Páginas

sábado, 30 de junho de 2012

Video Games.

Nesta onda de melancolia que me invadiu o espírito, termino as publicações aqui no blogue neste mês de Junho, com um video e uma canção. "Video Games" entoado por Lana del Rey (que bela voz e belo tema) e que tão deliciosamente bem, está a povoar a minha alma com estranhas divagações mas ao mesmo tempo com ternos pensamentos, enquanto com os olhos perdidos na abóbada celeste nocturna, miro com complacência as estrelas e o arvoredo em redor de minha casa!




Mesmo contendo imagens patéticas e de um país em crise (ohhhh América...) o seu refrão e melodia fomentam em mim a melancolia, que por vezes tanto aprecio, quando estou só!





sexta-feira, 29 de junho de 2012

Cimeira Rio+20...

Hoje, estive no meu local de trabalho numa reunião onde se analisaram os resultados do grupo, investimentos, ganhos, perdas, modos de preparar e encarar o futuro e alguns outros items inerentes ao funcionamento da empresa entre eles investimentos referentes ao ambiente e qualidade ambiental. Passadas algumas horas dessa reunião dou por mim, sentado na esplanada de trás de minha casa enquanto conspurco os meus belos pulmões com mais uma cigarrada, a pensar, por um lado que quem detém uma grande empresa tem nos próximos anos desafios avultadíssimos para enfrentar no que toca à questão ambiental, mas ao mesmo tempo, dou por mim a pensar na Cimeira de Chefes de Estado que decorreu na capital do Brasil, Rio de Janeiro, Rio+20, tendo em vista a concertação entre os vários Estados para que se atinja uma solução a médio prazo nos próximos anos tendo em vista a conservação deste planeta que é o único que temos para habitar! Dou então por mim a pensar, logo em primeiríssimo lugar, de que não adianta de nada andarmos aqui com loucos sonhos de povoar Marte e outros planetas, de modo a termos uma tábua de salvação e uma desculpa, para que possamos em uníssono destruir na totalidade, um já de si  pré-destruído planeta, como este, a Terra. Em segundo, dou por mim a pensar na falta de coragem, ética e correcção de carácter, dos mais variados governantes mundiais!

Na empresa onde trabalho fizeram-se avultados investimentos em termos de tecnologia que combate e previne a poluição e consultando documentos vários, tenho a saborosa certificação de que trabalho numa empresa que tenta preservar o bem estar de todos assumida e comprovadamente com o meio ambiente que a rodeia. Fico feliz e até gratificado! Mas também o sei, lá no fundo,  que somente o faz porque, por de trás de toda esta "preocupação ambiental" existe legislação que a isso a obriga e é a este ponto que quero chegar. Se alguns poucos não obrigassem com as suas acções a que outros legislem, então, isto seria já, um regabofe total! A Cimeira do Rio+20, procurou que os líderes estatais chegassem a acordos e concensos no que toca à preservação ambiental! Não chegaram e, apesar desses mesmos líderes afirmarem com largo sorriso estampado no rosto de que esta fora uma grande vitória para o ser humano e para a Terra, apostados num crescimento sustentado (ridículo, sempre o mesmíssimo argumento), outros reconhecem (pelo menos as sociedades civis que participaram pela pimeira vez) que esta Cimeira resultou num rotundo fracasso! E é esta estranha dicotomia, entre poder/dinheiro versus ambiente, que me deixa triste ao perceber que não existe a menor vontade política para que algo mude! Os mais pobres continuam a pedir mais riqueza e ajuda, os países emergentes querem agora ter voto na matéria uma vez que tiveram o tempo que pediam para crescer e agora que o fizeram, exigem, afirmando-se até como potências, por outro lado, os grandes donos deste infeliz planeta, acenam estóica e simpáticamente a todos com um cínico "sim", mas por trás viram as costas às reuniões e fica tudo na gaveta bem guardadinho, aguardando com paciência infinita que nenhum "anárquico ambientalista" daqueles chatos do costume, se lembre de tocar na questão novamente! E Wall Street continue a reinar...

A empresa onde laboro fez avultados investimentos no que toca a preservação ambiental porque a isso é obrigada por lei (rígida) e por estar localizada num continente que tenta respeitar o apelo que as sociedades vão fazendo em poupar e preparar devidamente o planeta para as gerações vindouras! Se estivesse localizada nos EUA ou na China, já não teria de fazer investimento nenhum (imaginem lá o lucro), ou pelo menos tão rigoroso e avultado, como os que fez! Isto não está certo e é até, uma luta desigual, estes países e alguns outros mais, continuam a negar os graves problemas que a Terra enfrenta por pura ganância e estúpida sede de poder! No Rio nada ficou decidido e presumo que estas Cimeiras tendam a deixar de lado os líderes estatais (e muito bem), muitas vezes corrompidos à partida por dinheiro, pelos lobbys e interesses instalados de cada grupo económico que nunca na vida chegarão à tão ansiada resposta solicitada por nós, cidadãos deste mundo e pertença às já citadas sociedades civis que lutam para que a Terra se salve! O que muito sinceramente, não acredito! Peço desculpa pelo meu pessimismo!

A Rio+20 para mim, analisando a Cimeira, resultou como já referi anteriormente, num rotundo fracasso; não houve medidas para que se adoptasse uma verdadeira economia verde, fracassou a criação de uma agência nas Nações Unidas para o ambiente e vários pequenos (grandes) compromissos falharam! A luta, portanto, vai continuar a ser desigual e quem perde? Todos nós claro e principalmente os nossos filhos e netos...as gerações vindouras...o futuro!

Resta-me a consolação de que ao mesmo tempo se realizou a Cimeira das Sociedades Civis na Cúpula dos Povos em que as diversas sociedades civis apelam aos governantes mundiais que ouçam os seus lamentos! Uma regra que tenderá a ser num futuro próximo alvo de decisões importantes e tomada de atitudes em prol deste planeta, mesmo que, já o sei, muitas cabeças venham a rolar!

Dou por mim a pensar nestas matérias enquanto só, miro o céu nocturno, as estrela e as nuvens - Que triste esta condição humana de não conseguir dizer que não ao dinheiro e à ganância desmedida, mesmo que para isso se tenha de caminhar em direcção ao já tão apregoado apocalipse...e com esta atitude levar juntamente no barco das tormentas, biliões de cidadãos anónimos, a uma morte mais que apregoada!

Quando entenderão estes líderes de fato e gravata cinzentos de que a economia existe e foi somente criada, para que ela seja instrumento na promoção do bem estar social e desenvolvimento dos povos e nações, e não o contrário, não serem os povos e nações a servirem e serem escravos da economia?

Eu sei, eu sei...que eles sabem-no muito bem, por ventura até bem melhor que nós, mas, enquanto a doutrina capitalista liberal sem regras e condições castradoras prevalecer...o nosso futuro está severamente comprometido!

E não sejamos egoístas ao pensar - Que se li...Quando isto rebentar já não estarei cá!

E o futuro dos seus filhos onde fica nesta história toda?


Aqui, à noite, enquanto contemplo o céu nocturno vejo as estrelas, penso nos rios e nos mares, nas serras e nos planaltos, penso na cobra e no lagarto, no leão e no tigre, na zebra e no elefante, na rã e no sapo, na andorinha e na cegonha, no grilo e na cigarra, entre outros, e que têm o mesmo direito a existir (sem destruir) neste planeta azul, tal como nós; a tristeza tolda-me o espírito ao pensar na sua inocência e em como bárbaramente desaparecerão de mãos dadas com o ser humano, ou seja, nós!





Nova estrutura no Parque Verde.

Aos pouquinhos se vai compondo a área do Parque Verde com nova estrutura a ser montada, em pedra rústica composta por esteios, para o qual ainda não descortinei o seu fim específico, mas, tendo em conta toda a forma com que esta área foi criada, pensada e edificada, terá certamente efeitos muito úteis para todos quantos desfrutem da mesma e também vem impregnar mais alguma beleza visual a este belo local!




Parte Norte do Parque Verde!


quinta-feira, 28 de junho de 2012

Será um ramo...?

Estava dentro de água refrescando-me do sufocante calor que se fazia sentir na passada Terça-feira, quando os meus olhos se detiveram no fundo do leito do rio, onde uma forma arredondada e escura, mas estática, me chamou a atenção!

-Será um ramo...hummm...estranho...não parece! Comentei com a minha sobrinha que me acompanhava também, nuns quantos mergulhos na água quente do rio.

Fui então investigar e qual não foi o meu espanto ao realizar que o tal estranho ramo, nada tinha que ver com madeira mas antes porém, ser um animal! Um peixe, e um dos mais famosos peixes que habitam as águas do nosso Lima! Uma Lampreia! Não tinha à mão nada com que a fisgasse e num ápice, munido de uma escarpada pedra, lá consegui retirar o dito animal da água! Nada mal! Eu que nunca na vida fui pescador de coisa nenhuma e mal sei o que é um anzol, apenas conhecendo poucos, que via, quando alguns familiares meus aos domingos há muitos e saudosos anos idos, enquanto passávamos o dia em família na "Preguiça" em Santa Marta de Portuzelo, se dedicavam algumas horas a sacar umas quantas Tainhas das águas do Lima por desporto e passatempo; consegui sacar uma Lampreia...eh eh eh...a minha primeira pescaria! Nem precisei de fisgas e de outros utensílios, que a malta destas lides apelida com nomes que nem sei aqui dizer, para sacar tão fenomenal peixe! Obriga-me a sinceridade de caracter a afirmar que a mesma...ui ui...era já cadáver! Estava morta! Achavam mesmo que seria capaz de pescar um peixe desta natureza? Claro que não...nunca fui nem nunca tive o mínimo de jeito para me transformar em pescador! No entanto achei fenomenal este encontro em plena água,  com um peixe dificílimo de visualizar, quando vivo! Poderei presumir que este exemplar escapou às redes e fisgas dos pescadores e deixando a Natureza seguir o seu curso, desovou e depois morreu, tal como é apanágio da sua espécie!


Pousada na erva onde a deixei.


A tipica boca deste ciclóstomo.


Belo exemplar até, não?

Algo enlameada e em início de processo de decomposição, tinha de fotografar este exemplar "pescado", mesmo que de forma caricata, por mim, ! Na mesma zona a uns metros de distância onde deixei este cadáver, repousava inerte também, uma grande e rechonchuda Tainha (presumo que seja esse o nome e peço desculpa se estou enganado) já algo decomposta!




Tarde pródiga em encontros imediatos de primeiro grau com peixes, na margem do Lima!



terça-feira, 26 de junho de 2012

Onde hoje estive bem!

Uma imagem vale mais que mil palavras? Então cá fica ela, resultado do resto de tarde bem passada e onde hoje estive bem, aliás, onde somente, se estava bem!


 



Que fresquinha que estava...



segunda-feira, 25 de junho de 2012

Noites cálidas em Lanheses...

Noites cálidas em Lanheses
também as temos por vezes,
noites como esta, de puro Verão
música no meu coração...
enquanto sondo a escuridão
sentado no divã da minha esplanada
enquanto contemplo a noite, o belo e o nada,
varinha de condão tocada por uma fada...
que em mim faz esboçar um sorriso
um murmúrio, pouco siso
por sentir o quente desta noite,
na pele suor e um açoite
sacudido por breve brisa
que se vem depositar na pele lisa
desnudada de par em par
ao som desta noite, vem comigo, vem amar!

Amar, amar e ser amado
poeta louco e renegado
que em tudo põe rima
e bem explicado,
tal qual a noite que vive agora
e melancólico nesta hora
por já até, sentir saudade...
que noites destas sejam verdade!

Na noite, ao longe, o latir de um cão
e mais o canto de um passarão
e um gri-gri de um senhor grilo
mais o coachar da dona rã,
um miauuuu de um gatinho
muito ao de leve e de mansinho,
o córócócó de um garnisé
que a brisa traz, aqui ao meu pé
e me faz sorrir de novo assim
por uma noite que faz crescer,
ternura em mim...
neste meu ser...

A Araucária de Lanheses, ali em frente
agora fala para mim,
é noite, o céu está claro, e o ar está quente
que bem se está, só, mesmo assim!
E as luzes pálidas dos candeeiros
que são os meus vizinhos aqui na estrada
brotam chama, são fumeiros,
que bela luz alaranjada!
E os montes aqui em meu redor
escuros, rodeando este vale
velam por nós, lhes sinto o fervor
sentinela torpe, lhes equivale!
Vem cá fora, sentar-te ao pé de mim
e troquemos enfim muitos abraços
porque uma noite tão cálida assim
faz-me querer, admirar teus finos traços!
Sob a noite quente e sob as estrelas
que nossas testemunhas de amor serão
como pintores pintando telas
ao som desta tão rica imensidão!


Este retrato pinto em cor
mesmo pintado na noite escura
que belo canto, que grande amor,
que sentimento, quanta ternura,
assim com palavras pinto este quadro
de uma tão quente noite, e aconchegante,
tal como um tema que enquadro
numa tela tão intensa e tão brilhante...

Noites cálidas quem as não tem?
Quem as não viu ou mesmo, as pôde sentir?
Como estas aqui em Lanheses e o coração a reluzir...
Muitos, talvez, ou com certeza,
sentem como eu tamanha beleza...
Quantos as saberão desfrutar?
Com uma rima e a versejar!

Porque uma noite cálida, como esta
faz minha alma, jubilar em festa...

É tarde...
já não há palavras
já não há pincéis
já não há telas
nem textos...
e...os olhos, cedem lentamente
ao sono, e à cálida noite...mas sempre, a eles fiéis!





(do autor Sérgio Moreira)




Ups...silêncio...agacha-te e não espantes esta beleza!!!

Montado na "ginga", atravesso a Avenida Rio Lima, quem vem da zona do posto de observação ambiental e sigo a toda a mecha com os peludos colados à minha traseira em direcção à eira do milheiral onde costumo fazer uns oitos montado na "ginga" e ao mesmo tempo perscruto a lindíssima paisagem em redor...ups...não deu...ginga para o meio do chão...silêncio e não espantes a beleza que posa para ti, pachorrentamente, mesmo ali ao lado num terreno cultivado de milho...

Que maravilha para o olhar...que beleza mais pura!!!












-Não Luna, não vás...ficaaaaa! Não adiantou de nada lá se pôs em fuga, este belo exemplar, corrido pelo peludo mais pequeno! Que pena!

Entretanto o amigo Miguel Oliveira enviou-me por email algumas fotografias por ele tiradas, aos juvenis, que no ninho situado na chaminé do edifício da antiga Casa do Povo e já muito crescidos, vão brincando e treinando os seus afiados bicos, ainda algo negros, numa preparação para a vida! Que precioso auxiliar nele terão para enfrentar os desafios da Natureza! Ao Miguel o meu abraço de agradecimento por se ter lembrado do meu blogue e da minha pessoa!

Obrigado amigo e participa sempre que achares conveniente!

Cá ficam algumas das fotografias enviadas pelo Miguel Oliveira, seleccionadas por mim!


 
















Pormenores de uma fabulosa avifauna que ocorre em Lanheses!



São João...2012!

Após uma tarde passada na borda do rio Lima, junto à sua margem, apanhando uns valentes banhos de Sol e uns quantos mergulhos nas suas águas mais temperadas que o habitual, o programa nocturno estava já traçado e bem delineado!

Deixei a minha moradia por volta das 20.00h na companhia da minha esposa e dirigimo-nos a pé para o Lugar do Sobral onde se celebrava a noite de São João, com arraial a condizer. Pelo caminho não pude deixar de reparar na qualidade e limpeza com que se apresentam os caminhos da aldeia e de repara também, na "Casa Palhares", que servirá o Centro Paroquial/Social de Riba Lima, uma inequívoca prova de grande civismo, a desta família, ao "ceder" este espaço para usufruto e para o bem estar social da comunidade lanhesense!






Chegados ao largo onde se situa a capelinha em honra do Santo que se comemorava e após a obrigatória visita à mesma, chegou a altura da janta e de alinharmos, como todas as outras pessoas, na fila para comprar as respectivas senhas (a modernice chegou a estas festinhas populares) que davam direito ao prato servido de acordo com o escolhido por cada um!

Tenho de ser sincero e detesto intrujices, portanto vou sê-lo, as sardinhas este ano estavam fracas. Sei que estas festas dão imenso trabalho a organizar e enormes canseiras, bastava ver a malta a trabalhar na cozinha improvisada ao ar livre da tasca, ao servirem e prepararem as refeições; mas que não gostei das sardinhas, não gostei. Muito pequenas e com pouca gordura, coisa que não se deseja numa sardinha de São João! No entanto, havia para compor o menu, um soberbo porco no espeto, que estava simplesmente divinal e não vou mentir de novo, enchi a pança de porco e de cerveja, pois, o tinto verde também não é vinho que entre no meu cardápio! E mais a mais, um obrigado ao amigo Mingos, pois em sorte me saiu de novo o rabo do bicharoco, uma das partes do animal que mais prazer me dá digerir! Delicioso...hummmmm!

Daqui em diante o espírito entra na onda de folia que nestas festividades são presença constante e entre conversas com os amigos, muitas fotografias para o blogue, muita sangria (é verdade) e a espera pelos elementos e grupos de marchas que iam desfilar na avenida do largo se foi passando uma noite que foi extremamente divertida! Ficam as fotografias!














































































































































































Foi uma noite de um colorido enorme, muita luz e muita alegria com especial relevo, devo dizê-lo, para a marcha da chamada "terceira idade" que só prova com a sua jovialidade e entusiasmo contagiantes, que, velhos, são os trapos! Lindos e lindas a desfilarem orgulhosos perante os seus conterrâneos! Adorei vê-los, comentário que vem de uma pessoa que com toda a sinceridade afirma sem pudores (afinal gostos não se discutem), nem ser grande apreciador das típicas marchas dos Santos Populares!

Parabéns a eles e elas, pois estavam magníficos!

Para o final, acabou tudo em cantoria, misturada com muita copofonia (como não poderia deixar de ser) à boa maneira alto minhota e ao som de muitas cantigas sempre embaladas pelo som tão nosso e tão característico que sai da concertina!

Já tarde, de madrugada, eram horas de regressar a casa (a pé...ai munnnnddooo) trocando o passo, afinal, festa é festa não é verdade? E convinhamos, serviram uma sangria que estava maravilhosa...


Ó meu rico São Joãozinho
celebrado em Lanheses
ilumina-me para casa, o caminho,
porque já tropeço tantas vezes...

(risos)



Para o ano há mais!