Páginas

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Esperar para depois ver...

Ainda ontem publicava um texto a demonstrar a minha solidariedade para com os Trabalhadores dos ENVC e o passivismo que muitos Portugueses demonstram; quando hoje sou surpreendido com a notícia do momento, a criação de um imposto extraordinário que cortará nos rendimentos declarados (NOS DECLARADOS) o equivalente a 50% do subsídio de Natal! Nada que não esperasse e até há tempos idos, não tivesse nisso já pensado! Aliás outras medidas para pôr as Finanças em ordem surgirão, não me espantará nada que ainda este ano pagaremos de IVA 25% e para o ano já estará nos 27%...mas isto são pressupostos meus...esperar para ver...de qualquer modo quero ver quem vai pôr muito profissional liberal (não vou chamar os bois pelos nomes no que toca a profissões), da nossa praça que se passeia no seu carrão, vai passar férias caríssimas ao estrangeiro, mora em vivendas luxuosas e só declara o salário mínimo...a pagar, como paga todo aquele desgraçado (incluo-me neste rol) que em nada pode fugir!

Entretanto posso (as palavras do Presidente da Républica dão-me razão para isso, porque exerci o meu direito de voto, como sempre), criticar o novo Primeiro Ministro, por manifestamente ter omitido (já nem quero dizer - mentido) ao que vinha quando se candidatava ao cargo. Tenho por certo que, se em campanha eleitoral dissesse muito abertamente aquilo que tinha em mente, não teria ganho as eleições ou então teria vencido mas com uma margem muito, muito reduzida...e nem se salvaria nem adiantaria estar coligado com um partido minoritário, que tão pouco representa a maioria dos Portugueses, apenas uma minoria. A mim não me representa! Nem tão pouco aos quase 50% de abstencionistas (ESSES NÃO PODEM CRITICAR) que se verificaram nas eleições, que convém salientar foram das menos participadas de sempre! 

Enfim, esperar para depois ver...mas não farei como a maioria dos Portugueses. Não, não me calarei frente às tamanhas injustiças que se avizinham!

Este ano pelo Natal (se lá chegar), oferecerei presentes comprados nas lojas dos chineses ou então em Espanha...sempre é mais barato e não se paga, no caso de Espanha, tanto IVA...

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Marcha em defesa dos Trabalhadores dos ENVC.

Por motivos de indole profissional, não me foi possível hoje de manhã dirijir-me ao centro de Viana do Castelo, para prestar o meu apoio aos Trabalhadores dos Estaleiros Navais, que num momento dificil, como aquele que se vive na dita empresa, se arriscam a perder os seus postos de trabalho! Pelo menos 380 deles...

Mas, contudo fiquei extremamente feliz e consolado ao chegar a casa vindo do trabalho, ao lêr as notícias que davam conta de uma importante e significativa participação na manifestação, não só por parte dos referidos trabalhadores mas também da população Vianense em geral, assim como muitos ex-trabalhadores reformados e cidadãos anónimos. No total, em nobre caminhada de protesto se juntaram, segundo o apurado, umas 3000 pessoas em protesto contra o que considero ser um vil e duro ataque, às aspirações de qualidade de vida dos cidadãos Vianenses, que se virão (muitos deles) em breve privados do seu posto de trabalho. A cidade de Viana do Castelo parou esta manhã!

A classe trabalhadora em grande parte (há sempre dissidentes) está unida...

Fiquei no entanto aparvalhado, com o desenrolar da leitura das notícias online, ao verificar e lêr muitos comentários ofensivos às nossas gentes, ao Alto Minho, aos Vianenses, aos ENVC, etc, etc. O que pude lêr, mostra muito bem aquilo a que chegamos em termos de solidariedade e camaradagem, ou seja, zero. Depois de muitos comentários lidos fico com a triste percepção de que nos estamos a borrifar completamente para o nosso vizinho, dando azo ao velho ditado, que diz : "Com os problemas dos outros posso eu bem"...ou qualquer coisa deste género! Como será possível que trabalhadores ataquem trabalhadores, como será possível lêr comentários tipo - "Os meus impostos não servirão para salvar uma empresa falida"; outros tipo: - "Viana quer os estaleiros, então que os pague!"; e até deste género: -"Passaram anos a jogar às cartas recebendo salários de 2500€ e agora não querem ser despedidos!"...ou: -"Aquilo não é um estaleiro mas sim uma siderurgia que nem navios sabem fazer, só faziam sucata que ninguém queria...!". Agora entendo perfeitamente a passividade do cidadão nacional, num momento em que nunca como hoje fomos tão atacados a todos os níveis...onde anda o respeito, a camaradagem, a solidariedade? No caixote do lixo...que vergonha ao lêr comentários como esses!

Algo vai mal neste mundo, onde a ganância, a opulência, o clientelismo e o lucro astronómico de fácil acesso, impõe as regras de vivência para todos nós, restante população mundial. É o Capitalismo na sua fase mais aglutinadora e selvagem, que perspectiva um final trágico para todos nós. Só de pensar que daqui a uns largos anos se lá chegar, serei um velhinho que se calhar nem terá direito a reforma nem a um braço amigo que dê um carinho, uma ajuda, um amparo a alguém que necessite...só de pensar! A Ordem e Políticas Mundiais têm de mudar radicalmente sob pena de aqui a uns anos estarmos todos a passar fome...

O que está acontecendo nos ENVC, é reflexo daquilo que se está a passar um pouco por todo o mundo: -De modo a minorar ou corrigir erros crassos de alguns e com muito aproveitamento à mistura também, corta-se a torto e a direito nos direitos dos mais fracos e mais expostos às vicissitudes do Capitalismo selvagem que reina neste século! O trabalhador sofrerá sempre...

Ordem e respeito importa preservar e cultivar...

Deixo a minha solidariedade e respeito para com os camaradas dos ENVC!

terça-feira, 28 de junho de 2011

Hibisco.

Em plena parte baixa do Parque Verde em Lanheses ocorreu e ocorre uma árvore de porte arbustivo de extrema beleza. Um Hibisco, Hibiscus.

O Hibisco, é um género botânico inserido na família das Malvaceae, está dessiminado por todo o planeta, sendo muito utilizado como planta ornamental ou até para produção de chá. Quem não conhece o chá de Hibisco? Ocorre em numerosas espécies, tamanhos e géneros.

Este que ocorre em Lanheses no Parque Verde é um Hibisco Rosa (Hibiscus Rosa-Sinensis), ou mais comumente apelidado de Graxa-de-Estudante, devido ao efeito mucilaginoso das folhas, que podem lustrar calçado. É um arbusto lenhoso oriundo do Continente Asiático e do Hawai, onde é simbolo nacional. Pode chegar aos cinco metros de altura e apresenta normalmente ramagem pendente com grandes flores arroxeadas ou arrosadas, de onde lhe advém o nome. É extremamente utilizado como planta ornamental, quer em habitações, quer em arranjos nas cidades, vilas, etc.

O Hibisco, no Parque Verde, junto à zona onde foram plantados alguns Pinheiros e lado a lado, com um Carvalho, na periferia da Avenida do Rio Lima.

As flores são de um arroxeado lindo!


Precisa de climas quentes ou temperados, humidos, mas é muito pouco tolerante ás geadas e climas frios muito baixos. Necessita de luz solar directa em abundância! Esperemos que vingue na nossa zona pois é um exemplar de extrema beleza.

Faz-me um pouco de confusão se o dito arbusto ocorreu aqui naturalmente (por disseminação de sementes o que acho muito pouco provável) ou se foi plantado, no entanto estou consciente que trás mais beleza a uma zona de si já bem embelecida!

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Verão em Lanheses.

O tempo quente voltou a Lanheses e com ele temos de aproveitar aquilo que a freguesia de melhor nos oferece...a Natureza! É na zona do Rio Lima e Parque Verde, onde (é a minha opinião) melhor se disfrutará do tempo veraneante que se faz sentir. Ao Sol, ou á sombra das inúmeras árvores que ali ocorrem, dando um refrescante mergulho na águas do Lima podemos desfrutar de horas muito agradáveis. Foi precisamente isso que fiz este Domingo passado, na companhia de familiares próximos e claro está, dos meus peludos de quatro patas.

Que bem se passa o dia no Parque Verde!

O que inicialmente se previa ser um almoço numa das mesas que estão dispostas ao longo do Parque Verde, rapidamente se prolongou a jantar e então se passou o dia de Domingo pachorrentamente à sombra do arvoredo do referido Parque. Ganhei anos de vida e nem a água do Rio Lima, que ainda está bastante gelada para o tempo que vivemos, incomodou pois, o calor tem sido muito e os banhos são extremamente refrescantes!

A "tenda" armada, que bem se estava!

O descanso dos peludos...



O autor do blogue mais o seu portátil, com o intuito de publicar "in loco" este artigo, mas a actividade deu lugar à pachorrice e o mesmo foi redigido mais tarde em casa...por vezes a preguiça cai que nem ginjas...


E claro, prostrado no chão é impossível não tirar umas fotografias ao belíssimo ambiente que nos rodeia!





 O pôr do Sol no Parque Verde...lindo!




Um dia perfeito, posso testemunhar, passa-se no Parque Verde em Lanheses! Quem viu esta área, quem a vê agora...Aconselho vivamente a todos quanto o queiram, a passar o dia em família nesta zona da nossa aldeia, tão e tão bela!

Nota breve: No final todo o lixo provocado pelo passar do dia naquele local, foi ensacado e depositado no sitio destinado para esse efeito, o contentor. O Ambiente agradece, assim como todos quantos queiram desfrutar do local!





São João em Lanheses.

No final do dia de sábado calcorreando os caminhos da nossa aldeia e como a música que se ouvia nas cercanias a isso convidava, lá se degustaram umas sardinhas assadas junto à Capela de São João. Ora, estávamos mesmo na época de venerar o Santo e claro, encher um pouco a "pança" com sardinhas bem gostosas, não seja esta a época delas...

Um aparte: - que bem que sabe calcorrear os belos caminhos da nossa aldeia, ainda quentes do Sol que se faz sentir todo o dia.




Com muita pena de não ter assistido à magnífica noite que ocorreu na Sexta-feira anterior, por motivos de índole familiar, não pude deixar de ir no dia seguinte. Fiquei alegremente surpreendido com a qualidade dos repastos que serviam, principalmente as Sardinhas (no meu caso) e outros mais; regados com bom vinho, cerveja, sangria ou então até, caipirinha. Muito bom! Sob um ambiente quente, quer a nivel de clima, quer a nivel de almas alegres, a noite de Sábado foi também maravilhosa!

As que estavam por cima e eram muitas, já "nadavam" no meu estômago...





A sangria, que delícia...

A orquestra apresentando o seu reportório, muito bem orquestrado, por sinal!

No final a música saíu dos instrumentos bem tocados por alguns ilustres e hábeis Lanhesenses, com cantigas à mistura, abraços, sorrisos e também muita sangria, afinal estamos em Portugal, onde a alegria e as tradições reinam! Muito bem! Foi um momento muito bonito




Excelente a motivação dos Lanhesenses que vão mantendo vivas as tradições da aldeia, nomeadamente no que toca às festividades que se vão realizando anualmente, esta do São João, então, é uma das mais tipicas, tendo a certa altura, num passado bem recente, pensado que se teria perdido. Afinal não! De realçar ainda, que o dinheiro que era gasto em algumas das tendinhas de vendas, revertia em favor da obra do novo centro social em Lanheses (Obra Social de Riba Lima). Mais uma mostra da enorme força de vontade e resolução da população Lanhesense!

Espero voltar para o ano a deliciar-me com umas gordas e suculentas sardinhas no São João, acompanhadas por boa música e regadas com bom vinho...

Bem hajam todos quantos organizaram esta festividade, dentro de moldes extremamente solidários, como foi idealizada e realizada!



sábado, 25 de junho de 2011

Os dias felizes...

Tive oportunidade como tantos outros Lanhesenses, mesmo não sendo Pai, de participar das cerimónias que foram a festa das Crianças Lanhesenses, que na Igreja Paroquial celebraram a sua Primeira Comunhão, no passado dia 23, feriado de Corpo de Deus. Lembro-me perfeitamente dos idos tempos quando celebrei a minha, já lá vão trinta anos! Que felicidade, que inocência, que excitação por estarmos em festa e em boa parte sermos o centro das atenções! Foi isso mesmo que testemunhei agora nos pequenos homens e mulheres do amanhã em Lanheses. A mesma jovialidade, inocência e felicidade daqueles que se abrem e mostram à comunidade e esta, os recebe abraçando e acarinhando. São sem dúvida os dias felizes...dias de brincar e ser feliz, dias de tão inocentemente sorrirmos intensamente para todos os que nos amam e mostrarmos que..."- ei...nós estamos aqui...nós seremos o futuro". Esta etapa das suas vidas finda e um novo ciclo se iniciará, o ciclo de começo e preparação para a vida adulta, para a vida que como seres humanos tomaremos em função daquilo que decidirmos seja, o melhor para nós. Restam agora os ultimos dias para serem crianças, brincarem mais um pouco e, aquilo que lhes desejo é que aproveitem ao máximo o tempo que resta da sua "meninice", brinquem, sejam crianças e nos brindem com aquele terno e inocente sorriso que a mim, tanto e tanto me comove...



Que futuramente, daqui a uns anos se lembrem sempre, dos dias felizes...

quarta-feira, 22 de junho de 2011

O resistente, por mão humana deixou de resistir e...desapareceu!

Fiquei em choque; quando ao estacionar o meu veículo no local do costume junto ao Parque Verde, após lhe abrir o portão da mala para soltar os meus cachorros; ao verificar que um logro de árvore que resistia às agruras do tempo mas, atacado de morte, por fungos e outros organismos vivos já lá não estava. Coincidência ter fotografado a dita árvore, há tempos atrás, com intuito de publicar aqui um texto sobre a bravura de tão forte resistência a uma morte mais que declarada.
Esta árvore, quase sêca, ainda apresentava vestígios de vida pois, novos e tenros raminhos com folhas nasceram na base do seu pé. Impressionante como se debatia fortemente contra a morte mais que anunciada!

Aquele inicial estado de choque (sou um amante de árvores), deu lugar a uma letargia e consequente racionalização de ideias em aperceber-me que finalmente o sofrimento chegou ao seu término! Que triste é quando uma árvore morre!

Contudo, lá vai o coração falar mais alto...tenho em mente que o fim do sofrimento foi antecipado por mão humana ao decepar o infeliz exemplar! O resistente deixou de resistir por mão humana...Pergunto-me, não teria sido melhor deixá-la estar em pé, quanto mais não seja, pelos ninhos de Pica Pau que se viam no seu tronco? A ditosa, tinha um aspecto quase fantasmagórico (mesmo assim belo) contrastando com as demais suas vizinhas e apresentava cortes no topo, prova de que já anteriormente teria sido amputada em tronco e membros. Não teriam sido estas podas radicais (tantas e tantas vezes feitas) motivo para o seu acelerado falecimento? Se aparentava ser um perigo para as pessoas, visto ocorrer numa zona frequentada por muita gente (Parque Verde), foi bem abatida mas, presumo que não, porque o que restava do seu caule ainda lhe dava bastante consistência! Enfim...deixêmos a razão falar e consolarmo-nos com o facto de que o sofrimento terminou...e deixou de representar um hipotético perigo para os transeuntes.

Fotografia tirada ao fantasmagórico resistente, onde se podiam ver ainda alguns poucos sinais de vida vegetal...No cimo do tronco, uma pequena circunferência negra, atestava a existência de ninho de Pica Pau. Podem-se ver ainda alguns ramos e o tronco amputados, sinónimo de podas anteriores!

Pormenor dos novos ramos e nova folhagem que nasciam do pé da árvore. O resistente, ainda resistia a uma morte anunciada...impressionante o milagre e força da vida! Foi isto que me impressionou tanto, que me deu a ideia de prontamente agendar data para publicar um texto neste blogue. Foi tarde de mais...mas ainda lhe poderei prestar homenagem!


Passados dias, eis o que resta do resistente...


O cerne já nem existia e o que restava do tronco estava fortemente atacado por fungos e outros organismos...a morte vinha lentamente...

Ao longe, agora vê-se o que resta do resistente...


Terminou assim a saga de algo que nos brindou anos a fio com oxigénio e sombra, a quem não foi permitido morrer como aquilo que era, uma árvore...as árvores morrem sempre de pé, nós não!

terça-feira, 21 de junho de 2011

John Lee Hooker. Blues.

Tinha de neste dia, para além de falar no início do Verão, prestar homenagem neste blogue a um músico virtuoso (que ainda hoje me apaixona), agora que passam dez anos da sua morte. Exactamente, falo do Génio dos Blues, John Lee Hooker. Nascido nos EUA, Mississipi a 22 de Agosto de 1917, foi um célebre cantor e exímio guitarrista de Blues, dono e senhor de uma voz inconfundível, que compôs mais de 500 músicas e apróximadamente uns 100 álbuns gravados.

Ao comemorarmos o décimo aniversário da data da sua morte, nada como postar um dos vídeos mais elucidativos, daquilo que foi a voz inconfundível de Hooker, em dueto com outro virtuoso, Carlos Santana. Quem nunca ouviu composições como "The Healer", "Boom Boom", Boogie Chillen", "Chillout", etc, etc.

Ouçamos então "The Healer", na inconfundível voz de Hooker acompanhado à  guitarra por Santana...MAGISTRAL...


John Lee Hooker, foi também um dos responsáveis máximos pelo facto de aproximar o"Homem Branco" do género de música Blues, tão marcada e intrínsecamente ligada ao "Homem e Culturas Negras. Foi uma das portas que se abriu a Bob Dylan entre outros, quando os Brancos começaram a apreciar e degustar toda a musicalidade da cultura Negra, muito por influência de Hooker. Quem não viu os duetos com artistas como, Santana, Rolling Stones, Eric Clapton, etc, etc.

Deixo-lhe a minha homenagem e a eterna gratidão neste dia comemorativo, por nos ter dado a sua voz e toda a sua música...não é à toa que o seu nome aparece associado a uma Estrela no Hollywood Walk of Fame! John Lee, continuas vivo!

Verão no Vale da Serra D´Arga

Estamos a 21 de Junho e com ele dá-se a entrada do Verão no Hemisfério Norte. Por sua vez chega o Inverno ao Hemisfério Sul. Chega o tempo dos dias quentes e compridos, apesar da diferença hoje em dia para a Primavera ser quase nula em termos de calor, repare-se que este mês de Junho, em comparação com o passado Maio, tem sido muito mais fresco até! Vivemos o dia de Solstício de Verão, por isso este é o dia onde o Sol incidirá mais horas sobre o Hemisfério Norte, onde a noite será a menor do ano. Daqui até 21 de Dezembro (Solstício de Inverno) os dias encurtarão, aumentando por sua vez as noites.

Mas o que interessa é que, presentemente vivemos o Solstício de Verão...

Estamos em plena época de em Lanheses; nos passearmos com pouca roupa, de aproveitarmos e tomar uns banhos refrescantes no Rio Lima, de apreciarmos a Veiga com a beleza do milho a atingir proporções dantescas, de ouvir a passarada a cantar, de aproveitar gozando as tão merecidas Férias e porque não juntarmos a família e picnicarmos na zona tão agradável do Parque Verde!?! É o tempo de aproveitarmos uma esplanada para relaxar, das muitas que temos no centro cívico, rever os amigos pôr a conversa em dia, é o tempo de a pé ou em bicicleta corrermos os lindos caminhos da aldeia, apreciar o regresso dos emigrantes que chegam saudosos da Terra Natal, é tempo das festeolas que ocorrem por todo o Vale da Serra D´Arga enchendo este imenso Vale de musica, acompanhada a foguetes, é sobretudo em tempos deprimentes como os que vivêmos nesta velha Europa, de sermos um pouco mais felizes pois; o Verão, o tempo quente e os dias grandes e encalorados a isso convidam!

Lanheses e todo este imenso Vale ganham outra beleza, outra languidez, em dias de Verão...

sábado, 18 de junho de 2011

José Saramago.

Nasceu no seio de uma família pobre de agricultores do distrito de Santarém, na Aldeia de Azinhaga, Ribatejo (tão falada agora); família que nem posses teve para lhe pagar os estudos, pelo que cedo teve de trabalhar mas, a ansia e curiosidade pelo conhecimento, do mundo, das coisas e o amor pelos livros, fez com que se formasse numa Escola Técnica e, de serralheiro mecânico chegou um dia a director do jornal "Diário de Notícias"...percurso notável do menino pobre que brincava por baixo de uma oliveira na Azinhaga ("As Pequenas Memórias") e chegou em 1998 a Prémio Nobel da Literatura, sendo-lhe atribuído também o Prémio Camões!!! Comunista convicto até chegar a sua hora, o internacionalísmo da Prosa em Português alcançou o expoente máximo e notabílismo com a sua obra, Nobelmente galardoada! 

Neste dia em que se comemora o primeiro aniversário da sua morte, apraz-se o autor deste blogue em homenagear tão singular personagem da Vida e Cultura Portuguesas! E qual melhor maneira do que a de  publicar um pequeno video onde Saramago nos apresenta a sua visão da Democracia, tal e qual a sua escrita escarpaz e concisa...atacando directamente e sem falsas astúcias o tema a debater! Por ter mantido sempre a frontalidade mordaz, Saramago era mesmo assim, granjeou variadíssimos inimigos e atacantes...mas tal como o comunista convicto...nunca desmoronou mantendo-se coerente e fiel ás suas convicções até ao fim!!! 

Saramago e a falsa Democracia...



Se Camões e Pessoa são grandes, Saramago e a sua obra não o são menores; por isso mesmo não estando cá fisicamente entre nós, sei-o perfeitamente, Saramago esse...o menino pobre que um dia foi escritor e Prémio Nobel...jamais morrerá!

Por achar um livro, como um dos melhores amigos que possamos ter, aconselho vivamente a leitura atenta da sua obra ou parte dela! A quem o fizer, posso avisar que sentirá o espirito ficar-lhe mais critico, mais rico em saber e até reconhecer que este Mundo não vai bem e somos, cada um de nós, a ter de operar essa mudança!

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Salada de Fruta.

Sumo de limão
derramado pelo meu corpo...
Morango em mão
Melão com seu pé torto,
Laranja amarga
Amêndoa doce
Pêra da minha fraga
Nêspera do meu ser que fosse...
Maçã do meu rosto
vinho turvo que faz ésse
olhar meu que é puro mosto
Tomate, mel, que me fizesse...

Melância meu pensar
Romã do meu ouvir
Amora do meu olhar
Ananás do meu vir...
Pêssego dos meus braços
Meloas a sentir
Néctar em teus traços
Framboesa que há-de surgir,
Figo fino dos teus braços
Melodia a sacudir...
Nesta salada de fruta...
líquidos a emergir,
de dois corpos em contínua luta,
de dois corpos que se estão a vir...

Do autor Sérgio Moreira.

Eclipse Total da Lua visto em Lanheses.

Ocorreu ontem, dia 15, um fenómeno natural espectacular que pôde ser presenciado pela população de Lanheses e de todo o Vale da Serra D´Arga, aliás o único total este ano, que será visível para estas zonas. Foi um Eclipse Total da Lua, que alinhada com a Terra e o Sol, ao entrar na zona do cone de sombra da Terra, fez com que a mesma ficasse praticamente às escuras. Não ficou totalmente na escuridão porque alguns dos raios solares atravessando a nossa atmosfera, ainda incidiram sobre o nosso planeta satélite, dando-lhe aquela cor avermelhada, que se via pelas 21,30h.

Ficam algumas fotografias do momento, quando algumas das nuvens que pairavam no ar permitiram visualizar o fenómeno.






O eclipse terminou por volta das 22,05, mais minuto menos minuto, quando a Lua saíu da zona atingida pelo cone de sombra da Terra. Ao contrário de muitas outras zonas de Portugal Continental, pôde todo o nosso Vale presenciar a ocorrência do fenómeno em relativas boas condições, quase estragado pela persistência das nuvens que têm pairado no céu, estes dias ultimos.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Prolongamento da Ecovia. Actualização 1.

E pronto, hoje ao passear com a cachorrada pela zona e apercebendo-me que ninguém estava no local da obra, já passei de Lanheses para Fontão a pé por cima da Ribeira da Silvareira...É isso mesmo! A obra ainda está longe de estar finalizada mas, já se pode passar no local onde, para que sapatas de betão armado assentem e os trolhas trabalhem em segurança, foi criado um morro de pedras e terra que faz a união entre ambas as margens, se não estou equivocado quanto ao seu efeito.

Não tinha a máquina fotográfica comigo, mas numa rápida ida e volta a casa, aproveitando o momento de estar só, tirei umas quantas fotos da empreitada, que passo a postar.

Panorâmica da obra, vista do lado de Lanheses.

As duas sapatas de betão.


O passadiço composto de pedras e terra.



A margem de Fontão e sapata ainda cofrada.


Pormenor do desaguar no Lima, da Ribeira da Silvareira.


Vista a norte do passadiço.


Pormenor da sapata cofrada do lado de Fontão.


Fotografia já tirada do lado de Fontão.


Com o desenrolar da obra novas actualizações serão publicadas, entretanto quem desejar, já pode (mais ao menos, convém não pertubar os trabalhos); dirigir-se a Ponte do Lima, atravessando agradávelmente a Veiga em Bertiandos e seguir a Ecovia até à citada Vila. Um passeio no mínimo, muito saudável!

domingo, 12 de junho de 2011

2º encontro de antigos alunos do Agrupamento de Escolas de Arga e Lima.

Decorreu ontem sábado dia 11, no âmbito das celebrações da XXI Semana Cultural, o segundo encontro de antigos alunos do Agrupamento de Escolas de Arga e Lima. Como conjuge de uma dessas antigas alunas, também participei, não podendo agora deixar de o relatar neste blogue. O encontro juntou numa animada noite (que estava até muito fria) alguns dos antigos alunos para um convívio muito salutar, iniciativa que já tinha ocorrido três anos antes, em 2008 e, desta feita se repetiu.

No início, houve lugar para uma audição ao Hino Nacional, discurso por parte do Director do Agrupamento Escolar, Professor Agostinho Gomes e descerrar de uma lápide comemorativa do evento. Logo em seguida ciceroneados pelo citado director, se procedeu a visita guiada pelas instalações da Escola, que muito agradávelmente me surpreendeu e a todos, pela qualidade e limpeza que todo o complexo apresenta. O Vale da Serra D´Arga tem neste excelente Agrupamento uma aposta mais que ganha na futura formação dos Homens e Mulheres do amanhã! Afinal, nem sempre as Escolas Privadas superam as Públicas, como excelentemente testemunha este Centro Escolar.

Lápide comemorativa do evento, discurso e fotografia dos antigos alunos para memória futura.




Em seguida a estes momentos muito agradáveis, passou-se ao jantar própriamente dito, sendo de realçar a  extrema qualidade e abundância que compunha o repasto. Uma palavra de reconhecimento e gratidão, para com o pessoal da cozinha e apoio (que num dia de descanso muito trabalhou), servindo um jantar digno de uma qualquer cerimónia oficial, muito bem confeccionado e extraordináriamente saboroso, facto comentado por todos os presentes.

Fotografias do jantar e do grupo de Cozinheiras (em amena cavaqueira com o seu Director),  que serviu um repasto tão saboroso. Os meus sinceros Parabéns.



Houve ainda tempo para degustar como sobremesa um saboroso prato de Arroz Doce, muito bem confeccionado e no final cafézinho, no interior das instalações, (que bem que soube) pois a noite estava realmente muito fria, não parecendo sequer que estamos em Junho!!!

Para o final da noite e do convívio, ocorreu um desfilar de agrupamentos musicais muito jovens, que se estão iniciando no fabuloso mundo da musica e não se introveteram em mostrar a todos, as suas qualidades e suas musicas, terminando com chave de ouro ao som de "Renegados do Ritmo", que em ambiente muito informal (estavam a tocar para muitos amigos) presentearam os convivas com "meia dúzia" de registos no mínimo fenomenais.

"Renegados do Ritmo" actuando, no final do convívio.



Ia alta a madrugada, quando terminou a actuação dos "Renegados" e se deu por terminado este 2º encontro de antigos alunos da Escola de Lanheses, com chuva de garrafas de água, de e para o palco, ao som de Janis Joplin, interpretada só com voz, pela vocalista da banda. Momento muito bonito...

Uma palavra final de agradecimento e homenagem ao antigo aluno e mentor deste projecto, José Arieiro, com quem tive oportunidade de conversar um pouco nesta noite. Que esta seja uma realidade anual Arieiro e, votos de muito sucesso em organizações futuras.

Esperemos, porque é extremamente salutar, que se repita por muitos e variadíssimos anos e se cultive um bem que mesmo não palpável, é de extrema beneficidade para cada um de nós, a AMIZADE! A lembrança que um dia, também fomos meninos...

sábado, 11 de junho de 2011

Carvalho Americano.

De volta ao tema do arvoredo que compõe a flora em Lanheses, existem na EN202, na saída da nossa aldeia em direcção a Ponte do Lima, uma série de árvores descomunais sobranceiras com as habitações e a referida estrada nacional. Aliás nesta estrada nacional, se analisada correctamente e não somente como serventia para quem conduz a pensar nos afazeres diários, podemos constactar e pensar que antigamente na sua projecção e construcção houve o cuidado de plantação de arvoredo de grande porte, como se pode ver nas freguesias de Fontão, Bertiandos e Santa Comba, onde ainda hoje existem exemplares majestosos a delimitar a via publica. Em tempos idos (imagino), uma estrada onde circular por entre tão extenso arvoredo, (muitos dos exemplares já foram abatidos) seria certamente um prazer! Pena, que se tenha abandonado esta política de edificação e obras publicas.

Ao longo desta via existem inumeros exemplares de Carvalhos (Quercus, nome cientifico dado a todos os géneros de carvalhos, sobreiros e azinheiras). Um dos que mais ocorrem, por certo fruto da política de florestação de então, é o Carvalho Americano (Quercus Rubra), da familia Fagaceae. Um deles ocorre precisamente em Lanheses, como referido em cima, na saída para Ponte do Lima, junto à EN202. Aliás dois exemplares ocorrem e ambos descomunais. Existem igualmente gigantescos, mais dois ou três; um em Fontão perto de uma oficina mecânica, outro na mesma freguesia um pouco mais á frente do citado e uma série deles em Bertiandos, pouco antes da exposição de móveis. São legados importantes que testemunham a forma como outrora se pensavam as vias publicas em Portugal.

O Carvalho Americano é uma árvore de folha caduca, de crescimento muito rápido e que pode viver até 100 anos, não exige solos muito ricos em nutrientes mas requer indices de pluviosidade muito altos. A sua madeira tem variadíssimos fins por ser bastante resistente e até maleável. Originário da América do Norte difundiu-se por toda a Europa e partes da Ásia. Compostos na sua generalidade, por frondosas e extensas copas e troncos muito rectilíneos de altura imponente.
Este exemplar de Quercus Rubra, nome dado pelo facto de que quando caem, as suas folhas se tornam avermelhadas; impressiona quem mais atentamente circule pela EN202 pois, a sua gigantesca copa ultrapassa a estrada nacional e fronteira com o terreno vizinho. É de tamanho majestoso e pelos cálculos que efectuei terá certamente uns 50 anos (corrijam-me, se estiver errado), uns dignos 28 a 32mts de altura, gozando ainda de muita vitalidade, mesmo atacado por espécie parasitária de trepadeira. É uma das árvores mais espectaculares que temos na nossa aldeia, quer pelo tamanho quer pela giganticidade da copa! Mais um exemplar arbóreo digno de se preservar em Lanheses. Ao seu lado a uns 30mts, ocorre igualmente um "primo seu", em tudo idêntico ao aqui referido. São realmente árvores imponentes. Este trecho de estrada está, desde a curva do talho até meados da recta, guardado por arvoredo de tamanho considerável!

Fotos do majestoso exemplar:


Reparem como a copa atinge facilmente o terreno em frente.


Pormenor do tronco, visível a parasitária trepadeira.


Pormenor da folhagem.


Deixo aqui o registo para quem circule pela Nacional 202, aprecie este exemplar de Carvalho Americano pois, a sua imponência assim o exige. Se não for alvo de qualquer acção humana mais negativa, ou até mesmo natural (as árvores também morrem), teremos árvore para apreciar por mais uns cinquenta anos!