Páginas

domingo, 31 de julho de 2011

Nova zona do Parque Verde e seus contornos.

A oeste da zona do Parque Verde existente, como já foi neste espaço referênciado, uma nova zona de lazer está a nascer. A minha mão direita que o diga pois, sentiu à bem pouco tempo o rigor e dureza do cabo da sachola (risos) no tratamento de terras. Por isto, o Agricultor, é um personagem do nosso dia-a-dia que muito admiro. Pois bem, inserido nesta zona nasceu por sua vez uma estrutura em pedra e cantoneira de ferro, que a meu ver servirá ou terá como efeito, mais um caramanchão (como o existente junto à Avenida do Rio Lima por baixo do frondoso Freixo que lá existe) e será preenchido este novo, com vegetação própria da nossa zona. Sei qual é, mas prefiro deixar para depois o referir da vegetação a incluir no referido espaço, de modo a não prejudicar o efeito surpresa. A nova zona está a ficar devidamente arrumada, organizada, ganhando preciosos contornos e, em breve receberá a FESTA NO MILHEIRAL, a 4 de Setembro próximo, antevendo eu, muito sucesso para mais uma iniciativa da Junta de Freguesia em termos de intervenção paisagística e ludico-cultural.

Pormenores da edificação e espaço envolvente.






Mais uma área a complementar a já existente e, que todos poderemos vir a usufruir. Mais qualidade de vida nos apresentará esta aldeia que é Lanheses. Antevejo enorme sucesso para a Festa no Milheiral que aqui ocorrerá em Setembro. Entretanto, vamos pedindo a S. Pedro que não se irrite nesse dia...

Ah...para os "Velhos do Restelo" do costume, aqui fica a dica...quando o Homem quer a obra nasce, basta para tal, querê-lo e trabalhá-lo!

Ecovia. Actualização 2.

Aproveitei esta tarde de Sábado para percorrer a pé todo o caminho do lado esquerdo da margem do nosso rio, até à foz do Regato da Silvareira, acompanhado pelos meus cães e pude constatar que a ligação entre as duas margens do referido regato começa a ganhar contornos muito bem definidos. Da última vez que actualizei este post, sobre o referido tema, ainda somente se viam as sapatas de betão onde irá assentar uma Ponte. Com este passeio já pude admirar e observar que assente nas sapatas já descansa uma estrutura metálica que será (a meu ver) a base para receber a referida Ponte. Aos poucos e em breve (presumo) a ligação estará completa, o que será uma mais valia para a nossa população e freguesia, com o acréscimo do turismo desportivo-ecológico que esta ligação artificial trará. Já pude alertar o nosso Edil, professor Ezequiel Vale, que junto ao cais do Rio Lima, não seria de todo inútil, que se pensasse em montar infraestrutura de lazer para apoio à zona, tipo um cafézinho com música até (café-bar) pois a freguesia e a Junta em muito lucrariam com isso. Esta ligação trará muita mais gente a Lanheses e temos, para termos sucesso, de saber aproveitar as ocasiões que se nos deparam pela frente. O sucesso ocorre, quando inteligentemente se aproveitam as ocasiões! Creio que este conselho não caíu em saco roto!

Vamos às fotografias.




É de ficarmos realmente satisfeitos, com o visualizar de obra feita e apercebermo-nos até, quão diferente a margem do nosso Rio está a ficar. Perdoem-me o exagero mas, estamos em risco de ficar com uma "pequena pérola" que é a margem ribeirinha em Lanheses. Que transformação!

O SSVSA, actualizará de novo este post, quando novidades assim o justificarem!


sábado, 30 de julho de 2011

Noite de Fados em Lanheses.

São 06.35h de Sábado e já não consigo dormir. Atormentado pelo calor que se respira e se sente dentro de casa, motivado pelos dias quentíssimos que se viveram, assim como pela incomodativa praga que são os mosquitos, esses bichinhos intoleráveis e caprichosos que ao mordicarem a nossa pele nos deixem com aquelas protuberâncias a que vulgarmente damos o nome de "bexigões" e com uma comichão descontrolada, desci até à esplanada de casa e estou a ver o dia a nascer. Reina a calma e o sossego, regados pelo orvalho da manhã que se faz sentir, acompanhados pelo frenético som da passarada (que parece nunca dormir) entrecortado aqui e ali pelo som de um automóvel que "corre" na EN305 e pelo estridente ronronar do som de um qualquer avião que paira sobre Lanheses. A "Araucária de Lanheses", imponente, está também ela envolta em nevoeiro!

O Vale da Serra D´Arga envolto num manto de nevoeiro...


Deveria dormir mais umas horitas mas não consigo, por isso atiro-me ao PC e actualizo o meu blogue com posts sobre o que se tem passado em Lanheses e neste caso incontornávelmente sobre a "Noite de Fados" que se viveu ontem de noite na nossa aldeia.
Num dos edifícios emblemáticos desta linda aldeia a Casa do Povo, decorreu ontem uma noite onde entre várias coisas se puderam ouvir fados, degustar uma ceia ou jantar (como quiserem), regados com bom vinho e onde também se pôde confraternizar com os vários amigos que passaram a noite naquele local. A receita apurada reverterá em favor das obras do novo Centro Social (uma parte), assim como para a Casa do Povo e seu Rancho Folclórico.

A meu ver, o salão escolhido para o realizar da gala, o do primeiro andar, ao contrário do ano passado onde ocupámos o salão desportivo, não foi o mais acertado dado que os cerca de duzentos participantes ficaram confinados a um espaço onde o calor exagerado imperou e as condições acústicas deixaram muito a desejar. Uma escolha no meu ponto de vista, um pouco infeliz. O jantar servido com muita qualidade e onde não faltou bom vinho para acompanhar, foi servido muito profissionalmente por uma empresa de "catering" e a boa disposição reinou em geral. Não tive sorte alguma com a mesa que me calhou assim como aqueles que me são próximos e comigo ficaram, na ditosa mesa, onde se respirava um calor insuportável, bafejado volta e meia (muito saudado quando ocorria), por uma aragem fresca que vinha do exterior. E nem as ventoinhas de tecto a funcionar a "todo o vapor" resolveram a questão. Mas alguém teria de ficar naquela mesa e este ano fomos nós. Paciência.

O salão do primeiro andar cheio e onde actuava já, um dos fadistas convidados.


"Arrumados" num cantinho mas, mesmo assim sempre bem dispostos.

A gala, após os convivas ocuparem os seus lugares, iniciou-se com o discurso do Sr. Dr. Loureiro, Presidente desta colectividade, passando-se em seguida ao jantar própriamente dito. Após o jantar e entre o servir da sobremesa houve tempo para apreciar aquilo a que vinhamos, o Fado, esse género de música tão identificativo do nosso País (apesar de não ser grande apreciador, confesso), cantado por dois fadistas , Flor e Rui Cunha; que segundo o que consegui apurar, tinham outras actividades profissionais paralelas ao cantar do fado, por isso autodidatas. Na gala do ano passado assisti comovido à actuação de Filipa Cardoso e aplaudi em pé a sua magistral actuação (mesmo que curta) este ano, perdoem-me a sinceridade mas, não apreciei muito.
Entretanto, houve tempo para mais um pomposo discurso do Sr. Dr. Loureiro e entre variadas temáticas houve tempo para homenagear um Lanhesense, que muito tem feito pela nossa Terra fisica e virtualmente e ontem comemorava mais um aniversário, acompanhado da família. Foi um momento muito bonito e que me encheu de alegria assim como todo o salão onde não faltou o tradicional cantar dos Parabéns, grandiosa salva de palmas e discurso. Após a sobremesa (que não provei porque não quis), houve tempo para o Fado, cantado e tocado até ao final da noite, acompanhado de grandes ovações, até terminar a gala, já ia alta a madrugada.

Não posso deixar de referir, em jeito de nota, o som saído do Contrabaixo muito bem executado. Instrumento magistral, mais conotado com o Jazz e Música Clássica, mas perfeitamente adaptado ao Fado como ontem se observou.

Deixo aqui publicamente um muito obrigado ao amigo Carvalhido, um dos organizadores da Noite de Fados, incansável na forma e preocupação demonstradas para com a nossa mesa e nossas pessoas, se tudo estava do nosso agrado. Continuo a tê-lo em boa conta e lhe desejo os Parabéns por mais uma Gala muito bem organizada e obrigado pela maravilhosa sangria que na esplanada do bar da Casa do Povo, após o final da noite, se provou e bebeu.

Agora que me refresquei, vou tentar dormir um pouquinho mais pois, a mosquitada me parece, foi dormir também...



quarta-feira, 27 de julho de 2011

Uma mão cheia de bolhas.

Atendendo ao convite que me foi feito no Sábado, em plenas Festas de Lanheses e como sou daqueles que ainda preza a palavra dada, compareci juntamente com outros três Lanhesenses, junto ao Parque Verde para continuar a obra e melhoramentos, da nova zona criada e que em breve estará pronta para receber toda a comunidade, onde atempadamente variados espectáculos de índole cultural e até desportiva se irão realizar. Posso adiantar que em breve e muitíssimo bem orquestrado pela nossa edilidade, a área do Parque Verde vai aumentar significativamente, já anteriormente neste blogue divulgado, no post - "Pavimentação do caminho do rio" e no post - "Expansão do Parque Verde". A freguesia a seu tempo se irá aperceber e, até agradecer.

Entretanto, relatando os trabalhos, que se caracterizaram pela remoção de terras e entulhos varios, assim como alisamento destas, sob um Sol e calor tórridos (o vento amainou precisamente nessas duas horas, das 18 às 20h) lá se foi trabalhando sempre em amena cavaqueira e boa disposição, onde até houve direito a umas cervejinhas espectacularmente geladas, que tão bem souberam para acalmar as testas que suavam sem parar...pelo menos a minha...pois, pois, habituadinho a trabalhar com canetas e computador...(risos)...

Por volta das 20.00h o serviço estava realizado resultado final: tarefa a que nos propusemos concluída; algum cansaço à mistura, uma mão cheia de bolhas (a minha...porque, realmente a sachola não é o instrumento de trabalho a que estou mais habituado) mas; muita, muita satisfação por ter ajudado um pouco mais a freguesia que me recebeu para seu habitante.


A pedido de alguns dos intervenientes na empreitada optei por não tirar fotografias, mesmo munido da máquina fotográfica pois, temos que saber respeitar as vontades e desejos daqueles com quem interagimos.

Posso contudo afirmar que quem trabalhou, não procura publicidade nem reconhecimento, apenas deseja trabalhar em prol da freguesia onde reside (nobre atitude, apesar das criticas que sempre surgem). O mesmo se passa comigo e desculpem o desabafo mas, deu-me realmente um gozo danado tê-lo, tal como os outros três Lanhesenses, feito!

A breve prazo a freguesia podê-lo-á comprovar.

Entretanto, Lanheses sabe que pode sempre contar comigo...

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Final das festividades em Lanheses.

À hora em que escrevo estas linhas, sentadito em casa à frente do PC ainda se houve o Conjunto Musical que findará as Festividades em honra do Sr. do Cruzeiro e das Necessidades. Já sinto uma estranha melancolia por sentir o final das festividades e com isso se ir a alegria da Aldeia que está em festa, ou esteve por três breves dias. Já sinto um misto de saudade e tristeza por saber que me vai fazer falta ver o sorriso estampado no rosto das pessoas, o colorido das iluminações, o cheiro a fritos das farturas, da boa sangria servida nas tasquinhas, das conversas e risadas trocadas com os amigos, dos abraços, da música, da Igreja engalanada, da Procissão, do frenético e estridente som de uma aldeia que fervilha com entusiasmo e se entrega sem pudores prestando homenagem aos seus Santos sem contudo esquecer a folia! Faz-me falta esta alegria castiça e este colorido de uma Festa que embora simples, a mim me toca fundo no coração e a acho linda...Lanheses é amor, Lanheses é colorido, Lanheses é alegria...

Para o ano haverá mais do mesmo e Lanheses voltará a viver a sua festividade. Agora a vida seguirá o seu curso natural, dia-a-dia languidamente onde concerteza mais alegrias se estamparão e outras festas virão! Apagam-se as luzes para os lados do Vale da Serra D´Arga mas, não se apaga a luz no nosso coração!

Amei as festividades, amo esta linda aldeia!

PS - Parabéns à nova Comissão de Festas, que manteve, o excelente nivel e qualidade das edições anteriores! 


domingo, 24 de julho de 2011

O poder de um solo de Trompete.

Não pretendi neste blogue fazer uma cobertura exaustiva das festividades Lanhesenses em honra do Sr. do Cruzeiro e das Necessidades (que estão a decorrer), para isso existe um outro blogue, de um senhor amigo meu, que o faz excelentemente, falo claro está do blogue "DoLethes" mas, tinha de neste fazer referência à actuação das Bandas de Música ontem à noite ou melhor, a uma actuação em particular. Como amante de música instrumental e clássica, pude presenciar todo o espectáculo que as duas bandas proporcionaram ao publico presente (foi realmente muito bom) e fiquei estarrecido e deveras emocionado (a música é mesmo isso o reflexo de um estado de espirito) ao ver e ouvir um magistral solo de Trompete com que a Banda Velha de Fermentos nos brindou. Nesse momento aproximei-me de um dos ouvintes da vasta audiência presente e, no meio daquela amálgama de gente e sons conversámos sobre música, conversámos sobre Lanheses e juntos digerimos um dos momentos altos da noite aquele magistral solo de Trompete! Fui surpreendido pelo acontecimento, não contava com aquela actuação! O poder de um solo de Trompete! Por momentos imaginei-me num daqueles cabarets fumarentos tipicamente anos 40 a ouvir um magistral soul ou jazz em amena cavaqueira com um amigo! Foi deveras gratificante ter vivido esta experiência que tão cedo não irei esquecer. Com muita pena minha não o filmei pois, não estava munido da minha câmara!

Ao meu amigo, deixo-lhe o meu obrigado por me ter permitido ter posto em dia a conversa...as festividades servem precisamente para isso, encontrar quem gostamos e conversar, ainda por cima ao som de um Trompete magistralmente tocado!

sábado, 23 de julho de 2011

Nova página autónoma no blogue.

Para quem tenha desde hoje consultado o blogue, pode ver que uma nova aplicação está disponível. É uma página autónoma, onde o autor do blogue pretende mensalmente entrevistar um(a) Lanhesense tendo em vista a sua futura publicação de modo a conhecer a realidade social, antropológica e histórica da nossa aldeia.

Não me alongo mais em palavras neste post. Para quem estiver interessado é só consultar a referida página; "À conversa com..."

A todos um abraço respeitoso, esperando a receptividade dos Lanhesenses!

Sérgio Moreira

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Boas Festas.

O SOMETHING SPECIAL DESEJA A TODOS OS LANHESENSES, SEGUIDORES DO BLOGUE E AMIGOS, VOTOS DE UMAS BOAS FESTAS, COM MUITA ALEGRIA E DIVERTIMENTO À MISTURA!


QUE ESTA QUADRA FESTIVA SIRVA PARA ESQUECERMOS OS PROBLEMAS MUNDANOS POR BREVES DIAS E, POSSAMOS EM CONJUNTO, HOMENAGEAR ESTA TERRA MAGNÍFICA QUE É LANHESES, QUE POR ESTES DIAS ESTARÁ EM FESTA.

A TODOS MUITO BOAS FESTAS!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

O milagre da vida que se renova a cada Estação do ano.

Deambulando pelo zona do rio, Parque Verde e não só, pude observar em dia de muito vento o milagre da vida que se renova a cada Estação do Ano. Pois é, estamos no Verão mesmo que não o pareça e, observando os arvoredos que por aqui ocorrem, já se podem ver, resultado da Primavera que passou, os frutos das nossas árvores bem verdinhos a desenvolverem-se e prosperar. Carvalhos, Amieiros, Castanheiros, Nogueiras, etc, etc., estão carregadinhos de frutos e que engraçado é observá-los agora que estão verdinhos, para depois no Outono que se aproxima, estarem madurinhos e com a côr castanha tipica dessas alturas e à qual damos mais relevância. Alguns apodrecerão no chão quando a sua árvore não aguentar mais o seu peso, outros acabarão no  bico de um qualquer passarolho e outros há que na terra germinarão para continuar o ciclo da vida, da vida vegetal, tão importante para nós e contudo ainda tão alheia aos nossos olhos!

Uma nobre árvore (Carvalho - Quercus) carregadinha com o seu não menos nobre fruto, a Bolota (ou Landes).



Jovem Amieiro, carregado de fruto. Impressionante!

Propositadamente, não publiquei fotos do Castanheiro com os seus "ouriços" verdinhos porque acho que obrigatóriamente a sua época de esplendor é pelo Outono, o que oportunamente o farei. Mas é de elementar beleza observá-los. Detenho-me neste tópico, sobre a Bolota; esse nobre fruto, tipico das nossas florestas e proveniente dos Carvalhos, Sobreiros e Azinheiras, que já alimentou em tempos idos muitas gerações de Portugueses. Actualmente dada como alimento aos suínos, as Bolotas, há séculos atrás eram esmagados pelos povos da antiguidade na Península Ibérica (Lusitanos por exemplo), para se fazer farinha e pão. Actualmente ainda se usam em alguns preparados culinários, tipicos de Portugal.  No Alentejo a sua importância ainda é significativa.

Estão neste momento verdinhas para depois amadurecerem e, no Outono, tal como a Castanha se possam consumir. Até lá é um espectáculo apreciar os Carvalhos que por aqui ocorrem carregadinhos com este (volto a frisar) nobre fruto!

É o Verão em termos vegetais, em todo o seu esplendor.

terça-feira, 19 de julho de 2011

A flôr que não tenho...

Nove...
rima com dezanove,
quase, quase, a sua metade
linda nasceste tu e, o és de verdade!

Julho...
rima com barulho,
que sai desse teu doce olhar,
curiosidade, ternura, sussurro, gosto imenso de te amar...

Caranguejo...
rima com desejo,
desejo que te viu nascer,
de quem te adora, de quem te ama e jamais te irá esquecer...

Criança...
rima com esperança,
esperança que venhas a ser,
manhã de Primavera, uma bela mulher e te possa ver crescer!

Parabéns...
rima com tens,
longos cabelos e belo rosto
és a flôr que não tenho, mel, amor, luar de Agosto!

Parabéns...

do autor Sérgio Moreira

segunda-feira, 18 de julho de 2011

É triste...

É triste, quando chegamos ao rio e deambulamos pela zona, absorvendo o ar puro que nos emana o arvoredo que ali ocorre, ouvindo e vendo a passarada a esvoaçar frenética nas lides do seu dia-a-dia e depararmo-nos com o espectáculo deprimente que a nossa visão contempla, quando chegamos à zona onde está (e muito bem) implantado, o abrigo para visualização da avifauna, que por ali ocorre. Foi precisamente essa decepção que me ocorreu hoje quando cheguei ao local! Lixo pelo chão a rodos, beatas de cigarros, o painel exemplificativo dos mamíferos que ocorrem nestas áreas ainda mais riscado e degradado do que aquilo que já tinha referido há tempos atrás neste blogue, garrafas de plástico vazias pelo chão do abrigo e na sua envolvência, caixas de bolos...enfim uma bela porcaria!!!!

Que falta de educação, que falta de respeito pelos demais que se preocupam com estes espaços e os apreciam (eu sou um deles), que falta de civismo e fundamentalmente que falta de inteligência!!!!
Uma obra edificada com carinho e dedicação pela Junta de Freguesia, para agora meia dúzia de inergúmenos a degradar! Tenham lá santa paciência mas isto é demais. Imagino o interior das suas casas como estarão em termos de higiene? Porque, quem faz isto e nem se importa, concerteza deve morar num pardieiro...!!!

Como não estava munido da minha máquina fotográfica (mas tinha de documentar este espectáculo deprimente) tirei umas quantas fotos com o meu baratucho telemóvel (sou, sem criticar ninguém, averso a "télélés" caríssimos), por isso a qualidade das fotos não é a melhor. Peço por este facto desculpa!






Agora o painel, que se já estava estragado, ainda mais ficou, com aparvalhadas assinaturas e riscos inexplicáveis! Aqui só entendo e vejo uma coisa...estupidez!



Isto não se faz! Ao vivo ainda é mais lamentável! Uma porcaria! Estas infraestruturas ao serem criadas é para uso e gaudio de todos em geral mas o civismo e boa educação devem imperar! Não custa nada passar ali umas horas, minutos ou até dias mas, após a sua utilização, é de bom tom levar o lixinho todo para o sitio destinado para tal! O contentor!

Enervado pelo que presenciei tenho de afirmar o seguinte! Ao deambular também pelo caminho do rio que faz a ligação até à vizinha freguesia de Fontão, ora portanto do lado esquerdo quem chega ao rio, pela Avenida do Rio Lima, já há muito tenho reparado que umas três zonas existem e são sistemáticamente utilizadas como depósitos de lixos vários (principalmente restos de arvoredos e plantas mas, com outros tipos de lixos tóxicos à mistura tais como o plástico), o que não deve ser feito pois, estamos a depositar todo o tipo de entulho a céu aberto e algum dele demorará décadas para que a Natureza o consiga reciclar! Não vou documentar aqui neste momento pois, não acho justo que o faça sem contudo conversar primeiramente acerca de, com o Presidente da Junta, tendo em conta toda a fantástica intervenção ambiental que tem operado nestas áreas e que tenho como quase certo, não seja a favor destes despropositados depósitos de lixo! Pelo menos merece-me esta atitude! Dá-me a ideia que esta parte esquerda do rio é tida como o "parente pobre" da área mas, engane-se quem pensa assim porque a grande riqueza faunística é nestes lados que reside dado que, do lado direito do Parque Verde há muito a Veiga é utilizada pelo Homem para a prática da Agricultura (e bem a meu ver não estou portanto a criticar) o que faz afastar toda a fauna para locais mais sossegados. A breve prazo, após conversa com o Sr. Professor Ezequiel Vale documentarei aqui, caso nada solucionável venha a ser feito.

Meus caros concidadãos, nunca em tão pouco tempo se fez pelo rio aquilo que se está a fazer como agora, por isso peço a quem leia estas linhas e o divulgue por favor, estas atitudes insanas são de todo condenáveis e só levam a um caminho, à destruição dos ecossistemas e degradação do ambiente!

DESFRUTEM DA ÁREA MAS, NO FINAL DO DIA LEVEM O LIXO PARA O DEVIDO LUGAR!

O Ambiente e Lanheses agradecem...obrigado!

domingo, 17 de julho de 2011

Festas de Lanheses.

Há uns tempos atrás publicava neste blogue um texto sobre como era bom acordar ao som dos altifalantes dos veículos que serviam os partidos políticos em campanha eleitoral! Claro está, que metaforizava toda aquela sensação de gosto por acordar ao som da marretice disfarçadamente enganadora que saía daqueles megafones, anunciando uma prosperidade mentirosa pois, sabia perfeitamente e sei, ao que aqueles indíviduos cómodamente sentados em Lisboa, vêm! Viu-se logo passados dias o anúncio de um imposto extraordinário a ser criado extra acordo Troika...blá, blá, blá...mas, isso são outros sons...

Contudo, este Sábado, acordei, agora sim com bastante gosto, ao som inconfundível do rufar de tambores e bombos, que fazem antever a chegada em breve das tradicionais festas em Honra do Sr. do Cruzeiro e Necessidades, em Lanheses!

Lanheses, que tem ultimamente atravessado um periodo deprimente, veja-se a luta que terá de encetar para evitar o encerramento dos seus CTT (para além de outras), precisa de festa, de alegria, de côr, de música, de foguetes! Lanheses precisa de expôr a sua essência, tão tipica e genuínamente Minhota! Povo simples de gentes do Norte, trabalhador e, que tão bem sabe receber!

E ao que parece, segundo consulta ao Instituto de Meteorologia online, o tempo será nosso amigo e temperaturas dignas da época que vivemos, Verão, se irão registar (previsão a dez dias).

Tal como a freguesia, tenho uma ânsia desmedida em ver as iluminações das ruas, ouvir a música gravada, assistir à arrematação dos tabuleiros (um dos momentos altos das festividades), ouvir as bandas de música, assistir à Solene Procissão (ponto alto da festividade), aos fogos de artifício, saborear uma fartura ou várias, abraçar os amigos, receber os meus Pais em minha casa na terra que adoptei como minha e amo, ver o sorriso estampado no rosto dos Lanhesenses, etc, etc.

Foi por isso tão bom...(agora sim verdadeiramente) tão deliciosa e saborosamente bom...acordar ao som do rufar dos bombos, porque daqui a um fim de semana, Lanheses, mesmo contra todas as vicissitudes, estará em festa, assim como os nossos corações! Durante a próxima semana já, variadas actividades nos mostrarão (Procissão de Velas por exemplo) que em festa por uns dias, vamos poder esquecer esta crise que se vive e a alegria tomará o nosso coração! Assim o espero...

Lanheses e a suas gentes bem o merecem! Entretanto, toca zabumba, toca; porque é tão bom acordar com o som que sai do bombo que com esforço tocas...

À hora da publicação deste post, está a decorrer a tradicional feirinha, no Largo Capitão Gaspar de Castro, onde para além de porco no espeto (estava-se a preparar o braseiro), alguns expositores vendem livros, produtos tipicos, artesanais (fatos de lavradeira) e até enchidos, fumados e legumes vários, sendo de salientar que o dinheiro resultante dessas vendas reverterá em favor da construcção do Centro Social. As festividades estão aí...



População de Lanheses contra fecho de estação dos correios.

A população Lanhesense, assim como de outras freguesias vizinhas aderiu massivamente à manifestação organizada junto à delegação dos CTT em Lanheses tendo em vista o impedimento do fecho desta agência, que segundo as fontes é uma das que a admnistração dos CTT tem prevista para fechar, por não haver nrº de pessoas suficientes que justifiquem a sua abertura e consequentes despesas inerentes ao seu funcionamento. Justificação mais que injustificada! Basta ver numero de pessoas que diáriamente utiliza este serviço!

País - População de Lanheses contra fecho de estação dos correios - RTP Noticias, Vídeo

O ambiente vivido, apesar de sereno, não escondia a revolta destas gentes simples que já enfrentando muitas dificuldades de ordem várias, no seu dia a dia, se irão agora ver privadas de um serviço existente nesta freguesia há 60 anos, acarretando com a sua extinção, custos variados tendo em vista a utilização de serviço semelhante. Convém frisar que as agências mais próximas a esta, se situam em média a uma distância de mais ou menos, quinze quilómetros!

Este é um retrato triste dos despaupério e desgoverno a que este País está entregue! A fácil obtenção de lucros cortando drástica e cegamente sem olhar a quem, nem a meios, faz de nós cidadãos pagadores de impostos do Alto Minho, dos mais prejudicados a nivel nacional! Estamos, a cada dia que passa, a perder direitos elementares, para nos transformarmos em meros cidadãos que somente têm obrigações para com o Estado! Desde que esta suposta "crise" foi enunciada, o Alto Minho tem sido das províncias mais atacadas nos seus direitos, estando diáriamente a retroceder no tempo!

Lanheses também agora, assim como todo este Vale da Serra D´Arga estão a ser atacados nos seus mais elementares direitos! Avizinha-se uma luta longa e árdua, que convém a todos mobilizar!

NÃO AO FECHO DOS CTT EM LANHESES!

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Pavimentação do caminho do Rio.

Fim de tarde em mais um dia de Verão e que bem se está no rio aqui na nossa aldeia, apesar da nortada que se tem feito sentir estes dias! Mais feliz fiquei, por ter assistido a muita azáfama para os lados do caminho do rio, tendo visto mesmo o Presidente da Junta, num frenesim por entre os trabalhos, maquinaria e os trabalhadores (dá gosto ver a dedicação que este homem dispensa à sua Terra) ao que após, pude constactar "in loco" e entender a azáfama; o caminho do rio até ao limite onde se situam os três grandes  Carvalhos está pavimentado em calceta! Excelente! Vê-se, a cada dia que passa obra feita no Rio em Lanheses!

Cá está o novo pavimento. Ocorre-me dizer que lá se foram os buracos, lá se foi o pó! Pelo menos, neste pequeno trecho do caminho do rio!


Fronteiriço com o Parque Verde, também está a ser objecto de pavimentação, um pequeno troço, que no meu entender terá a função de ciclovia ou passagem pedonal (posso estar enganado pois, não confirmei a veracidade desta afirmação), onde também se pode ver a montagem de um pequeno muro a delimitar e conter este mesmo troço.




Dia a dia uma área que ainda há bem poucos anos estava votada ao abandono, vai ganhando outra forma, apresentação, com muita mas, muita qualidade mesmo!

Um bem haja ao executivo da Junta de Freguesia pelo dinamismo que tem demonstrado para com esta zona e votos de coragem e perseverança, para que a pavimentação continue. Quem sabe em breve, Vila Mou e Lanheses terão os seus caminhos do rio completamente unidos e pavimentados! Adeus buracos, adeus pó!

Esperar para depois ver!

Entretanto deixo uma imagem das muitas que tenho em arquivo, daquilo que era o caminho do rio. Uma imagem que já não retrata a realidade actual mas algo, onde podemos observar aquilo que era o referido caminho, antes das intervenções a que foi sujeito!

Não deixa de ser uma bela imagem mas, o que se vê agora está muito melhor!

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Fecho dos CTT em Lanheses e gastos incompreensíveis!

Começo a realmente entender ou antever, que isto só lá vai à machadada ou mesmo com uns bons pares de estalos bem assentes nas fuças de alguns! Perdoem-me a linguagem grosseira e rude mas, o que li nas notícias online, assim mo obriga e porque, desculpem lá...mas, - só não se sente quem não é filho de boa gente! - já dizia o velho ditado! Que País este e que Leis estas que governam este Portugal!

Numa altura em que se prevê o fecho da mais que útil agência dos CTT em Lanheses, deparo-me com a seguinte notícia...isto é de loucos! Deixo um link abaixo, para todos quantos se interessam por este problema que teremos de resolver em breve prazo na nossa aldeia, queiram consultar.


Mas há mais...para quem se interesse, aqui vai mais um link extraordinário...


Agora respondam-me lá, por favor, nós em Lanheses e outras tantas aldeias periféricas, é que vamos ficar privados de um serviço quase a roçar o imprescindível por motivos orçamentais, quando outros gastam à fartasana? Os mais velhos, incapacitados e restante população anónima que usa este insufismável serviço, é que terão de pagar pelos erros e pela infindável gula de certos senhores! Haja no mínimo...um pouco de decência!

LANHESES EM LUTA E JÁ! OS CTT FAZEM CÁ MUITA FALTA!



terça-feira, 12 de julho de 2011

A Sr.ª do Minho.

Para quem vem de Viana do Castelo, a capital do distrito, habituado ao barulho e ao incómodo que é viver numa cidade (pelo menos para mim, mesmo considerando Viana, não uma cidade mas, mais uma aldeia grande), chegar a Lanheses e apreciar toda a sua calma e bulício, é quase, quase, experimentar uma visão do Éden, esse jardim mítico. Foi isso que me aconteceu há anos atrás quando vim para aqui morar e tomei esta Terra magnífica, como a minha. A geografia do local é muito particular, situada num dos vales mais belos dos muitos que conheço, Lanheses tem tudo para que uma pessoa se possa sentir bem, feliz e com um nivel de qualidade de vida muito acima dos padrões vigentes. Protegida pelo enorme promontório que é a Serra D´Arga, de Lanheses poderemos em poucos minutos percorrer e atingir várias outras povoações, a Serra, o Rio, etc, etc.


Já em miudo havia um local que me fascinava, quando da Meadela o observava, o planalto da Sr.ª do Minho e a Serra D´Arga. Também sou oriundo de uma família que desde tempos imemoriais sempre optou por este local para realizar piqueniques e passeios, assim como passar alguns dias por estes montes em férias, apreciando a natureza e convivendo com ela. Fui por isso habituado a ela desde rapazinho!
Entretanto o miudo cresceu, comprou o seu primeiro carro e de lá para cá, não mais deixou de visitar muito frequentemente aquele belo planalto e aquela linda Serra. E que bem se está lá em cima no alto! Que belas paisagens os nossos olhos contemplam, quando em dias de céu limpo se pode apreciar Viana, Ponte, Lanheses (tão pequenina), o Sameiro em Braga, o Gerês, etc. etc. Que lindo é apreciar os garranos, livres e a pastorear, ver os pássaros a esvoaçar frenéticos, ouvir ao longe os chocalhos do gado que anda pela Serra a pastar e, sentirmo-nos muito mais perto do céu!




Após o Domingo, que foi dia de Peregrinação naquele promontório, era de todo elementar que se fizesse justiça neste blogue, à Serra e ao planalto que alberga o Santuário da Senhora da Conceição do Minho.

Pois bem cá fica o desenho (se assim lhe posso chamar):

Sr.ª do Minho.

Aqui, por entre estes verdes
deste calmo planalto
calcorreando esta sebes
minha alma, se acomete em sobressalto,
qual pássaro preparando o ninho
neste planalto...
aqui na Srª do Minho
cá em cima, bem no alto!
Aqui, a alma solta um grito
aqui reina o silêncio
quando posso aqui sempre fico
pintando um retrato a setêncio...
D´aqui se vê Viana
d´aqui se vê o Vale do Lima
aqui a paisagem soberana
com o vale e o rio rima.
D´aqui, este vale vejo
que é o da Serra D´Arga
sinto Lanheses, meu ensejo
do alto desta granítica fraga.
Aqui vejo monstros brancos
com suas gigantes pás
vejo vacas, cabras, bancos
e a névoa que a manhã trás...
Aqui vejo a capela, onde os ventos morrem
sintos ribeiros e regatos
que por entre rochas correm,
sinto a urze e a erva
vejo cobras, rãs, lagartos
sinto a Senhora que me observa
e alguns pássaros caricatos.
Vejo árvores tenho sombra
e estendo na erva,
esta pele que o calor assombra
escrava nua, dura e serva...
em sorriso, de quem se ombra
com esta paisagem soberba!
Deitado num rochedo
o corpo jaz a descansar
tal qual o frio penedo
com o Sol a restolhar...
Só...com o planalto,
bebendo deste soberano ar
afastado de tudo, cá no alto
esse corpo se deixa embriagar.
Aqui a noite escura como bréu
quando se vai pela manhã
nos aproxima do azul do céu
memória doce, eterna e vã
Porque aqui tudo se esquece,
aqui somos natureza
aqui o corpo estremece
com tanta e tanta braveza...
Aqui o corpo enternece
cá no alto, na Sr.ª do Minho
com tanta, tanta beleza
Planalto, Serra...Minho!

Um dia, quando tudo acabar...
façam justiça a este corpo
no planalto deixem descansar
as cinzas deste morto...
num buraco, junto ao mato
ou por baixo de um penedo,
na Sr.ª do Minho quero o recato
para o fim do meu enredo!
do autor do Blogue


Lá em cima, bem lá no alto, que sossego, que bem se está neste imenso planalto...

 






Fotografias a recordar um dia muito bem passado em pleno Planalto da Sr.ª do Minho!





segunda-feira, 11 de julho de 2011

Fecho dos CTT de Lanheses.

O SOMETHING SPECIAL DO VALE DA SERRA D´ARGA, ALIA-SE À LUTA DA POPULAÇÃO DE LANHESES, TENDO EM VISTA O IMPEDIMENTO DO FECHO DA AGÊNCIA DOS CTT.

SEXTA FEIRA DIA 15 PELAS 18.00H JUNTAMENTE COM A POPULAÇÃO DA FREGUESIA, COMPARECERÁ PARA UMA JORNADA E MANIFESTAÇÃO DE LUTA, CONTRA A PRECARIEDADE E INJUSTIÇA, QUE QUEREM INSTAURAR NO VALE DA SERRA D´ARGA!

POR LANHESES TUDO! CONTRA LANHESES NADA!


domingo, 10 de julho de 2011

A Granja engalanou-se para prestar homenagem e venerar a Sr.ª do Minho.

Em dia de Peregrinação Diocesana à Sr.a do Minho, a Granja, engalanou-se para ver passar a Santa em direcção à Serra D´Arga, onde no seu planalto se situa o Santuáro em sua homenagem e para sua veneração. Os populares do referido lugar, prestaram-se a engalanar a EN305, com flores e bandeirinhas à mistura, manifestando a sua fé e crenças religiosas assim como a profunda devoção para com a Senhora, que na mão esquerda carrega Espigas de Milho e "Orgulhosa" enverga fato à Lavradeira, uma profunda alusão às gentes do Alto Minho, das quais é Protectora!









O desfile do andor que transporta a imagem da Senhora, colocado no topo de um carro dos Bombeiros, saíu da Igreja de São Bento da Porta Aberta em Cossourado, Paredes de Coura; percorrendo várias localidades até que em Lanheses, ao cortejo se juntará o Bispo da Diocese de Viana do Castelo, D. Anacleto e, seguirão a sua marcha até ao alto do planalto, com o nome da Senhora e após, Eucaristia e Veneração Lhe será prestada.





Esta é umas da mais genuínas e tipicas Peregrinações que ocorrem anualmente no Alto Minho, onde os fiéis, veneram a sua Protectora, a Sr.ª do Minho.