Páginas

terça-feira, 30 de setembro de 2014

TERMINA SETEMBRO

Termina Setembro! 

Este é o mês que marca o regresso do SSVSA às grandes viagens, aos passeios entre amigos, mas acima de tudo, o mês que marca o regresso a alguma paz de espírito, porque o tempo, se nada cura , pelo menos vai atenuando sentimentos menos aprazíveis!




Este Setembro marca também aqui no blogue, a continuação da publicação diária de posts, da autoria do seu autor, em demanda de mais e mais por Lanheses!

Até já...


VOLTA ao DISTRITO - REGRESSO DO SSVSA ÀS GRANDES VIAGENS! 3.ª Parte

Continuação...


Viajar pela estrada que liga  a província espanhola Galiza em Lobios até Castro Laboreiro é também fazer uma viagem no tempo, uma viagem a tempos remotos, pré-históricos quase, quando mão humana na paisagem não se via! É o que acontece nesta estrada, onde a vegetação continua a ser rainha, nomeadamente algumas espécies vegetais e arbóreas típicas da nossa zona geográfica. Fabuloso a humano olhar, enquanto o Mercedes percorria curvas interminável prazer, ver os carvalhais e os soutos sucederem-se quilómetro atrás de quilómetro. Com a altitude a aumentar e a quase chegada do Mercedes a Castro Laboreiro através da minúscula fronteira da Ameixoeira, a paisagem vai mudando drasticamente para agora ser o granito o rei da montanha, em grandes aglomerados do mesmo, autênticas bolas de gelado servidas em verdes taças, pelos arbustos rasteiros e as urzes que as envolvem! Um sonho, para quem aprecia a grandeza que é a natureza!

O clima, aqui na aldeia do distrito situada a maior altitude, bafejou os viajantes com um séquito de nuvens negras pairando no céu, rugindo este furioso entre raios e trovões, pelo que esta pausa se mostrou desanimadora, pois Castro Laboreiro, merecia outro tipo de visita, pelo menos, um pouco mais aprofundada! Talvez numa próxima! 

















Festival de bolas de granito.




















Ruínas do castelo de Castro Laboreiro.


Magnífica fêmea, para delírio da malta mais pequena!





Magnífico macho!


Fugindo à fúria divina vinda dos céus, mesmo que quem estas linhas escreva, em divindades acredite, o Mercedes em breve percorria novas estradas polvilhadas de verde, em Lamas de Mouro, a aldeia mais húmida de Portugal, dona e senhora de um belo parque ecológico e onde está inserido um dos mais inóspitos parque de campismo do país. Seguia-se-lhe outro ponto de visita, o santuário da Senhora da Peneda e aqui, com os rigores climatéricos bastante atenuados, aos viajantes foi permiido visitarem todo o espaço anexo ao santuário, orar que assim o desejasse, bebericar e petiscar quem o desejasse também. 

Viajante algum fica indiferente à beleza deste local de romaria pelos inícios de Setembro e onde se localiza um dos mais belos santuários do país secundado por cenário natural de beleza singular, que ainda mais beleza lhe dá! Talvez, arrisca o autor do blogue, único no país! 










SANTUÁRIO DA SENHORA DA PENEDA.










































DEPOIS DA VISITA, RELAXAR...






















QUEM QUER QUENTES E BOAS, QUENTINHAS?




UMA QUESTÃO PAISAGÍSTICA






 






Senhora da Peneda
































Coluna oferecida por altura da construção do santuário por D.ª Maria I, rainha de Portugal.







A fotografia da praxe...


DESCIDA A MELGAÇO







Alegria...











A bela da voz da Ivone...


Cruzando Lamas de Mouro.







A grande descida até Melgaço iniciava-se.





E com ela um magnífico pôr-do-sol!!





O descanso do guerreiro


Olhando para trás, o autor do blogue pode, satisfeito, considerar que esta VOLTA ao DISTRITO, correu pelo melhor, um sucesso até! Os pontos definidos no programa foram todos visitados, o clima esteve ao nível exigido para este género deste acontecimento lúdico-cultural e a alegria assim como a boa disposição entre os participantes, uma constante todo dia!

Objectivo mais que alcançado, uma pequena vitória neste regresso do SOMETHING SPECIAL do VALE da SERRA d´ARGA às grandes viagens temáticas, tão do agrado do seu autor!

Em casa...


Despojos de guerra...(risos)



A viagem não termina nunca, só o homem termina e enquanto o homem sonhar a viagem não vai terminar!


Até já...