTE 2012!

Sérgio Moreira



De regresso a casa...

Partir, antes de mais, significa deixar tudo para trás; tudo aquilo que nos é querido e seguir sedutoramente em direcção ao desconhecido. Mas, na minha óptica, partir serve fundamentalmente para valorizarmos o chegar, o regressar a casa e ao que é nosso, que na sua falta, sentimos e damos valor; é a tal palavra, saudade!

E é precisamente isto que sinto sempre que após uma viagem e já ao volante do meu automóvel, quando "dobro" a curva da A28 e inicio a descida em direcção à ponte da autoestrada de Viana sobre o Lima e emocionado até (desculpem lá, mas sou assim) vejo ao longe a Sr.ª do Minho e sei que lá em baixo está a minha terra, pequenina, embora grande para mim, Lanheses!

Havia muito que dizer sobre o sitio que escolhi para uma escapadela antes do final de ano, Praga, capital da República Checa, mas não o farei, pois além do mais estaria a deturpar o motivo pelo qual decidi criar este blogue; no entanto não posso deixar escapar um lamento, por sentir que me fará falta o colorido daquela maravilhosa cidade inserida na Boémia Central, que tanto me cativou; dos seus inúmeros Museus, dos concertos de música aqui e ali, das gentes pelas ruelas medievais em grande gozo e divertimento, das tasquinhas ao ar livre, do vinho fervido, do chocolate quente, dos seus milhentos monumentos e sobretudo; do seu inigualável romantismo! Quem sabe de novo, um dia, não partirei em demanda de mais sensações nesta mítica capital Europeia. Para, claro, depois voltar novamente!

Viajar, significa partir e regressar! Sem o regresso o viajante não existe e é o regresso que fomenta a demanda por uma nova partida...


 
Este mês não tinha ainda publicado a sugestão de leitura que normalmente costumo fazer mensalmente e, (não o posso ignorar, tenho andado na senda dos autores nacionais, que considero dos melhores a nível mundial); influenciado por uma cidade que me deixou [por ela] enamorado, não vou sugerir obras, antes sugiro a pesquisa de obras de autores e são dois, Checos, claro; um deles desaparecido há muito do mundo dos vivos, outro ainda nosso contemporâneo, falo de FRANZ KAFKA (expoente máximo da literatura Checa) e MILAN KUNDERA, cujo, um dos seus livros foi adaptado ao cinema - A insustentável leveza do ser.  

Perdoem-me a parcialidade nestas sugestões, mas ainda me sinto muito conquistado pela Capital e Culturas Checas!

No entanto, deixo uma ressalva, este cantinho maravilhoso chamado Portugal é dono de um bem dos mais preciosos que se podem ter neste Mundo, o clima, e, que saudável é sair a porta do aeroporto e sentirmos um calorzinho invernal no seus 16º, contra os 2º negativos que experimentei em Praga e pior ainda com a neve a cair-me na cabeça, em Munique...Portugal, será sempre Portugal!

Apesar de tudo! Que bom que é estar de volta!



quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

A tal surpresa...

Afinal a tecnologia funciona e bem, aqui para os lados do norte da Europa e a tal surpresa de que falo no último post pode-se então preparar, online, visto que a tecnologia, essa, quando bem utilizada continua a ser um aliado muito forte no dia-a-dia de qualquer cidadão do Mundo Global!

Encapotado até às orelhas e aguentando um frio de rachar, com saudades do rio, da veiga, de Lanheses (de casa a quem deixei entregue a familiares) e das temperaturas amenas de Portugal, posto uma fotografia de Praga, capital da República Checa, onde estou estes dias a passar umas férias de fim de ano. E meus caros amigos, posso afirmar, que o frio corta mesmo! De noite estão uns magníficos 2 graus negativos e quando sopra uma brisa, não há pêlo que não se erice. De qualquer modo, uma cidade linda (arquitectura surpreendente), fabulosa e rica em cultura, composta por um povo muito acolhedor e afável. Uma surpresa deveras agradável! Não percebo é patavina desta linguagem que eles usam...o checo...uiiii!

Ao fundo, Castelo de Praga e Ponte D. Carlos sobre o rio Vltava.

Deixo um abraço amigo, a 2500 quilómetros de distância,  a todos os que acompanham o blogue, na esperança de que tudo por Lanheses vá estando na mesma e bem e, de em breve estar aí de novo para brindar a um 2012 que se aproxima a passos rápidos!

Entretanto vou desfrutando do fabuloso Norte Europeu!

Aquele Abraço de sempre!

Sérgio Moreira.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Tempo para uma paragem...

Já lá vão uns meses, desde que resolvi iniciar esta aventura online, tentando sempre com isenção, retratar a aldeia que me acolheu como seu habitante, tanto na componente ambiental, como na paisagistica e natural. Agora, passado todos estes meses, assim como o Natal, o SSVSA, descansará uns dias para voltar de novo ao serviço da magnífica aldeia de Lanheses e das suas gentes. Uma pequena pausa para recarregar baterias, matar um pouco a sede de conhecimento e também, para preparar um novo ano que já espreita ao longe no horizonte!


Serão uns breves dias de pausa, mas, ainda antes do final deste ano, voltará ao convívio de todos os que o acompanham. Quem sabe uma surpresa poderá ser feita...aí quem mandará, para que esta ocorra,  será a tecnologia!

Até breve!


sábado, 24 de dezembro de 2011

THE STARS ARE VEILED, SOMETHING STIRS IN THE EAST...

O título está em inglês é certo, poderá ser incompreensível para alguns, entendo; à frente o traduzirei, mas é o que sinto nesta época. Olhando o céu nocturno Lanhesense eu e o meu cigarro, mais os peludos a meus pés, vejo as estrelas brilhando no céu ofuscadas por uma névoa muito ténue, daí o título.

Penso nos meus familiares que partiram este ano, duas grandes dolorosas perdas; penso nos milhares de animais que são maltratados, negligenciados, abandonados e que na noite de natal vaguearão pelas estradas com olhar triste, cabisbaixo, sem terem um dono que os acarinhe e lhes dê nem que seja um naco de pão; penso nos milhões de crianças por esse mundo fora, que nunca saberão o que é ser criança, as que ainda morrem de fome e de diarreia, nos desalojados e sem abrigo, penso na miséria e infortúnio que ainda governam este planeta (como se esbanja dinheiro actualmente) e irritado comigo próprio, dou por mim a pensar porque raio penso sempre em desgraças e tristezas numa época que se quer feliz! Se calhar por tudo ter e não dar valor à miséria! E como eu, somos milhões por este mundo fora nesta quadra a esbanjar, quando muitos outros biliões não têm sequer que comer! Nem um tecto onde se abrigarem...

Perdido em divagações e enervado por saber que não existem a nível mundial, motivos para celebrar o Natal, quadra que detesto, não posso no entanto esquecer os que me são queridos e íntimos (seria um egoísmo imperdoável da minha parte), aos que acompanham esta minha aventura no mundo virtual através do SSVSA e para esses; os que gostam de mim, os meus amigos (verdadeiros), todos os que me são queridos e que comigo mantêm uma relação de pura amizade, desprovida de interesses ocultos; e que apreciam sobejamente esta quadra,  lhes deixo aqui no blogue, sinceros VOTOS de FELIZ NATAL!

A estupidez humana é de tamanho tão descomunal, que hoje em dia se dá mais importância a um velho gordo de barbas brancas, criado por uma marca de refrigerantes somente com intuito comercial, do que a importância devida àquele que perpretou a ocorrência desta festividade com o seu nascimento há dois mil e onze anos, Cristo. Como tal, aqui no blogue teria de me despedir neste post, com uma imagem de Lanheses e da "Casa" Daquele por quem em honra se celebra o Natal, quer se acredite, ou não! Dá-me a estranha sensação, nestes tempos modernos e quando se fala numa suposta crise na Igreja Católica [teríamos aqui conversa para muitas horas], justificando o que a seguir vou afirmar, de que muitos se esqueceram de que o Natal se celebra no mundo Cristão, precisamente, porque Jesus nasceu e não por causa do Pai Natal!

 
A beleza da Igreja Paroquial, engalanada em honra do nascimento de Cristo!



As estrelas estão cobertas por um véu, algo se agita vindo de Este!  (título do post)


FELIZ NATAL!




sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Mais um cantinho especial!

Mais um cantinho especial desta nossa freguesia, onde uma pessoa, sentada sobre a Ponte de Linhares pode apreciar a beleza singular da Natureza e ver; Gaios, Milhanos, Gralhas, Pêgas e demais pequena passarada nas lidas do seu quotidiano!

Especial destaque para o Castanheiro, agora, desprovido de folhagem dado que estamos no Inverno, sobranceiro na paisagem retratada!

Um cantinho bem especial! Onde reina o silêncio, o verde aliado às águas do "Olho" e onde a Natureza ainda é rainha! Mesmo que muito próximo do casario Lanhesense...




Muitos séculos tem a calçada da velha Ponte.

Fenomenal Castanheiro.

Engraçada contradição o quilo da Castanha estar a um preço quase proibitivo(!) e as deste fantástico exemplar que visito muitas vezes, para no local, fumar um cigarrito calmamente, estarem a apodrecer no chão! Vão servindo de alimento às aves que por ali abundam!

Curiosidades da natureza humana!


quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Sentado à beira do Lima!

Miro as águas em movimento
deste rio, que é o Lima
acometido em pensamento
que com o Rio e o Sol, rima.


Uma lágrima os olhos vertem
depois, um sorriso de criança
ao ver estas águas que correm
inundadas em lembrança.


O rio parece mais belo
nesta época que é o Inverno
o branco sobrepôs o amarelo
que gela, o sentimento interno.

Mas, sentado à beira do Lima,
logo vem um afoguear
o Lethes que com a alma rima
em mim, calor vem depositar.

Estas águas a correr
em direcção à sua Foz
calmas, serenas e a esquecer,
as dores, quando estamos sós!



Sentado mirando este rio
o repito muitas vezes
 sozinho pensando, a fio
que doçura tens, Lanheses!


do autor Sérgio Moreira

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

INVERNO!

Eis-nos chegados ao Inverno! Poderia sentir-me triste, por entrarmos na estação do ano em que as árvores adormecem despidas de folhas (as de folha caduca), as temperaturas descem considerávelmente e nos bafeja o frio, que enregelece o rosto, as mãos e até a alma; mas ao mesmo tempo, sinto um misto de felicidade porque hoje, dia 21 de Dezembro, ocorre o Solstício de Inverno. Ou seja, no seu movimento à volta do Sol (rotação), o planeta Terra atingiu um ponto de viragem e aliado ao movimento de translação (rodando sobre si própria), no hemisfério norte, os dias começam a aumentar em duração e as noites a diminuir! No hemisfério sul ocorre precisamente o contrário! Hoje no hemisfério norte, iremos viver o dia mais curto do ano (em duração) e a noite mais longa! Por outra palavras, de hoje em diante os dias serão sempre maiores (sempre a crescer em duração) até 21 de Junho! Em Janeiro já poderemos entender fisicamente este fenómeno natural, ao percebermos que a noite já "cai" muito mais tarde e não às 17 horas e poucos minutos, como vem sendo típico nestes últimos dias que vivemos!

Três meses nos distanciam do Equinócio de Março, onde entrará a Primavera e com ela as temperaturas mais amenas, próprias do clima temperado, assim como o desabrochar da Natureza!

Até lá, aproveitemos o que de bom o Inverno tem para oferecer, pois, não se caracteriza por negativismo total, tendo muitos e bons aspectos em que o podemos aproveitar! Um deles, por exemplo, é estar mais por casa convivendo com a família! Há quem aproveite e faça férias de Inverno, na neve e outros, como eu, gostem de apreciar os tons desta estação, onde os amarelos, ocres e cinzentos do Outono, dão lugar ao branco das manhãs geladas e dos campos e serras cobertos de geada!

10-01-2010, Inverno e a Serra D´Arga coberta de neve no último nevão aqui registado!

Engraçado que, para a entrada da estação mais fria, o dia até esteja quente e bonito, com um Sol maravilhoso a brilhar no céu!

Coincidências da Natureza! Bom Inverno!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Aos lojistas da Feira.

Aos lojistas da Feira, Largo Capitão Gaspar de Castro, o meu muito obrigado (especialmente a dois deles) por me terem proporcionado  um momento único! Sentado na esplanada da Pastelaria Arezes, enquanto degustava um pequeno "aperitivo" apanhando um Solinho maravilhoso, que me aquecia até a alma, fiquei comovido a absorver a beleza do nosso Largo principal ao som do fenomenal e genial, Carlos Paredes e do tema "Verdes Anos"! Não esquecendo também, Fausto...

Foi um momento único e prova mais que provada, assim como inteligente, que para celebrarmos esta quadra que vivemos não é necessário música lamechosa; necessário é que, música com qualidade seja tocada e que nos alegre o espírito!

A Feira por momentos tornou-se um local ainda mais belo!


A todos muito obrigado pelo belo momento que me fizeram viver, em especial a dois que tenho muito em conta. Eles sabem quem são, falta ouvir Demis Roussos (risos) e a eles dedico (sem focar nomes) este post, assim como o vídeo abaixo postado!  Agradecido, lhes endereço o meu abraço!



Tocou-me profundamente a beleza de Lanheses, aliada ao som de um dos grandes mestres imortais do Portugal contemporâneo...Carlos Paredes!

Obrigado!


segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Uma Segunda-feira ensolarada.

Aproveitando o dia solarengo, muito atípico da estação que vivemos, nada como dar um passeio pela aldeia e depois subir ao tecto do "meu pequenino mundo", a Sr.ª do Minho para aproveitar pela última vez este ano; despedir-me desta Serra maravilhosa e fotografar Lanheses, pequenina também, lá ao fundo entre a serra e o rio, inserida numa paisagem de cortar a respiração!

Ficam as fotografias!

O voo do Milhano.




Daqui a pouco estaria lá em cima.


Cá está a nossa Lanheses, pequenina junto ao rio.



É tempo de descer e voltar à vida real...

Como todos saberão, ou quase todos, lá em cima a vista é de cortar a respiração e então num dia como o de hoje, pleno de Sol e pouca neblina, os olhos alcançam distâncias fabulosas perscrutando as paisagens!

Lá em cima, olhando para baixo, na solidão da serra e bafejados pelo silêncio da Natureza sentimo-nos como que...Reis do Mundo!

Almoço de Natal da AHCL.

De louvar que numa pequena freguesia do norte do país, como o é Lanheses, um grupo de jovens, continue a lutar e a empreender, para que ocorram grandes iniciativas, como a que hoje decorreu em ambiente festivo e extremamente bem disposto!

 Sob as paredes ainda bastante desnudadas, do novo edifício da obra do Centro Social de Riba Lima que aos poucos está ganhando forma junto à Igreja Paroquial decorreu curiosamente (ideia original e ainda bem) mais um jantar de Natal promovido pela Associação Humanitária e Cultural de Lanheses, desta feita, tendo em vista a angariação de mais alguns fundos para que a citada obra continue a bom ritmo.

Obrigando a um grande esforço por parte de todos os membros da Associação, de há muitos dias a esta parte em termos logísticos e de preparação do evento, e, de um fim-de-semana todo ele dedicado ao mesmo, o almoço resultou num êxito rotundo, tendo no final, os cercas de quase 200 convivas elogiado a organização e tudo o que de muito bom e bem confeccionado, foi servido! Com ementa a respeitar a quadra que atravessamos!

De salientar uma vez mais, que toda a verba auferida (como acima citado) reverteu a favor da citada empreitada! Ficam aqui registados os meus mais sinceros PARABÉNS por mais um grandioso evento realizado com extremo sucesso, aos jovens elementos, que compõe a Associação Humanitária e Cultural de Lanheses!

Esperemos que como estes, muitos outros jovens lanhesenses, se interessem por continuar a lutar pela sua freguesia e pelas duras conquistas e batalhas que se terão de travar num futuro muito próximo; para que Lanheses, seja e continue a ser, merecedora do centralismo que tem vindo a desfrutar ao projectar-se como importante eixo de toda uma comunidade de cerca de 15000 pessoas no Vale da Serra D´Arga!

Ficam as fotografias do: antes dos convivas, do durante e do depois!

Últimos preparativos!

Mesa pronta!

Estranha, mas, ao mesmo tempo brilhante a ideia de se almoçar por baixo de paredes por rebocar!


A boa disposição dos elementos da Associação durante o evento, foi uma constante!

Mesmo no final, enquanto se procediam às arrumações, não faltou animação!

Hora de lavar as loiças...

E de tudo desmontar!


A fasquia, este ano foi colocada bem alto, mas, com jovens dinâmicos e empreendedores como estes, certamente novo e excelente evento será, certamente, realizado, para o próximo ano!

Uma Associação digna do nome que ostenta, Humanitária e Cultural de Lanheses! Algures, onde se encontra o seu fundador; estará por certo, orgulhoso e sentido com todo este dinâmico e muito jovem grupo de Homens e Mulheres!

Até para o próximo ano!


sábado, 17 de dezembro de 2011

Driving home for Christmas.

"Driving home for Christmas" - Chris Rea.



Que bem que sabe passear pelas ruelas das nossas aldeias, vilas e cidades, ouvindo este tema de Chris Rea, alusivo ao Natal! Aqui fica no blogue para o fim-de-semana, quando estamos a sete dias da noite sagrada!


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

14 de Dezembro de 2011.

Hoje dia 14 de Dezembro de 2011, será para muitos um normalíssimo dia, como outro qualquer; para outros se calhar, dia de aniversário ou data efemérica, mas, aqui no blogue e para mim, vejo-me na obrigação de relatar um dos feitos mais extraordinários, alcançados pelo homem. A par da Epopeia dos Descobrimentos Portuguesa e da chegada à Lua pelos Americanos; há precisamente 100 anos o homem moderno conhecia definitivamente todos os "cantos" do planeta que habita.

A 14 de Dezembro de 1911, Roald Amundsen, um visionário Norueguês e explorador, chegava ao Pólo Sul! No ponto mais meridional e inóspito do nosso planeta Amundsen, nesta data, içava a bandeira Norueguesa estando assim conquistada a batalha pela chegada em primeiro lugar ao Pólo Sul! O Inglês Robert Falcon Scott estava atrasado em relação a Amundsen, perdendo assim a batalha pelo mítico Pólo, com a infelicidade extrema de ter com isso perdido a vida e as dos seus tripulantes associados a ele nesta aventura. 

Liderando uma expedição a bordo do mítico navio FRAM (uma escuna de três mastros), Amundsen partiu da Escandinávia com direcção à Antárctida, fazendo uma paragem na Ilha da Madeira (fenómeno que ficou célebre e ainda hoje celebrado entre nós) logo após saber que o Pólo Norte já tinha sido alcançado por Americanos e Ingleses. Nomeadamente, por Frederick Cook. Invernaram na plataforma de gelo Ross, mais conhecido como Baía das Baleias, onde juntaram provisões num acampamento de campanha. A 20 de Outubro atacaram o caminho com trenós puxados por cães, em direcção ao Pólo e a 14 de Dezembro e mais de 1400kms depois, entre neve e frio, alcançaram o mítico ponto cardeal! Numa tarde de Sol e pouco ventosa!

Roald Amundsen.

Amundsen e os três dos seus homens, no Pólo Sul, quando hastearam a bandeira Norueguesa. O Pólo estava conquistado.

O mítico FRAM, escuna de três mastros.


UM FEITO NOTÁVEL se pensarmos na bravura que terá de ter sido posta a toda a prova, ao caminhar, há cem anos atrás, sem os meios de que hoje dispomos, no local mais inóspito do planeta Terra, em demanda de conhecimento e conquista!

Hoje em dia, existe uma convenção internacional ratificada por vários países (Tratado da Antárctida), que passados anos deste feito, tentaram conquistar a mesma (a sobeja ganancia humana a funcionar) e que proíbe todo e qualquer País de ocupar este território, com a excepção de que única e simplesmente se montem estações para estudo e monitorização de espécies, estudos climatológicos e relacionados com a ciência, no Pólo Sul. A mais famosa delas, claro está, tem por nome Estação Pólo Sul Amundsen-Scott, em homenagem à bravura e batalha que estes dois épicos homens encetaram na conquista do ponto mais a Sul da Terra!

Um feito a recordar para sempre! Por curiosidade o mítico FRAM, encontra-se exposto num museu em Oslo, capital da Noruega, dedicado ao homem que deixou como herança, após ter desaparecido no Árctico sem deixar rasto, o conhecimento e estudo dos dois Pólos do nosso planeta.

Roald Amundsen! Que há cem anos chegava ao Pólo Sul!

Daí em diante  o planeta Terra "não teria mais segredos" (ainda tem tantos por revelar) para a espécie Humana! Para quem queira ver este "mundo de gelo" deixo o link onde, através de webcams, se pode ver este, que é o ponto mais meridional do nosso planeta.

http://www.camscape.com/Antarctica/Antarctic-Webcam-18.php



A quem possa interessar no site http://www.earthcam.com/, existem outras webcams com imagens online e fabulosas do fascinante mundo do gelo e dos pinguins! Muito bom! Basta para isso, escrever a palavra "antarctica" e outras mais aparecerão.

O facto de as podermos visualizar a Amundsen, hoje, o devemos!

"Chuva de Estrelas"

Está em curso uma das chuvas de estrelas mais potentes do ano. Para quem se interessa por estes fenómenos e gosta de olhar a abóbada celeste no período nocturno, aqui está uma boa oportunidade, caso as nuvens não impeçam a visualização deste fenómeno, de ver algumas das milhares de "Gemínidas", que atravessarão o céu a velocidades estonteantes.

De hoje até sexta-feira, teremos oportunidade de assistir a este fenómeno, por isso, nada como de noite, dirigirmo-nos até ao rio [uma sugestão] e na escuridão (se as condições climatéricas o permitirem) apreciar este espectáculo fabuloso!

Deixo o link para lerem a notícia.



Vou tentar acompanhar o fenómeno, sempre espectacular!






terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Brincando com o verbo-Sentir!

Se sentisses como eu sinto
sentindo, sentirias
como aquilo o que eu sinto
sentindo aquilo, que sentias!

Se sentisses sentimento
sentimento que é sentido,
sentindo, sentias sentimento,
sentimento não sentido!

Se sentires um sentimento
sinto, que algo sentes
sentindo que o sentimento
é aquilo que tu sentes!

Assim posso brincar, com o verbo sentir
Sentindo aquilo que sentes e o mais que irás sentir!

(risos)



do autor Sérgio Moreira

Mais um dia como outro qualquer...

Mais um dia que passa nas nossas vidas, mais um dia, como outro qualquer em Lanheses; chuvoso, frio e com um ventinho bem fresco a refrescar-nos o rosto. O Outono está a despedir-se de Lanheses, para em breve vir a ser substituído pelo Inverno. Já se sente!

Hoje ao sair de casa, não me apeteceu de todo levar a Fuji comigo, apeteceu-me antes sair e apreciar a beleza por vezes taciturna dos rostos Lanhesenses, ocupados no seu quotidiano, fugindo ao vento e à chuva. Pude ver que a rotunda da Nacional 202, com ligação à Ponte  e à EN305, está em obras, portanto, exige-se cuidado a quem por ali circule; pude ver os funcionários camarários ocupados na limpeza (sempre útil) das áreas afectas ao Parque Verde, o comércio na Feira de portas abertas aproveitando a quadra que estamos a viver e pude constatar, através do olfacto, que um cheiro bastante esquisito, paira sobre a nossa aldeia. Infelizes odores sempre acoplados ao facto de vivermos dias de baixas pressões! Presumo que venha dos lados da zona industrial, e, sem querer levantar falsas questões, não posso ignorar que na citada se encontra em funcionamento, uma fabrica de queima e incineração de resíduos e alumínios!

Alguém tem feito medições dos níveis de qualidade e poluição do ar?

É que hoje, com tempo baixo e mau, um pouco por toda a aldeia de Lanheses (pelo menos por onde passei), o cheiro era realmente forte! Este cheiro caracteristico a metal queimado e derretido, sente-se muitíssimas vezes como eu já o senti e com mais incidência junto ao "Olho", precisamente onde se situa a "pontelha" sobre o referido regato.

É uma pena , uma aldeia como Lanheses, tão verde e que se preocupa bastante com a qualidade ambiental, esteja a ser fustigada por odores pestilentos, que a todos vem e muito, prejudicar!

Ainda bem, que não levei a Fuji, assim não fotografei aquilo que realmente não queria fotografar!




segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Iluminação Natalícia no Largo da Feira.

A iluminação Natalícia no Largo da Feira.

As Tílias e os Plátanos, do Largo da Feira
rompendo a noite, em formas estranhas
aumentam o colorido com luz certeira
aniquilando vorazmente, as formas castanhas!

E este largo, da nossa aldeia,
que ao longo de todo, um ano inteiro
vê passar, o dia, a noite, a Lua cheia
se agiganta em luz, num amarelo verdadeiro!

De noite vela, a Família Sagrada.
Prostrada em relva, junto aos canteiros
que em plena Feira, a todos agrada
e que os olhos apreciam, prazenteiros!

Adorávelmente, vejo eu, sem pudor e sem malícia
uma Feira a amarelo iluminada, em plena quadra Natalícia!
do autor Sérgio Moreira

 









No Feriado, de dia 8, passeei-me por Viana aproveitando para fotografar as iluminações alusivas à quadra que vivemos; seria agora uma tremenda injustiça para com esta aldeia que amo, não focar a beleza do postal ilustrado [cartão de visita] de Lanheses, que é o Largo da Feira, iluminado de noite, com as luzinhas típicas da iluminação Natalícia. E que lindo que está o Largo Capitão Gaspar de Castro!

Cá está e lhe presto vassalagem aqui no blogue, tal a beleza de apreciarmos o Largo, bordado a tons de amarelo, a contrastar com o negro da noite e o brilhante das paredes húmidas, que estão, das chuvas que se têm feito sentir!

Bela imagem de uma aldeia simples, onde de noite o silêncio é rei estendendo o seu manto, acompanhado pelo brilho da luz das centenas de lâmpadas que nos alertam para a quadra que estamos a viver!

Sabe bem, viver em Lanheses!

domingo, 11 de dezembro de 2011

A magia outonal do Bosque de Linhares.

Manhã de Domingo fria, húmida e acinzentada, com o céu a apresentar uma estranha miscelânea entre o cinzentismo das nuvens e os raios de Sol que estas deixam transparecer, por momentos; ao som das badaladas do sino da Torre Sineira, da Igreja Paroquial, chamando os crentes para a Eucaristia Dominical, percorro a Veiga em direcção ao Bosque de Linhares, acompanhado dos peludos, focinhos colados ao chão na demanda de odores que lhes agucem a curiosidade, sinto o doce cheiro a erva molhada pelo orvalho matinal e das fortes chuvas que se fizeram sentir ontem durante praticamente todo o dia.

Ao chegar a Linhares, detenho-me sempre longos minutos, imiscuído com a valsa da natureza, entre o verde dos arvoredos, o castanho das madeiras e troncos arbóreos, ouvindo a passarada a cantarolar! Quem chega a este local e não se aperceba que está relativamente próximo do casario Lanhesense, mais acreditará que está no interior de um denso bosque ancestral! Composto por espécies tão nossas, como os Carvalhos, Amieiros, um decrépito Freixo (com aspecto fantasmagórico), o Posto de Observação Ambiental, o granito da ponte de Linhares (importante vestígio histórico da história desta nossa aldeia, caminho de S. Tiago), sobranceira na paisagem, e, em especial, com a tosca pontelha em madeira, feita de troncos da mesma, onde por baixo corre a água do "Olho", dão-lhe, a este local, uma atmosfera mágica, mais parecendo (desculpem, mas vou revelar o meu lado mais infantil), saído de um conto de fadas e duendes!

Um dos mais belos locais da nossa aldeia...LINDA LANHESES!


A magia do Bosque de Linhares!


Silêncio e verde
que, da vista não se perde,
beleza e calma
que acata a impura alma!

Águas que em espelho
em tons de ocre, em tons de vermelho
madeira, folhas e humidade
fazem transparecer, vida, em verdade!

Caminho em eixo
histórico até,
vela-o um Freixo
que morreu de pé

Perdido em verdes e em pensares
Com Duendes converso, na Ponte de Linhares!

do autor Sérgio Moreira

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

A maior árvore de Natal natural da Europa.

Em pleno período que vivemos de quadra natalícia, aquela, que é considerada a maior árvore de Natal natural da Europa, encontra-se iluminada, este ano de forma ainda mais esbelta, dando um colorido interessante à cidade, capital do nosso distrito, Viana do Castelo.

Apesar de ser manifesta a minha "certa decepção" para com esta festividade, não vou aqui mentir ao afirmar que gosto de apreciar as praças, ruas e ruelas das nossas povoações iluminadas, como que celebrando o Natal.

A centenária Araucária Excelsa, ou mais vulgarmente apelidada de Pinheiro-de-Norfolk, [prima afastada das várias que ocorrem em Lanheses, entre elas a fabulosa no terreno de Mestre Caninhas], que ocorre nos jardins da Igreja do Convento de Santo António, e, de dimensões admiráveis, encontra-se decorada de maneira diferente dos anos anteriores, dando-lhe ainda, uma maior projecção e muita mais beleza.

Um agradável toque ao olhar!

A Araucária com iluminação Natalícia. Belíssima!



O templo de Santa Luzia com motivo alusivo à quadra Natalícia, visto de longe (para quem está a chegar à nossa cidade), dá-lhe um ar diferente, belo!

Um dos hábitos familiares que cultivo de há muitos anos a esta parte, é o de precisamente dar um passeio neste "dia da Mãe do Céu", acompanhado dos meus Pais, pelas ruas da nossa cidade (que continua sempre tão bela), para absorver a beleza das iluminações e o colorido diferente das ruelas de Viana. Sinónimo da crise que anda por aí, muitas delas, estão por iluminar com motivos alusivos ao Natal, mas, de qualquer modo, as poucas que o estão, já nos transmitem muita beleza e no meu caso, até alguma paz espiritual.

Para o ano, assim o esperamos, haja outro 8 de Dezembro!


quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

ILEX AQUIFOLIUM.

Estamos em Dezembro, mês em que o Outono cede o seu lugar à entrada no calendário das Estações do Ano, ao Inverno; mês do Solstício de Inverno, último mês do Ano Civil e mês conotado com a quadra natalícia.

É uma excelente altura para reflectirmos e darmos a conhecer (apesar de todos o conhecermos), aqui no blogue, uma das espécies botânicas mais conotadas (também) com o referido mês assim como com a referida quadra natalícia.

O ILEX AQUIFOLIUM, ou, mais conhecido como Azevinho.


O Azevinho é um arbusto de folha persistente da família Aquifoliaceae, representante único em Portugal desta família, desde há muito cultivado para efeitos ornamentais, caracteristico e endémico das paisagens temperadas mediterrâneas europeias, onde ocorre espontâneamente até cerca dos 1500 mts de altitude.

Por ser uma espécie em que as folhas e bagas (o seu pequeno fruto avermelhado ou amarelo), persistem no Inverno, destacando-se das restantes espécies endémicas caracterizadas pela perda de folha e de fruto e por ser de uma grande beleza apelativa ao olhar, é a espécie arbustiva mais famosa ornamentalmente falando, quando chegamos ao Natal, assim como o Pinheiro. Nesta época não são raras as mesas nas nossas casas, que não estejam decoradas com ramos de Azevinho. Em termos de decoração, até existem vários artefactos onde este belíssimo arbusto é recriado em imagens, como por exemplo as toalhas de mesa a serem usadas na ceia de natal, guardanapos, lenços e outros mais.

O Azevinho é um arbusto lenhoso de madeira acinzentada e clara, de crescimento muito lento que atinge (normalmente) tamanhos entre os quatro a seis metros de altura e que facilmente ultrapassa os cem anos de longevidade. Composto de folhas verdes escuras (ou mais claras) na face superior e mais esbranquiçadas na interior, ovaladas e bordo ondulado com terminação pontiaguda (em indivíduos idosos liso) apresenta um fruto avermelhado, carnudo a que se dá o nome de drupa ou na gíria, baga. Este fruto é tóxico e se ingerido em grandes quantidades, facilmente matam um individuo adulto. Vinte a trinta bagas, atiram-nos com facilidade para o reino das almas! As suas folhas também são tóxicas! Existem varias espécies de Aves que na sua dieta, incluem em pequenas porções as drupas, para efeito meramente "gástrico". Portanto, conclui-se que a sua utilidade é meramente ornamental.

É uma das espécies mais apelativas ao ser humano e claro está, sendo vitima da sua própria e enorme beleza, está em vias de extinção e é umas das que, em Portugal, apresenta maior risco de se extinguir. Em Lanheses já reparei que alguns jardins e quintais possuem belos Azevinhos, embora continue a ser espécie que não ocorra com muita facilidade.

Como está em risco de extinção e em Portugal, é espécie protegida por lei (Decreto-Lei nº 423/89 de 2 de Dezembro), as vendas de ramos deste arbusto terão de ser feitas baseadas em cortes autorizados, mas, presumo que ninguém fiscalize a venda destes, pelo que temos de ser nós consumidores, a prevenir a sua mais que possível extinção!

NÃO COMPREM AZEVINHO, PEÇAM ANTES, A QUEM O TENHA EM CASA, UM POUCO PARA PLANTAREM NO VOSSO QUINTAL OU JARDIM!

Este arbusto pega por estaca e por disseminação de sementes, pelo que pode ser plantado no nosso jardim, vamos por isso salvar o AZEVINHO, plantando um ou mais exemplares em nossos jardins! Aqui fica lançado, o repto!

Foi precisamente isso que fiz, estes dias passados, aproveitando o facto de no jardim da casa de meus pais, ocorrerem alguns belos Azevinhos (um deles já enorme), plantei três exemplares no meu jardim, na esperança que os mesmos vinguem e aumente assim, com esta atitude, a possível propagação de uma espécie que está a desaparecer rapidamente! Para ser plantado o Azevinho não requer um solo rico em estrume, antes pelo contrário, não se adapta muito bem a solos muito ácidos, portanto, ao cavarem o buraco, não fertilizem em demasia, a terra!



Os três jovens Azevinhos, já plantados.

Para finalizar e a titulo de curiosidade o maior dos Azevinhos que conheço, ocorre junto à Igreja Paroquial da freguesia de Cristóval, São Gregório, Melgaço, onde um gigantesco exemplar ocorre espontâneo, atingindo a fabulosa marca de 14,5mts (segundo fontes da Árvores de Portugal) sendo um dos maiores e mais idosos do país. Uma óptima oportunidade para darmos um passeio com a família, aquela zona da raia fronteiriça é lindíssima e determo-nos um pouco em Cristóval admirando este colossal exemplar, digno de registo! Entre outros belos cenários que podemos admirar para aqueles lados!

Sejamos todos responsáveis um pouco mais e salvemos um arbusto que está a extinguir-se das nossas serras e do nosso território! Fauna, flora e ambiente agradecem e sinceramente, eu também!


Se alguém se interessar por este tema e porventura queira um jovem exemplar, não se acanhem é só pedir, terei todo o gosto em servi-los! Importante e que interessa é salvar este espécime!