Páginas

segunda-feira, 31 de março de 2014

A GENEROSIDADE DAS PALAVRAS

As palavras generosas serão sempre para o autor do blogue, o pilar, o tremendo alicerce da vida e quando escutadas, generosamente saídas da boca de alguém que nos é próximo e querido, mais consistência e robustez dão a essa mesma vida...

As que abaixo se transcrevem, foram proferidas em pleno jantar dançante, em dois momentos distintos, por alguém que ao SSVSA e ao seu autor muito deu; talvez por isso mereçam figurar em tópico apropriado e esse tópico é mesmo este:



"A enxada, para além de literalmente também ser um símbolo do trabalho operário (que aprecias) e de uma recordação de um dos momentos que ficou marcado entre nós, simbolicamente que te sirva para semear mais amizade, para ajudar a continuar a mexer com a nossa terra, para multiplicar a tua colheita e para  renovar o teu blogue (sementeira) que sempre se adeqúe ao presente, ao futuro, enfim, para que não morra.


Não sei se te disse tudo mas repito para ficar registado. Todos gostamos de ti, pessoas de todas as idades, porque és um homem com muito sentimento, um homem que sente profundamente, um homem bom. Amas a esposa, a família, os amigos, os animais, a natureza, a vida. E adoras transmitir esse amor. E o teu blogue serve principalmente para isso. 
És uma honra para todos os lanhesenses. 

Obrigado"

EzequielVale


Importante combustível para o motor do SSVSA, estas palavras mais alento e ânimo dão para que o seu autor se empenhe neste sonho que começou bem pequenino, mas que muito tem crescido dia-a-dia...



Ao Ezequiel, simplesmente, um forte abraço!



domingo, 30 de março de 2014

FESTIVAL da LAMPREIA.

Entre cantigas acompanhadas pelo som de concertinas tocadas por vários elementos de um grupo de homens, enquanto mesmo ali ao lado, numa mesa tapada por uma toalha manchada de sangue, preso nas mãos de outro homem, um ciclóstomo rodopiava, tentando libertar-se do terrível infortúnio que sobre ele se abatera, sendo esventrado vivo e, pomposamente para as fotografias que estavam a ser tiradas pelos curiosos e apreciadores desta iguaria da cozinha portuguesa, lentamente enfiado no espeto para depois arder em brasa; decorria assim mais um Festival da Lampreia, realizado em Lanheses, desta feita, ao contrário de outras edições e que polémica tem gerado, nomeadamente nas redes sociais, no Largo da Feira, onde sobre tenda montada, durante todo o dia se serviu cozinhado de vários modos, a quem o desejasse, este ciclóstomo de águas doces.


Assadas na brasa!


O autor do blogue não apreciou de todo o tenebroso espectáculo (se é que se pode a isto chamar espectáculo) que é a morte deste animal, nomeadamente o facto de que, enquanto o bicho era amanhado vivo, muitos cantassem em animada "concertinada" outros apreciassem a tortura do animal entre risos e fotografias, disto se fazendo espectáculo, e viu-se na eminência de se retirar dali. 

A morte da lampreia é uma das mais atrozes mortes que ocorrem no reino animal, quando ocorre às mãos do ser humano, sendo este ciclóstomo, consoante o prato a confeccionar, como muitos dos entendidos afirmam, mergulhado em água bem quente embora não a ferver, raspado a faca para que os "lismos" não lhe fiquem colados à pele, por vezes esfolado, vezes há que exemplares são congelados vivos, outras vezes e quase sempre, retalhado com vários golpes e muito mais que nem a memória do autor do blogue aqui quer recordar, tal a violência do fenómeno, sendo que, uma vez mais, citando entendidos na matéria, condição para que se o cozinhe seja a de que o desgraçado do animal esteja vivo!!!

Perdoem a franqueza do autor do blogue, mas realmente incomodado com o que viu e ali assistiu a meio da tarde, não mais lá voltou...

Promovam a iguaria (para quem a acha como tal), promovam a região, mas talvez seja tempo, disso não se fazer espectáculo!


Iº JANTAR DANÇANTE - IIIº aniversário SSVSA

Sessenta e duas pessoas ocuparam ontem à noite o salão privado do restaurante Sonho Azul, localizado na vizinha freguesia de Fontão, para festejarem, juntamente com o autor do blogue, o terceiro aniversário da data de criação desta página virtual. O inicio desta "reunião de amigos" e seguidores do blogue, estava agendado para as 20.00h e assim se cumpriu, com muitos dos lugares das mesas preenchidos por aqueles que se inscreveram para este evento SSVSA.




















































O maior colaborador do blogue, grande amigo, Amaro Rocha.


A presença dela, junto do autor do blogue, será sempre imprescindível...uma das suas maiores riquezas!


Numa noite que se queria especial e, após a degustação das entradas, o autor do blogue, algo nervoso, sempre célere a escrever mas demorado e trémulo a discursar, quando confrontado com grandes multidões, introduziu o jantar, teceu considerações sobre o intuito da organização deste e proferiu palavras de agradecimento a alguns dos que mais particularmente se destacaram, quer no acompanhamento do blogue, quer participando activamente no mesmo, para no final emotivamente evocar os seus familiares, quer os vivos, quer os que já desapareceram do seu convívio. 

Aqui fica redigido o texto com as dedicatórias a todos aqueles que dão um colorido muito especial ao blogue e especialmente à vida pessoal do seu autor.

"Não me quero alongar, mas antes do jantar queria deixar-vos algumas palavras! 
Este jantar comemora os três da existência do SSVSA. Há três anos o blogue iniciava (sem que o seu autor sequer o supusesse, nem tão pouco imaginasse) uma grande viagem, e três anos passados, como muito na minha vida mudou! As amizades, as conquistas, as derrotas, as alegrias, as tristezas, algum reconhecimento...enfim, um sem fim de situações, sentimentos e emoções que fizeram deste espaço virtual um espaço que muitos, dentro e fora de portas, gostam de visitar e comentar. 
Hoje um grupo de amigos comemora essa data, comemora o blogue, comemora a importância que a Internet e as novas tecnologias têm para o povo de uma aldeia perdida nos verdes e belos recantos do alto-Minho, povo sedento de cultura, povo sedento de saber! Optei por não fazer muito alarido e publicidade sobre o jantar e perdoem-me a inconfidência, precisamente de modo a que hoje comigo, estivessem pessoas a mim muito próximas, pelos mais variados motivos, e fundamental, como tudo aquilo que exijo na minha vida, entre ambos, eu e vós, impere a cumplicidade, principalmente hoje à noite, cumplicidade, entre pessoas que se querem bem!
Vou fazer alguns breves agradecimentos que me vejo na eminência de os fazer!
Uma sessão de agradecimentos começa e termina com os mais especiais e o primeiro agradecimento especial que gostava de deixar aqui, nesta noite, nesta reunião de amigos, quase assim a posso chamar, vai para a minha esposa Andreia, nela deposito todo o meu amor, pois sem a sua presença sempre por trás de tudo o que faço, só o simples facto de até poder estar em silêncio, mas a sua presença física ali estar, é sinónimo de que o blogue continua e recomenda-se, a ela uma vez mais agradeço a força que me dá, repito, muitas vezes em silêncio, e as muitas horas que se vê privada da minha presença, quando estou de cabeça acabrunhada no computador! A ela um eterno e muito agradecido marido!
Depois vêm os agradecimentos secundários, mas por serem secundários, não significa que tenham de forçosamente ser menos importantes que os especiais, são-no também muito importantes e vejo agora muitos de vós sentados a olharem para mim,  talvez esperando que cite nomes e, é mesmo assim, vou citá-los. 
Um tremendo agradecimento ao Ezequiel Vale pelos anos de profunda convivência entre ambos, momentos bons, momentos de ansiedade, mas que no final se traduziu numa grande amizade, fomentada pelo respeito, interesse e admiração mútuos. Foram pelo menos, se a memória não me falha, quatro anos, ou mais, de intensa actividade entre eu e um dos homens nesta aldeia que mais deu ao blogue. Prova disso, a sua estimada presença entre nós neste momento tão especial para mim. Jamais esquecerei aquele primeiro convite para pegar na sachola pela primeira vez...

Um tremendo agradecimento ao Hélio Franco, uma das grandes conquistas que conquistei com a realização este blogue, a sua amizade! Foram anos de muito trabalho, de muita camaradagem e pelo que sei e quase todos saberão, continuarão a ser, sempre em prol da freguesia, sempre por Lanheses. Um dos homens mais frenéticos e sempre disponível para abraçar todos os sinos do mundo, mesmo que esse carrilhão seja pesado de mais! Ele entenderá esta minha frase...

Um tremendo agradecimento ao Doro Cunha, um dos mais fervorosos seguidores do blogue e dos passeios SSVSA, outra das minhas grandes conquistas com a realização do blogue, a conquista da sua amizade e do partilhar do tremendo gosto comum pelo belo mundo das viagens e do conhecimento! Deliciosas as horas de conversa entre ambos, ao som de gostosos aperitivos e de borbulhoso champagne, jamais esquecerei a sua amizade. 

Um tremendo agradecimento ao "Rei Artur", Artur Gomes, pela profunda amizade que por ele sinto e que ambos fomos cultivando, o único lanhesense que tem a pachorra suficiente para às duas da madrugada servir ovos cozidos, chouriço e vinho tinto a este homem que agora aqui fala! 

Um tremendo agradecimento ao Filipe Rocha pois juntos começamos (agora) a palmilhar um caminho que se deseja prolífero, onde paute grande camaradagem, muito trabalho e acima de tudo prevaleça a amizade...

Um tremendo agradecimento ao Zé Alberto Amorim pelas horas de deliciosas conversas mantidas nos mais variados locais da aldeia, pela permissão que me deu em conquistar a sua amizade, que se traduz em respeito e admiração mútuos, outro fiel seguidor do SSVSA.

Um tremendo agradecimento ao Amaro Rocha, um dos principais colaboradores do blogue, dono de um acervo fotográfico digno de se postar em espaço apropriado, onde muita da história de Lanheses está documentada pelas fotografias e vídeos que ao longo dos anos tem vindo a realizar e a coleccionar. Foi uma das maiores amizades que tive o privilégio de encetar, com o realizar deste blogue, descobrindo entre ambos, gostos em comum, tais como a música clássica, a fotografia e os pequenos prazeres de uma vida simples.

Um tremendo agradecimento ao amigo Paraíso de Sousa, seguidor atento do blogue, e um dos mais fervorosos participantes nos passeios SSVSA, sempre solícito a ajudar este que aqui fala, preparando as mais variadas matérias culturais para serem lidas ao microfone dos autocarros. Nunca esquecerei a atitude que teve para comigo, quando em momento de muita dor, não abandonou aquilo a que  comigo se tinha comprometido, e isso só é digno de homens grandes! Para mim o amigo é grande!

Um tremendo agradecimento ao Remígio Costa, pelas saborosas horas de conversa sobre os mais variados temas e por principalmente, ser uma espécie de positiva fonte de inspiração para o blogue do qual sou autor, com o seu blogue e dedicação que devota e toda a vida devotou à sua aldeia, Lanheses. Será sempre para mim, uma referência.

Um agradecimento muito especial ao grupo de amigos que conquistei com a realização do SSVSA, Filipe, Esmeralda, Lídia, Ana, Elsa, Mila, Catarina e outros que hoje infelizmente não puderam estar presentes! Vocês trazem à minha vida um colorido muito especial, sem o qual a mesma não teria a mesma alegria, a mesma tonalidade! Sinto-me orgulhoso em merecer a vossa amizade.

Um agradecimento também ele muito especial à minha família lanhesense, à minha querida sogra Rosa, a quem apelido carinhosamente de "Santinha", ambos somos prova de que genro e sogra podem ser muito cúmplices e muito amigos, à minha cunhada Esmeralda, uma espécie de segunda irmã, pela qual sinto profunda amizade e respeito, à minha sobrinha Tatiana, luz dos meus olhos, para mim a filha que a natureza não permitiu que tivesse, à linda Maria, minha afilhada, Rosa Maria e Alex o "berdadeiro portista" há já quase 15 anos a vivermos as peripécias da vida, aos tios Manel e Carma sempre presentes, sempre do meu lado, e aos que já partiram e lembro com saudade, o meu sogro Tino, a bisa Rosa, tios Chico e Maria, para mim, desaparecidos tão cedo da nossa presença. Jamais esquecerei os Natais junto à velha lareira, na casa do Chico Praça!
Termino com os agradecimentos e termino como comecei, com o tal segundo agradecimento especial, aliás muito especial, especialíssimo. Dela herdei o gosto pela escrita, o gosto pela música, herdei um não sei quê de sentido crítico de modo positivista do mundo e das pessoas, assertivo e sempre atento, um agradecimento do fundo do coração à rainha das mães, a minha, para mim, a eterna Julieta. Hoje se vivo estou a ela o devo, hoje se sou feliz é por tê-la comigo! 
Ela é sinónimo de que - Todo o homem que trata a sua mulher como uma princesa, foi certamente educado por uma rainha!!! 
Todos conhecerão (não é segredo) a paixão que tenho pela escrita de José Saramago e um dia o mesmo proferiu a seguinte frase - O homem mais sábio que conheci não sabia ler nem escrever - hoje aqui perante vós faço um agradecimento e homenagem também, por em momento tão difícil, ele estar na nossa companhia, e atrevo-me como Saramago, a afirmar que o homem mais sábio que conheci até hoje, só tem como estudos a quarta classe! É o homem que me ensinou acima de todas as coisas quão ruidoso pode ser o silêncio, quão inteligente e sábio o mesmo pode ser...esse homem é o meu pai, Leonel, está hoje aqui comigo e com vocês, perante enormes dificuldades, mas sempre, sempre, e sempre como toda a vida o fez, presente, nunca deixando para trás a mulher e os filhos. Pedia por favor se não vos fosse pedir muito, uma grande ovação para o homem do qual herdei a sensibilidade e a lágrima fácil, o gosto pelo silêncio, o homem que me mostrou que uma vida simples pautada por gostos simples é certamente uma vida feliz!

À minha querida irmã, ausente no estrangeiro, por terras da Catalunha, acompanhando as peripécias, narrativas e poemas do irmão, fica também um agradecimento especial, e a todos os que não citei, não se sintam menos importantes por isso, pois importantes para mim o são como os citados, e certo é, que vos tenho no meu coração! 

Para finalizar - um agradecimento a Lanheses. Tão e somente! Por Lanheses...sempre!

Deixo-vos um voto de excelente jantar, que se divirtam, festejem estes três anos de SSVSA com o desejo deixado no ar de que daqui a sete anos, contas feitas matemáticamente, estejamos todos cá a festejar os dez anos do blogue, num sábado de Março de 2021!

Agradecido 

Sérgio"




Após a degustação do jantar foi a vez de alguns dos participantes lerem textos por eles criados especialmente para esta noite dançante, textos em prosa e em poesia, tecendo comentários ao autor do blogue uns, citando outros autores, outros, no entanto, enquadrado com a temática que se queria tratada nesta noite, a realização de um blogue, Lanheses e as novas tecnologias, uma fabulosa e poderosa arma de propaganda e de união entre as pessoas da comunidade, as que cá estão e as que estão espalhadas por todo o mundo! Aos amigos, Paraíso de Sousa, Remígio Costa e Fernando Cunha, um agradecido autor do blogue.









Entre crepes deliciosos e café, foi chegada ao jantar a música para que todos os que assim o desejassem pudessem dar um pézinho de dança ao som da música tocada por Luís Novais, artista que abrilhantou est noite muito especial. 

Não será intuito do autor do blogue alongar-se em considerações sobre o jantar, ficam antes as fotografias registando em memória, momentos de alegria, momentos de diversão e de muita cumplicidade entre (fundamental) pessoas que acima de tudo, se querem bem...




































 Luís Novais





TEMPO PARA AGRADECIMENTOS PESSOAIS E HORA PARA SE CORTAR O BOLO DE ANIVERSÁRIO




Ficará para sempre uma grande amizade!


Pastelaria Arezes, no seu melhor! Em Lanheses trabalha um homem, verdadeiro artista na arte da pastelaria! A ele, o autor do blogue retira o seu chapéu.








E TEMPO TAMBÉM PARA RECEBER DUAS ESPECIAIS OFERTAS!!!


























Para mover terras e grandes amizades! Símbolo de um eloquente início de união com Lanheses!


Iniciativa do amigo pessoal Filipe Rocha, que bastante comoveu o autor do blogue!








Recheada de mensagens, para ser aberta daqui a sete anos, num sábado de Março de 2021...



FIM


A todos os que participaram e se aliaram nesta comemoração, o autor do blogue profundamente agradecido lhes endossa aqui, terno abraço, por continuarem a dar à sua vida um colorido tão delicioso...

Bem hajam e até daqui a sete anos...quem sabe!