Páginas

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Assim me despeço de Janeiro...

Com uma sequência de imagens me despeço de Janeiro, mês predominante e anormalmente seco, em que estamos a passar por um periodo a roçar níveis de seca extrema com a ausência da chuva, que por estas alturas muita falta faz; mesmo que por vezes muito incomode!






Fevereiro, aí está à porta...cedo chegará o tempo da folia e dos excessos, em breve será Carnaval!

Como o tempo passa depressa e a voar!


Um olhar pertubador...

Ao passear-me de bicicleta pela veiga na companhia dos meus peludos senti que alguém me espiava descaradamente...

Detive-me longamente em frente ao individuo, que não disse uma palavra mas ficou ali estático e mudo fitando a minha personagem, com ar de quem zomba de alguém (risos). Estou a brincar!

 Há coisas engraçadas e a Natureza está recheada de muitas delas. No sentido Lanheses-Fontão, pelo caminho da veiga, agora Ecovia também; ocorre uma árvore (um Carvalho) que é realmente caricato, mesmo junto ao dito caminho. O seu tronco decepado de alguns ramos e com dois nódulos na casca bem demarcados, dão-nos a percepção de que a dita árvore tem um rosto, nos mira e, parece até que sorri...de nós, ou para nós!



 
É um daqueles acontecimentos curiosos com que a Mãe Natureza nos brinda e se calhar, quando passar por ali das próximas vezes, vou levar um chapéu, para quando cruzar com tão ilustre habitante lhe retirar o mesmo com uma vénia e desejar um simpático - Boa tarde- ou - Bom dia- consoante o caso! (risos)


Vem aí muito frio.

A Europa está enregelada e a bater o dente, tanto é o frio que se faz sentir. O anticiclone do norte da Europa está a condicionar o tempo pelas mais diversas áreas do continente e na Sibéria as temperaturas desceram aos 50º negativos. Mesmo os Russos, que estão habituados a tempo muito frio estão a sentir na pele o súbito descer das temperaturas para níveis anormais aos que ocorrem normalmente nesta época, sempre baixos, mas não tanto! Vários países já contam o elevado número de mortes que têm ocorrido, por este motivo.

Esta vaga de frio que vem da Sibéria, ou seja do nordeste da Rússia está a atingir diversos países do nosso continente e Portugal, bem no sudoeste, não escapará a esta condicionante. Segundo avisos do IM (Instituto de Meteorologia) a partir de Sexta-feira as temperaturas descerão considerávelmente na ordem dos seis graus centígrados e vários conselhos têm vindo a ser divulgados. Espera-se geada forte e queda de neve acima dos 300/600mts de altitude (uma cota muito baixa, convenhamos) ou seja muito, muito frio! Alguns conselhos são: o acréscimo de uso de roupas mais resguardantes e em maior número, evitar a exposição prolongada a correntes frias e muito cuidado em casa com os aquecimentos a lenha por causa dos níveis de monóxido de carbono.

Vamos todos bater o dentinho, por isso se pede muita cautela.

Prevê-se uma melhoria significativa das condições atmosféricas lá para dia 7 de Fevereiro, com o mercúrio dos termómetros a aumentar na escala da temperatura do ar.

Fica o alerta, para quem lho interesse, aqui no blogue!

Será que vamos ter um manto branco em Lanheses? Pela proximidade ao Oceano tenho muitas dúvidas que isso ocorra, talvez quem sabe, à semelhança de Janeiro de 2010, a Sr.ª do Minho pelo menos, fique alguns dias coberta por um branco manto de neve!


Caso interesse deixo aqui o link do site "Earthcam", onde se podem ver várias cidades europeias cobertas por um manto branco. Desfrutem!


EarthCam - Webcam Network



segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

"O Último Segredo" - Sugestão de leitura.

Perdido um pouco na carrada de bons livros com que fui agraciado pela época natalícia, este mês, não poderia deixar de sugerir mais um bom livro dos que me ofereceram por essa altura, de um muito conhecido e ilustre jornalista português e do qual sou leitor confesso. Aprecio a sua escrita simples mas muito directa e concisa, assim como as belas narrativas que com extremo primor consegue desenvolver. Falo de José Rodrigues dos Santos (quem não conhece) e do seu ultimo livro - O Último Segredo.

Através dos personagens Tomás Noronha o criptanalista e de Valentina uma investigadora italiana, que juntos investigarão uma série de crimes muito semelhantes entre si mas que ocorrem em dispares lugares da Europa e do Médio Oriente; JRS consegue com mestria, levar-nos como quase por magia, a vários locais do planeta, desde Itália à Irlanda, passando pela Bulgária até Israel e questionando como pano de fundo a verdadeira identidade de Jesus, o Nazareno. Neste livro JRS desvenda-nos os mistérios que encerra esse livro que é a Bíblia e a verdadeira identidade de Jesus. Polémico, claro.
A Igreja Católica prontamente se insurgiu contra esta narrativa em tom muito depreciativo e a roçar a má educação, ao que o autor (capacidade digna só dos mais inteligentes) respondeu com uma palativa lucidez psíquica, afirmando que tudo o que escreve está devidamente documentado, achando estranho a Igreja só criticar  e não contrapor devidamente as teorias que apresenta, com factos reais!

O livro é de fácil leitura e cativa-nos desde as primeiras linhas. Eu precisei somente de duas noites, divididas em dois períodos de mais ou menos, cinco horas, para devorar as cerca de quase 600 páginas de aventura e explicações históricas que compõem o mesmo.

É DELICIOSO LÊ-LO!!!

Não me vou alongar em considerações acerca de se o que está escrito é ou não verdade. A cada cabeça sua sentença, mas, que posso afirmar que a ideia de fundo do livro tem toda uma lógica, lá isso tem.


Recomendo vivamente a sua leitura, quanto mais não seja para nos perguntarmos se realmente fomos ou não enganados e o continuamos ou não a ser? Todo aquele que nunca se questiona, morrerá certamente na ignorância!!!

Boas leituras! E neste caso, bons pensamentos e reflexões...o livro, se o lerem, a isso os levará!




Morrer só!

Uma das coisas boas que se tem quando temos um blogue, que é quase como termos um diário, ou uma espécie do mesmo, mas em versão moderna; é precisamente podermos escrever sobre as mais variadíssimas matérias que nos venham à lembrança, tentando seguir sempre os limites da racionalidade e do bom gosto (há quem não se importe com isso, eu importo-me) e dar azo a pensamentos, considerações e debates. É delicioso pôr as pessoas a discutir as mais variadas matérias!

Um dos temas que nos últimos dias tem ferido a minha sensibilidade enquanto pessoa, que sabe que, se a lei da vida se concretizar na sua plenitude, chegará a velha; é o facto de muito repetidamente nos chegarem a um ritmo preocupante, notícias pela comunicação social, do elevado número de idosos que têm vindo a falecer sós e "abandonados" nos seus lares.

É certo que muitos têm mau feitio! Não querem aderir a uma instituição que trate deles, ou até não possam por motivos económicos fazê-lo! Outros, e esses é que me preocupam, são literalmente abandonados pelos familiares mais próximos, alguns com filhos (era incapaz de o fazer aos meus Pais) que pura e simplesmente pelos mais variados motivos, sendo um deles e se calhar o maior, puro egoísmo (a nossa vida e os nossos problemas são mais importantes que o dos outros), desligam-se totalmente dos seus familiares! Dos seus idosos!

É preciso entender que, se estamos cá, é porque alguém fez alguma coisa por isso, alguém já trabalhou anos a fio para que vida em nós vingasse com extremo sucesso e que enquanto éramos uns putos irresponsáveis, um género de inútil que mais cedo ou mais tarde a sociedade lhe exigirá o pagamento da factura pelos anos de inactividade, outros, os que hoje são velhos, faziam um país e trabalhavam para isso e por nós!

Tremenda demonstração da célebre ingratidão humana!

Tenho pena que num país inserido na Europa, o continente do Iluminismo e da Razão, o Século das Luzes, de Voltaire (não gosto nada deste, um presunçoso), de Kant, Hegel e Rousseau (o meu favorito dos Iluministas); nos cheguem a um ritmo preocupante notícias de idosos encontrados mortos em casa, alguns cadáveres há já muitos dias e até semanas, ou como aquela senhora em Lisboa...anos...isto a mim assombra-me e deixa-me preocupado. Eu que até nem tenho filhos e quis a natureza que não os venha a ter, deixa-me apreensivo, imaginar como será a minha vida de "velho" daqui a uns anos! Quem me amparará!?! Quem me mimará quando me sentir carente!?! Quem me levará ao Hospital quando o corpo pedir tratamentos!?! Quem...???  A companheira de vida estará comigo e claro mimar-me-à (acho eu), mas...e se ela me falta...ou pelo contrário, se lhe falto eu a ela? Como será!

Estas novas gerações não mostram respeito por nada nem por ninguém, pautam-se pela falta de valores e por vezes de inteligência e aprendem somente a viver em stress movidos pelo dinheiro. Coitados, é o que lhes ensinam hoje em dia. Aliás, os governantes de hoje (não falo somente do governo vigente) também ajudam muito a isso, pois não pautam as suas governações pelo incutir de respeito e admiração pelos mais velhos, basta ver que Portugal é um País que nem a sua história sabe respeitar! E que futuro será o daqueles que nada aprendem com o seu passado??? Que futuro!!!

Sendo ainda por cima, Portugal, um país de gerações envelhecidas...


Por tudo isto e perplexo me pergunto o que será do meu futuro como velho neste país? Haja nessa altura alguém que me admire e acarinhe para que possa pelo menos morrer em paz e nunca, nunca, morrer só! A solidão, quando acometida pelo próprio, é a arma dos incautos e incapazes, porque a verdade é só uma; precisamos todos uns dos outros, desde o médico ao pedreiro, do professor ao sapateiro e certamente será de uma brutalidade sem par, morrer só e abandonado! A solidão por abandono, é pura crueldade!

Eu, tendo noção que não quero ficar só, quero alguém que me ampare em velho...antes de se me fecharem os olhos para sempre e adormecer...




domingo, 29 de janeiro de 2012

O Amor...

Os opostos atraem-se, a química ocorre, o amor acontece e num remoinho de sensações, qual ciclone que nos envolve, ventos a zurzir, a chama da paixão a florir, dois seres que se amam e a si se entregaram!

NÃO! Não estou louco! Nem tão pouco falo de mim ou de alguém em particular que conheça! Falo do casal que se vem enamorando e cortejando no alto da chaminé do edifício da antiga casa do povo, em Lanheses.

Falo da "Dª Eulália e do Sr. Lima" (epítetos retirados do blogue amigo do DoLethes), que estáticos, no alto da referida chaminé se vão entregando ao fabuloso jogo da sedução, deixam a química fluir e a natureza ordenar que a propagação da espécie continue...






Lá no alto, bem altinho
Plumas, penas, chama branca,
o amor aí vem devagarinho
uma chama pura, que se alavanca.

Estáticos, belos e esguios
no horizonte da paisagem
entrelaçados em cremosos fios
na chaminé, que doce imagem...

O amor nos céus e por aqui,
é chama e fogo que acontece
é corpo que, se chama a si

É um amor que floresce.
Duas Cegonhas que belas, vi
Em doce nuvem, bem celeste!


(do autor Sérgio Moreira)




sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Dois vídeos!

Apreciando a natureza, o som da passarada e passeando pela veiga.
 (Dois pequenos vídeos).





Experiência com tecnologia android, portanto um pouco verde ainda, mas, fica a publicitação da nossa aldeia! Facto mais importante!



Praga. Um desabafo!

Hoje é dia 27 de Janeiro. Até aqui nada de novo! Mas, faz hoje precisamente um mês, que chegava a uma das capitais mais fabulosas que até hoje conheci, Praga. Capital da República Checa! Estava aqui sentado no calor da minha sala revendo todas as fotografias e vídeos que tirei nesta cidade e decidi publicar no blogue este desabafo, porque realmente, sinto saudades de Praga. Se calhar por (na altura) estar em gozo de férias e deixar-me fluir pelo "dolce fare niente", pelo calor do quarto de hotel, pelas qualidades gastronómicas de que a cozinha tipica checa goza, pelos vinhos fervidos, pela alegria de viver destas gentes que habitam um país gelado e se pavoneiam pelas ruas e esplanadas dos cafés da cidade, pelo extremo ambiente culto que se vive nesta cidade onde reina a música clássica e o jazz, onde os museus são quase todos grátis de entrada e estão abertos a toda a hora, onde as pessoas desfrutam dos transportes públicos (os tróleis, alguns memória do tempo do Pacto de Varsóvia) e da bicicleta e fundamentalmente do romantismo arquitectónico que as fachadas dos prédios e monumentos em Praga, nos transmitem!

Uma cidade linda! Romantica e que transpira cultura! Ora, para seguir para Praga apanhei o avião em Lisboa, na Portela e claro tive de seguir na segunda circular para lá chegar! Fazendo a comparação, entre ambos os locais, que diferença abismal! Lisboa, a capital do nosso país, cidade luminosa e bela é certo, mas que mostra precisamente porque temos nós uma divida externa tão avultada e em contrário comparando com os checos que têm a divida bem controlada e nem sequer aceitaram aderir à moeda única, mesmo que estejam integrados na UE.

Lisboa (a nova Lisboa) transmite a irresponsabilidade latina aos olhos de quem a aprecia! Construcções sem nexo, em altura, de todos os tamanhos e feitios, vias rápidas que se cruzam incessantemente, muitos quilómetros paralelos de asfalto (inexplicavelmente), dois mamarachos de cada lado da 2ª circular (uma ignóbil e de mau gosto ode ao betão em forma de estádios de futebol), milhares de carros caríssimos a circular furiosos em demanda nem sei de quê, gente apressada e stressada; enfim um péssimo retrato de um país que não tem um rumo definido! É isto que Lisboa nos transmite! É por isto que Portugal está a passar!

Em comparação os checos, mostram-se perfeitamente conhecedores e senhores do seu destino e das suas tradições, sentem orgulho nelas e não tentarão mudá-las de certeza, porque nota-se, é um povo que se sente bem com aquilo que tem! E tem muito para oferecer ao turista que na ignorância chega ao seu país e fica atónito com tanta simplicidade, mas ao mesmo tempo com tão bom gosto e tradição!

Praga, capital de uma cultura invejável, onde não abundam os carros de luxo comprados a crédito, nem tão pouco os estádios de futebol, apenas o sorriso estampado no rosto dos seus habitantes porque nesta cidade se vive...bem...

Se calhar estarão alguns a pensar - então se gostas tanto vai para lá! - não, não se trata disso, trata-se tão somente de conseguir admirar aqueles que foram governados com mão de ferro (a tal doutrina política tantas vezes criticada) lhes moldou o espirito e os impede de entrar em devaneios! Resultado? São senhores do seu destino...


Valha-nos a nós (quando desembarcamos em Lisboa, sentimos isso) o Sol e o calor que usufruímos anualmente, por viver no sudoeste da Europa...se calhar o mesmo calor que nos toldou as ideias!




















O desabafo está feito! Sinto saudades de Praga!



quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Nascer do Sol em Lanheses.

A vida de trabalhador não se pauta somente por dissabores, obrigações e muita canseira. Há que saber aproveitar aqueles momentos belos que a vida nos traz e por vezes, sem que reparemos, estão mesmo ali ao lado num piscar de olhos, mais atento.

Foi o que me aconteceu hoje de manhãzinha, um daqueles belos momentos quando me arranjava e preparava para sair de casa para trabalhar. Abrindo os estores, reparei que o Sol estava a nascer por trás dos montes de Geraz e começava a derreter a geada que de noite foi caindo e se foi depositando nos campos em redor de minha casa.

Corri ao andar de baixo peguei no ANDROID (propositadamente para fazer a experiência) e consegui, de novo no andar de cima, sacar duas belas fotografias do início do dia em Lanheses!

Gostava de as partilhar com vocês, leitores do blogue e para isso as posto em seguida. 



Duas imagens gélidas de Lanheses!


Apesar do frio que se tem feito sentir nos últimos tempos; motivado pela estranha ausência de chuva, que neste mês de Janeiro praticamente não se fez sentir (já há graves alertas de níveis de seca por quem de direito); não haja dúvidas que o amanhecer em Lanheses é tão ou mais belo que o ocaso, mesmo com a paisagem branca e gelada, próprias da estação do ano que vivemos, o Inverno!

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Biblioteca itinerante.

Desde que me mudei para Lanheses, sempre houve um facto que nunca consegui ignorar, aliás, até me deu muito prazer, reparar que para estes lados ainda é um acontecimento perfeitamente normal. Falo como o tema diz da Biblioteca itinerante.

Em conversa com a minha esposa, natural de Lanheses, descobri que desde há muitos anos a esta parte a Biblioteca Itinerante tem vindo regularmente a parar por estas bandas, tendo em vista o "mui" nobre intuito de promover a leitura e o livro. Desconheço no entanto a periodicidade com que passa por Lanheses, se mensalmente, se por trimestre ou outra modalidade até! Desconheço.

No entanto, apraz-me saber que a mesma contínua a passar por Lanheses regularmente e que algumas pessoas a continuam a utilizar. Eu não a utilizo, porque prefiro continuar a comprar livros; pois sou do género de pessoa que gosta de ler um livro e revê-lo várias vezes, sempre que a consciência o exige, assim como mantê-lo e criar uma generosa biblioteca particular, mas também tenho noção que muitos ainda continuam a utilizar este serviço. 

A Biblioteca Itinerante foi uma ideia original da Fundação Calouste Gulbenkian, criada em 1958 (extinta em 2002, vide excelente artigo na Wikipédia) de modo a levar os livros a tanta e tanta gente que por vários motivos se mantinha afastada deles e do conhecimento. Quem não se lembra daquelas carrinhas Citroên pejadas de livros que regularmente percorriam as estradas das aldeias de Portugal!



Tempos muito saudosos!

Tudo finda! É uma pena! Felizmente as autarquias nacionais aderiram a esta ideia e hoje são as edilidades dos vários municípios portugueses que promovem a leitura de livros com as suas Bibliotecas Itinerantes. Viana do Castelo e muito bem, não faz excepção!

A que nos visita regularmente, pertence à edilidade Vianense como comprovam as fotografias que lhe tirei e estaciona agora [já a vi anteriormente, muitas vezes na Feira], junto às instalações da Junta de Freguesia da nossa aldeia, na parte das traseiras. 






Aqui fica a informação, para quem lho interesse e votos de muitas e boas leituras. Porque, um livro para além de ser um amigo é uma porta aberta ao conhecimento e à sabedoria!


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Artigo de Jornal.

Em dias que não se fala de outra coisa que não os rendimentos do Sr. Presidente da República, o tal que precisa de ajuda para suportar as despesas mensais, pois, a sua paupérrima reforma não lhe chega, de todo; ocorreu-me publicar no blogue um texto de um Jurista cujas crónicas gosto de ler e que chama a atenção para uma geração, toda ela sacrificada, perante a ineficiência de muitos.

Presumo que muitos se venham a rever nas palavras de Pedro Lomba e tenho a certeza, que pelo menos um, não se reverá nestas mesmas palavras...nem vale a pena citar nomes, não é!

Cá fica.


Para pura reflexão. Nada mais!

domingo, 22 de janeiro de 2012

Uma imagem.

Consegui fazer uma pequena brincadeira com uma imagem que tirei de Lanheses vista do caminho do rio e vou postá-la aqui neste tópico. Maravilhas da tecnologia ANDROID em que podemos brincar com a imagem e pôr à prova a nostalgia; pelo menos neste caso especifico...


Depois de pronta, a mim deu-me a sensação de estarmos algures nos anos setenta; quando observo esta imagem e, pergunto-me como seria Lanheses e a vida na aldeia, nesses tempos idos, em que era um menino?

Quem quiser partilhar aquilo de que se lembra da aldeia nos idos anos da década de setenta (ou de outras), não se acanhe e partilhe neste tópico as suas lembranças, que espero, sejam bem doces e agradáveis!

Este é um convite explícito do blogue, à nostalgia!



sábado, 21 de janeiro de 2012

Caminhando pela aldeia.

Caminhar pelas ruelas da nossa aldeia é uma das sensações mais agradáveis de que podemos desfrutar, nestes tempos modernos, governados pelo stress e preocupações constantes!

Mais um Sábado que passa destas nossas vidinhas e caminhando pela aldeia, ao som das badaladas do sino da Igreja Paroquial, apreciando a paisagem e o casario Lanhesense; cumprimentando quem em sentido contrário se nos atravessa no caminho com um amável - Boa tarde- posso afirmar que a minha alma rejubila de felicidade, por, no silêncio desta mesma aldeia, encontrar uma paz de espírito difícil de alcançar em qualquer outra localidade, preenchendo-me este mesmo espírito de calma, de bonança!

Lanheses, bafejada por este Sol invernal, ainda se torna, mais doce, mais bucólica, muito mais agradável aos sentidos! Dou por muitíssimo bem empregues as horas que dedico ao passeio diário com os meus peludos, porque se ao corpo não lhe acontece (é a lei da natureza), o cérebro esse, embebido em todas as sensações que Lanheses lhe transmite, ganha anos de vida...









A beleza desta aldeia, deixa-me rendido, deixa-me cativo no emaranhado que os sentidos conseguem descortinar...

Lanheses, continua bela e ao mesmo tempo singela...



O fim das touradas.

Mahatma Gandhi, a grande alma em indiano, disse um dia a seguinte máxima e passo a citar: "A grandeza de uma nação vê-se na forma como trata os seus animais."

Nada mais simples. E não subestimemos a sabedoria de um homem simples, mas que foi um dos mais influentes e notáveis entre tantos, no século passado. Com a sua filosofia de não-violência conseguiu libertar um dos mais fabulosos países do mundo, a Índia, do jugo inglês!

Começo este tópico, precisamente com as palavras deste sábio, porque no Parlamento Nacional, uma petição que pedia uma votação em prol da abolição definitiva das corridas de touros em Portugal, não foi aprovada. Uma petição que reuniu três mil assinaturas a mais das necessárias para pôr aqueles nomeados por nós (deputados), a trabalhar em favor daquilo que queremos, seja ou não, decidido. Aliás, uma das pouquíssimas vezes em que a Democracia funciona neste país! Por isso tenho um gostinho especial por "Petições"!

Este é um dos temas que mais divide a sociedade portuguesa e milhentos debates se têm realizado em prol desta causa. Os argumentos para que a citada petição tenha sido rejeitada são de todo falaciosos e espantei-me realmente com ilustres deputados(as) que continuam a encarar a barbárie que ocorre entre tábuas, como espectáculo de cariz cultural. Quer dizer, torturar um animal, torna-se um espectáculo para o pequenino cérebro destes pensadores(as). E não me venham com o argumento que sem as touradas o Touro Bravo se extinguirá ou que faz parte da nossa tradição, ou que sem elas o Cavalo Lusitano entrará em forte declínio; blá blá blá, blá blá blá...É tortura e da grande, ainda por cima para gáudio das massas! Mais a mais é um espectáculo deprimente e repetitivo! Seis Touros lidados na arena,  repetitivamente! "Meia dúzia" de homens com vestes amaricadas montados a cavalo ou a pé, espetando farpas num desgraçado de um animal que não sabe ao que vai e nem entende porque lhe estão a infligir tamanha dor! Deprimente e covarde, é o que a tourada é! E a chamada PEGA...muito garbosa...não haja dúvidas! Um individuo vestido de campino rodeado pelos compinchas, aos berros, à espera de ser acossado por um animal ensanguentado, com o corpo ardendo em dor pelas várias farpas espetadas no cachaço, cansado e confuso, que já nem força tem para rebentar com "meia dúzia" de cobardolas que se preparam para pegá-lo! Eu sei que é enervante para quem lê estas linhas e gosta de tourada, ler algo semelhante, mas a realidade é mesmo esta, é tortura e cobardia! Os últimos actos bárbaros cometidos em animais na arena para gáudio das massas ocorreu, se a memória não me falha, a um ritmo como o das modernas touradas, nos tempos do Coliseu de Roma e do Império Romano, onde o sangue em catadupa era espectáculo! Tempos onde nem sequer se imaginava discutirem-se direitos humanos e tão pouco direitos dos animais! Tempos bárbaros! Imaginem que a Igreja Católica, instaurava de novo a tradição das Inquisições, o Santo Ofício? Era uma tradição! Porque não mantê-la! Ou reavivá-la! Podem achar a comparação parva ou descabida, mas, não deixa de ser lógica! Claro, ninguém agora se lembraria de queimar seres humanos na fogueira, mas no que toca a direitos dos animais, isso já é outra matéria! Continuam-se a ignorá-los e a desrespeitar seres, que têm tanto direito como o nosso a uma vida sã e livre de maus tratos ou punições! 

Viana do Castelo, a par com a província da Catalunha na vizinha tierra de nuestros hermanos onde a tradição tauromáquica excede em tudo a nossa; deu um grande exemplo de civismo e inteligência ao definir-se como cidade sem touradas! Este número deprimente era figura constante no cartaz da Romaria das Romarias, a Sr.ª da Agonia. Feliz e sabiamente foi abolido! Deveria o nosso parlamento ter tomado a mesma iniciativa e aos olhos do mundo teríamos certamente mostrado uma atitude digna e grande, tal qual Gandhi defendia, conseguindo até a admiração de muitos povos que de momento olhem tão e somente para nós portugueses, com olhar reprovador! Os nosso políticos continuam apostados em denegrir a imagem de um país, que de todo é real!

No parlamento apresentaram-se vários argumentos, desde o argumento de que é matéria que respeita a liberdade individual de cada um, segundo palavras da deputada Isilda Aguincha (PSD); Gabriela Canavilhas (PS) que em tempos liderou o extinto Ministério da Cultura, ignorantemente defende que é uma manifestação cultural inequívoca, que leva às praças 900 mil pessoas e mais de três milhões a festas taurinas e por não ter sido introduzida por decreto, não pode por outro ser abolida; espantei-me ao ver o partido ecologista Os Verdes através de Heloísa Apolónia, pronunciarem-se somente na defesa de ser rotulado como espectáculo violento (esta é engraçada, se é violento, que raio, então finde-se); o  PCP define como não se devendo incutir uma proibição por lei a nível dos gostos de cada um (ficou liberal de momento o nosso PC) e do CDS-PP sempre a preocupação económica a funcionar, não seja o seu líder um liberal ferrenho adepto das touradas e das festas do cavalo na Golegã, apanágio daqueles que gostam de usar roupinha de marca e cabelinho desgrenhado a cair pelos ombros... o BE continua activamente a defender a abolição das touradas e ao menos, a lançar o debate na Assembleia da República. Eu, que não acredito em ditados, espero que ao menos este um dia funcione...água mole em pedra dura, tanto que bate que até que fura [precisamente como os antigos diziam]...

Fácil! Muito fácil!

Faça-se um referendo! Em Democracia ganham as maiorias e as minorias sujeitam-se à vontade das primeiras...queria ver os cerca de 900 mil aficionados (palavra linda) a votarem SIM, contra os milhões de não aficionados que certamente votariam NÃO! E este até que nem seria um tema muito incómodo para os deputados e deputadas do nosso parlamento, sempre tão avessos a referendos. Outros temas há que são bastante mais sensíveis, tal como a interrupção voluntária da gravidez, por exemplo. Muitos interesses instalados também se manifestam ocultamente pelas paredes da Assembleia e depois, porquê chatearmo-nos com matéria banal? Afinal, em jogo só está a vida de um animal que depois de morto, é somente, carne para canhão...


Por isto e muito mais, continuamos pelos piores motivos a ser olhados por outros povos muito mais civilizados que nós, com depreciação, desconfiança e muito, muito negativamente! Não admira! Ainda há pouco tempo estive na República Checa e ao invés de me convidarem para assistir a uma tourada, variadas pessoas nas ruas me convidavam a assistir a um belo concerto de música, dentro de uma não menos fenomenal e qualquer Igreja...quão diferentes o somos...

O Parlamento prova-o, somos uns bárbaros! Bárbaros, que no poder colocam Bárbaros a governar!
Em conluio com o Parlamento, a barbárie continuará, pelo menos por agora a realizar-se, ciclicamente!


Para mim, a tourada, e é só a minha opinião, vale o que vale, deveria ser catalogada como...crime...

Touro a ser morto com uma adaga, em França! Dedico esta imagem a todos os AFICIONADOS das corridas de touros...que estranha brutalidade!!!


Termino como comecei, com uma citação de Gandhi - Posso ser uma pessoa desprezível, mas quando a verdade fala em mim, sou invencível."




sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Ajudem o Cavaco...

Eu nem lhe vou dar cavaco...as afirmações prestadas pelo mais alto magistrado da nação, o professor Aníbal Cavaco e Silva são de uma falta de sensibilidade tal, que me merecem o comentário que proferi no início desta frase!

Convém lembrar ao ilustre Presidente que; vitimas de más governações sucessivas, onde o senhor tem um lugar destacado (assim como outros), encontrando-se o país na bancarrota, haverão pensionistas que recebem uma reforma mensal de 600€ e se virão arredados dos seus subsídios de férias e de natal nos próximos anos, em virtude da cura de emagrecimento que o mesmo país necessita, para que saia do atoleiro de dividas em que vocês classe política, o meteram!

Cá fica um link, com acesso às tais declarações do Sr. Presidente da República!



Entretanto posso afirmar que já há uma firma que vende umas t-shirts fabulosas, com um logótipo a condizer de modo a podermos ajudar o conhecido senhor, que afirma; que se não fossem as poupanças de uma vida feitas por ele e pela esposa, a reforma não chegaria para as suas despesas...

Caramba...que falta de oportunidade para se falar num assunto tão delicado! Percebo agora, porque Saramago (Prémio Nobel da Literatura), um dia na TV, quando entrevistado acerca de Cavaco, afirmou que: da boca do dito senhor só saíam banalidades!!!

Quem quiser ajudar, já pode comprar a famosa t-shirt...cá fica a imagem!




"Ajudem o Cavaco a pagar as despesas"

(risos)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Um filme...

Andei uns dias, com uma notável inclinação para trocar de viatura e deparei-me completamente perdido, num daqueles sites de compra e venda de veículos (e não só), pesquisando um destes bens que mais se coadunasse com os meus gostos. Virei e revirei páginas online com milhares deles, de todos os géneros e feitios, enquanto ao mesmo tempo ia vendo uns programinhas de televisão. Ai a nossa televisão, quão má ela anda em termos de qualidade de conteúdos...

Às páginas tantas, eu, que até nem sou pessoa de me interessar pelos repetitivos filmes que passam em horário nobre, fiquei "grudado" no pequeno ecrã, com o filme que passava.  Interessou-me de sobre maneira, o enredo! Através do romance em que um casal se envolve, se possa ao mesmo tempo descrever com extrema genialidade o drama dos acampamentos de refugiados espalhados um pouco por várias regiões remotas, desde África (Etiópia) à Rússia (Chechénia) passando até pelo Cambodja, assim como o drama que é ser-se voluntário para acções de cariz humanitário, numa das muitas ONG´s que existem para amparar os mais desfavorecidos! O que esta gente passa! Eles e os refugiados! Mundo...que sofrimento! Que dor! Tanta e tanta privação! De repente dei por mim a pensar que gostava de fazer parte do número de Homens e Mulheres, que deixam tudo, partem à aventura, com o nobre intuito de socorrer quem realmente precisa de ajuda! Fenomenal!

Era bem capaz de me juntar a eles, mas, preguiçosamente sei que dificilmente conseguirei cortar as amarras com esta "vida de luxo" que levo (sem ser rico), se comparar-me com aqueles que anteriormente descrevi! É triste ser-se egoísta...reconheço...assim como reconheço a preguiça, como um dos sete pecados capitais!

E por este mundo fora há tanta e tanta criança que certamente precisa da minha ajuda...depois do que vi, (e é tão somente um filme) ajudado pelas imagens do filme, que mesmo fictício, não deixa de mostrar uma dolorosa realidade, pergunto-me -o que fazes tu pelo bem estar dos outros?
Nada...
Imperdoável...

Desculpem, mas dói, dói pensar que somos uns egoístas! Dói pensar que a esta hora enquanto escrevo no meu garboso PC, uma criança, um adulto, morre vitima de fome e maus tratos!!! Dói mesmo...

O filme, se é que interessa a alguém, é, "Amor sem Fronteiras" (Beyond Borders), protagonizado por Clive Owen e Angelina Jolie, por sinal dois actores que até nem aprecio mesmo nada, mas que só pelo enredo e a magnífica causa que retrata, vale a pena ser visto e incluído em qualquer vídeoteca caseira.
A tal troca de veículo que se lixe...até é tal atitude, depois de analisar a questão relatada anteriormente...vergonhosa da minha parte!!! Quando comparando-me com a falta de tudo  de que muita desta gente sofre...


A que tenho, continua a servir perfeitamente os meus propósitos! Retiro o meu chapéu a todos os membros das mais variadas ONG.

Para quem ainda desconheça, Organizações Não Governamentais!


quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Calma...

A minha mente precisa de calma. De ócio! Manifestamente, após as notícias do mundo civil português, que têm vindo recentemente a público, preciso é de distrair a mente! Abstrair-me desta condição humana que me foi imposta, nem sei bem por quem(???) e porquê, e, esperar com extrema sapiência, tempos, que a meu ver como trabalhador, não serão nunca melhores!

O novo acordo assinado em Concertação Social, que de Social nada tem; apenas é Empresarial (basta para tal analisá-lo), aí está para que haja incremento da produtividade e melhoria económica do sector empresarial nacional! E uma vez mais para que se lambam as botas aos debochados do FMI! Escusado será dizer, uma vez mais, sempre à custa dos mesmos! Incluo-me na categoria dos "desgraçadinhos do costume"! Os trabalhadores!

O nome do acordo "Histórico", segundo palavras do tal Coelho, vai afundar as aspirações de milhares de famílias portuguesas que apenas vivem do seu salário! Às novas gerações de futuros Portugueses e Portuguesas, só me ocorre uma palavra! Tragédia! Para que mundo vêm vocês, meus queridos! Para que mundo!

Por tudo isto a minha mente precisa de calma, perante a incompreensão do ser humano em se achar tão inteligente (que o é, por isso foi à Lua), mas para outras matérias, se ache tão ineficazmente estúpido! E não alcance a solução, sem o prejuízo de milhões! Ela está bem à vista...

Não será o tópico ideal para tal mas, prefiro deixar uma imagem da nossa aldeia, num pedido mudo e desesperado, por tranquilidade! Que neeeeerrrvos...


Pelo menos na Veiga: ouço os pássaros, converso com o arvoredo, gozo com os meus peludos e não preciso de me incomodar com as típicas "tricas" da espécie humana! Preocupada somente em materialismo económico...custe o que custar...aos mais pobres, aos desfavorecidos e à classe trabalhadora...bem...eles lá estão no poleiro, por alguém lá foram colocados! Não se toquem é nas reglias dos mais abastados...já têm tão pouco, coitadinhos (risos)!


Razão (continuo a insistir) mesmo caindo no risco de ser considerado um extremista, tinha Otelo...chamem-me louco! Mais cedo ou mais tarde, cairá a imagem, de que estava certo!


segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O Lima a serpentear!

Imagem do Lima em Lanheses, serpenteando as margens. Tudo em tons de um azulado que a bruma traz devagarinho pelo ar, quando a Este a Lua vem surgindo na linha do horizonte e a Oeste o Sol de vai pondo!



Estático, imiscuído com a Natureza, reina o silêncio por entre a bruma e as águas correm céleres em direcção ao seu destino final, o mar!

Isto é Lanheses...




sábado, 14 de janeiro de 2012

Uma imagem para o Fim-de-semana!

Deixo aqui no blogue, uma imagem para o Fim-de-semana, de mais um daqueles deliciosos Pôr-do-Sol sacada na Veiga com a famosíssima Ponte sobre o rio Lima como cenário e o Sol de Inverno, em pano de fundo, a abrilhantar...




Um registo doce e melancólico, da aldeia que se prepara, para ao fim de cinco dias de trabalho, descansar!