Páginas

quarta-feira, 30 de abril de 2014

UM RECADINHO...

Um recadinho para os usuais "Velhos do Restelo", muito abundantes também por esta aldeia e facilmente identificáveis (mesmo aqueles que estão ausentes fisicamente) e que têm vindo a comentar e a muito negativamente criticar, quando algo de laborioso se faz, se realiza, em Lanheses; sem entender que são muitos os que imputam muito do seu tempo livre, com afinco e extremo empenho, para que esta aldeia progrida pelos tempos e tempos na senda do sucesso...


Olhando algumas imagens passadas, ocorre ao autor do blogue terminando este chuvoso mês de Abril, afirmar a certas pessoas:


Há quem muito faça! 
Nós fizemos! 
Vocês não...


DIA DA FREGUESIA - 29.04.2014 - LANHESES (2.ª parte)

(continuação)



A sessão solene decorreu, após a homenagem na igreja paroquial, no auditório do edifício sede da Junta de Freguesia, onde discursaram Filipe Rocha, na qualidade de presidente da Junta de Freguesia, proferindo discurso em que fez uma analogia entre passado, presente e futuro, a historicidade desta aldeia, nunca esquecendo e mesmo exaltando, as suas gentes, através das inúmeras gerações de lanhesenses que fizeram com extremo labor e afinco o que Lanheses hoje em dia é, uma aldeia que se soube modernizar, por vezes em momentos menos bons, reinventar, mas que acima de tudo, orgulhosa da sua génese, soube acompanhar os tempos modernos e progredir na senda do sucesso.




Seguiram-se-lhe o  vice presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Eng.º Vítor Lemos, em discurso, fazendo referência ao importante contributo que dão os autarcas locais na gestão das matérias públicas e exultando o ampliar da "zona industrial" de Lanheses, onde são muitas as empresas instaladas; para no final, Remígio Costa, experiente lanhesense nas lides teatrais, fazer uma resenha histórica acerca do teatro amador realizado em Lanheses no século passado, inspirado na sua vivência pessoal. 




O autor do blogue, viu-se impedido de acompanhar esta sessão solene, pois a essa hora já envergava o traje que serviria de adereço à sua actuação, naquela que viria a ser a introdução ao teatro amador realizado em Lanheses, passados que são alguns anos!

No entanto, é preciso recuar no tempo e lembrar a célebre reunião em que ao autor do blogue, da parte deste executivo, foi lançado o repto em fazer algo pelo teatro e pela tradição que esta arte cultural, sempre teve pelas várias gerações do século passado e que está, nestes tempos modernos, da Internet, da globalização e das novas tecnologias, um tanto ou quanto adormecida! E como o autor do blogue nunca diz não a um desafio, o mesmo foi encarado com extremo afinco e seriedade, tendo o resultado sido apresentado ao público nesta sessão solene comemorativa do dia da freguesia! 



O teatro amador está de volta a Lanheses
Como no passado se fez tantas vezes...




A peça teatral que o autor do blogue decidiu encenar, com a aprovação do actual executivo, tem por título - "O homem que olha para cima" - da autoria de Ruy Jobim Neto e adaptada pelo autor do blogue, que lhe mudou algumas partes dos diálogos, adaptou-a para língua portuguesa, e de sua autoria, acrescentou um final mais colorido e esperançoso, quando a vida (por vezes) se mostra precisamente contrária a essa mesma esperança. Uma sátira social, onde foram acrescentados pelo autor do blogue alguns momentos de humor e onde se critica o simples facto de nestes tempos modernos as pessoas viverem a vida demasiadamente preocupadas com os seus problemas, alheando-se do mundo e das outras pessoas em seu redor, não se vendo, não se tocando! O egoísmo como um dos grandes pecados actuais! Uma grande verdade dos tempos modernos! No final, um grupo de belas meninas vem mostrar que não será necessariamente assim e para o futuro, ainda restará alguma esperança!








































































Efusivamente ovacionadas pelo público presente!














No final, um agradecimento muito especial da parte do autor do blogue, em primeiro, a estas três maravilhosas mulheres; Esmeralda Rocha, Rosa Maria Franco e Isilda Vale, que deram a honra em trabalhar, encenar e ensaiar esta peça, a quem estas linhas escreve, dias a fio nestas últimas semanas, muitas noites de boa disposição, algum stress e muito, mesmo muito trabalho, assim como com verdadeiro espírito de compromisso, que se traduziu no final da peça apresentada através de um coro gigantesco de palmas, manifestado na grande ovação com que o público as decidiu brindar, pela peça representada, aliás, muito bem representada!

Em segundo, ao grupo de Guias de Lanheses e às "suas" belas meninas que desde logo, face ao primeiro convite endossado pelo autor do blogue, logo o aceitaram, participando na peça e à mesma dando um colorido final muito especial!

Em terceiro ao Luís, técnico de luz e som que se mostrou brilhante aos comandos das mesas de mistura. 

Em quarto, aos funcionários da Junta de Freguesia, Ana Baptista, Piedade e João Rios, sempre inexcedíveis quando ocorrem eventos desta natureza! À "Lídia Baptista" um agradecimento muito especial pelo delicioso jantar servido após a cerimónia!

Em quinto, ao Filipe Oliveira por fazer o trabalho que normalmente está destinado ao autor do blogue! As imagens!

E para finalizar, a todos aqueles que mesmo não aderindo ao repto lançado pelo autor do blogue, não se furtaram com conselhos, dicas e sugestões várias, para que o teatro amador arrancasse de novo em Lanheses, nomeadamente, aqueles que pertencem às gerações anteriores e que em tempos que já lá vão, muito deram de si e à arte do teatro popular amador. Nomes não serão necessários citar!


Especialmente, ao Filipe, à Cristina e ao Hélio um grande abraço do autor do blogue!


Ficam as imagens do convívio e do verde de honra, após a sessão solene.





















































E agora, os bastidores...














Que o teatro em Lanheses perdure pelos tempos e que, com o seu grandioso exemplo, estas maravilhosas mulheres atraiam mais e mais elementos a esta nobre arte!


O teatro amador está de volta a Lanheses
como no passado aconteceu tantas vezes
aos que o fizeram, honremos em vida ou em memória,
continuemos agora, orgulhosos, mais um capítulo dessa história...!!!




Fim