Páginas

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

FELIZ 2016 - Soneto

Os anos assim vão passando
corrida célere, cavalo a galope,
minutos, horas, de vida desfilando,
tudo fechado num envelope...

Do mais puro e branco cetim
leve e fino, foi 2015 para mim...
e agora um ano a fechar
aqui fica mais um adeus!

Bom ano novo a todos desejar
conhecidos e a amigos meus!
Saúde, paz e alegria

o autor do blogue vos deseja
que a todos, 2016 sorria,
e um ano fenomenal, para todos seja!



FELIZ 2016


Sérgio Moreira





quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

PARA A FRENTE É O CAMINHO!

Para a frente é o caminho...




Mesmo que o caminho tenha duplo sentido!

PARA RECORDAÇÃO DE DEZEMBRO DE 2015

A festinha de Natal para as crianças, organizada pela Junta de Freguesia associada ao núcleo lanhesense das Guias de Portugal, foi há já alguns dias, mas, numa espécie se alegoria e lembrança futura deste mês de Dezembro que agora finda, aqui fica um sortido de imagens relativos ao tema e enviadas pela amiga Cristina Rocha a quem o autor do blogue desde já agradece a cedência das já referidas, imagens. 




























Nunca é tarde para se publicar algo de aprazível...


UMA IMAGEM AGRADÁVEL

Apesar da invernia que se instalou e paira nos céus de Lanheses, ficam aqui no blogue, uma imagem agradável, perdida no imenso portfólio de imagens no arquivo do autor do blogue e que por algum motivo ou mesmo, falando a bem da verdade, por esquecimento, não foi postada e digna é de aqui figurar, dada a grandeza da paisagem e tranquilidade em seu redor que o Lima transmite a quem às suas margens se desloque e o mire!



Numa espécie de despedida a 2015, aqui fica um agradável lembrança, tão agradável como agradável é a visualização, da margem, do Lima, junto ao cais com o mesmo nome!


domingo, 27 de dezembro de 2015

PEQUENAS DEMONSTRAÇÕES DE AFECTO...

São demonstrações de afecto; o autor do blogue adora assim catalogá-las, como a abaixo postada e recebida via email como comentário a um outro comentário, que mais e mais o galvanizam e fazem (a muitos) mostrar o quão erradamente estão:


""O teatro nunca esteve tao vivo" O teatro em Lanheses tem ha volta de 100 anos…claro que nao pode vir de volta por uma cabeca convencida que toda a "arte' de fazer teatro esteja ao alcance de qualquer "pensador" "barato".! Ha anos que a tradicao nao e cumprida! Ha ano que nenhum dos 'INTELETUAIS" consegue levar a palco uma peca em tres atos! Ha anos que O Grupo Cenico e Cultural da Casa do Povo nao actual nesta Quadra Natalicia!
Nao vou chorar! Nao vou ficar triste! Nao vou rir..obrigado pelas memorias!!!

Anónimo"


Pela parte que ao autor do blogue toca, "cem anos depois" as peças de teatro, em três e mais actos, se preciso forem, estarão na calha para sair...

Necessário é estar fisicamente pela aldeia todo o ano e acompanhar o trabalho que por terras da miséria, uma pequena minoria de (e ainda bem) inconformados continua a realizar!


Aberratio ictus
(Erro de alvo)

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

UMA IMAGEM

Uma imagem!

Uma imagem que transmita paz, que honre em dia tão especial, tão conotado com o amor, toda a criatura viva racional e irracional, vítima das crueldades daqueles que fazem parte de uma raça há muita pela soberba, desmedida ambição e ganância, perdida e sem futuro!



Presépio em Lanheses, Largo Capitão Gaspar de Castro.


Oxalá, essa raça, encontre o caminho da razão e se salve... 



quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

UM DESABAFO DE NATAL - COMO TER INSPIRAÇÃO QUANDO SE VIVE JUNTO À EN 305?

Não passarão muitos anos quando, na Estrada Nacional 305, em Lanheses, o que se ouvia alto e bom som era o canto da passarada, uma ou outra vizinha a conversar, o saudoso som do trepidar de motor de um qualquer tractor que por ali passava de meia em meia hora ou o mais raro som de um motor de automóvel que por ali passava também, talvez de três em três quartos de hora, embora este não saudoso e por vezes (este sim tremendamente saudoso) o personagem real Barroso montado na sua carroça puxada pelo seu burrico!


Barroso na EN 305 em frente à entrada da propriedade dos "Gemieiras"


Saudosos tempos, esses! 

Hoje em dia, passados quatorze anos (14) desde que tomou contacto com aquela que viria e continua a ser a sua moradia, sita em plena EN 305, o autor do blogue tristemente se apercebe que o que se ouve é o frenético vai-vem de veículos automóveis, por ali passando às centenas diariamente, numa vertiginosa cadência de minuto em minuto, trazendo com essa passagem toda a poluição sonora e atmosférica inerentes aos mesmos! Nem mesmo hoje, dia 24 de Dezembro, véspera de Natal esse vai-vem cessa...

Quem viu a EN 305, quem a vê agora!

Basta uma das portas abertas da moradia assim o estar, para que toda a inspiração se evapore em poluído ar! O progresso é bom, salutar, sempre bem-vindo, dizem e o autor do blogue também partilha dessa visão, dessa opinião, quanto mais não seja, para gáudio, satisfação e sensação de realização das comunidades, no entanto, é sempre uma espada de dois gumes; ao mesmíssimo tempo, com o acontecer da zona industrial e com a abertura do nó de Lanheses na auto-estrada A28, ou seja, com o progresso, a EN 305 perdeu todo o seu encanto e hoje em dia já não se ouve o canto dos bandos de aves que por ali se pavoneavam, nem tão pouco as vizinhas a conversar...

Esta estrada tornou-se até perigosa para quem a percorre a pé, pois não são raros os aceleras que a percorrem a velocidades vertiginosas, autênticos "SENNAS" da estrada e não do circuito, como deveria ser!

Dá-se conta o autor do blogue, ao olhar pela vidraça da janela de sua casa, como triste pode ser a vida e como raio terá inspiração um homem, quando deseja no seu blogue escrever algo de belo e de aprazível, quando o sentido do olhar e o sentido da audição são manifestamente bafejados pela tremenda poluição inerente à indústria automóvel!

Fica abaixo postada uma imagem daquilo que o olhar de quem escreve vê quando olha a paisagem no alçado nascente ou seja a Este, ignorando totalmente o que se vê, no alçado poente, ou seja a Oeste, a EN 305 e todo o stress a ela inerente...




O velho e anafado Barroso faleceu, já nem pássaros se vêem, quanto mais ouvir o seu canto...?

FELIZ NATAL

O autor do blogue confessa! 

Talvez melhor fosse estar fisicamente no hemisfério sul, numa qualquer praia paradisíaca, com tempinho bom, águas e ares quentes, e celebrar esta quadra de forma totalmente diferente daquela a que estamos habituados; por antagonismo, vivemos esta quadra fechados em casa, quando no exterior impera a chuva e o frio, virtudes ou desvirtudes, de quem habita, como todos habitamos o hemisfério norte! É Inverno...

Talvez seja este um dos motivos que a quadra natalícia se reveste de intimidade, para o indivíduo, para a família, expoente máximo desta festividade, e por casa, no quentinho do lar de cada um de vós, se viva o Natal na intimidade!

Que não restem dúvidas; aproveitem cada momento, cada segundo, cada minuto, cada hora, na companhia dos vossos familiares mais íntimos pois eles são o que de mais precioso o ser humano pode ter! E enquanto estão por cá, vivendo a vida terrena...
A família será sempre o pilar basilar do sucesso e do bem-estar emocional do indivíduo, por isso na festa mais intrínseca a ela, o autor do blogue deixa aqui escrito em letras garrafais:

O SSVSA NA PESSOA DO SEU AUTOR, A TODOS DEIXA VOTOS DE UM FELIZ NATAL, NA COMPANHIA DOS VOSSOS FAMILIARES MAIS ÍNTIMOS...

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

GRIPE!

Primeiro dia de Inverno e logo à cabeça uma valente gripe!

Ninguém merece!

Há que recolher ao conforto do lar, lá permanecer, em ambiente quente e aconchegante...

Os votos de Feliz Natal sairão amanhã...

domingo, 20 de dezembro de 2015

TERTÚLIA FAMILIAR

Se ontem, Sábado, a confraternização foi entre amigos, hoje, o autor do blogue teve o delicioso prazer que é o de privar bem de perto com aqueles que lhe são próximos, expoente máximo desta quadra que se vive, a família e seus membros!

O Natal é para o autor do blogue isso mesmo, a festa da família, como aliás muitos apregoam, mas poucos cumprem! Felizmente, a deste, que estas linhas escreve, é uma daquelas onde prevalecem fortes e sólidos laços de amizade, respeito e amor comparando com muitas das que conhece e respondendo ao repto lançado pelo autor do blogue, muitos foram os que se uniram à mesa e a vida a isso o permitiu, para privarem bem de perto entre todos e ao mesmo tempo desejarem um voto de FELIZ NATAL!








Somente para entendedores, memória dos DIAS FELIZES!


Homem que é rico, não é o que é proprietário de vastos bens materiais, pois um dia tudo ficará para trás, homem que é rico é aquele que tem na família e seus membros dádiva de amor, a sua maior riqueza...


FIM-DE-SEMANA SOBERBO... 



VOTOS DE FELIZ NATAL ENTRE AMIGOS!

Com a chegada da quadra natalícia são muitos o filhos da terra que tornam à mesma para passar estes tempos de consoada, privar de perto com familiares e rever amigos há algum tempo não vistos.

Foi o que aconteceu satisfatoriamente com o autor do blogue, a privar de perto com aqueles amigos que estão fora, assim como com aqueles que estão "dentro" num fabuloso jantar para desejarem entre eles votos de FELIZ NATAL!




E que bem se está à mesa com aqueles que nos querem bem, com aqueles que partilham saborosos momentos da nossa vida...


sábado, 19 de dezembro de 2015

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

A CASA DOS DANTAS - UMA GRANDIOSA ODE AO ROMANTISMO

Uma moradia!

Poderá uma moradia servir de inspiração para um texto no blogue? Lógico que sim! Já não seria a primeira vez que aqui no blogue tal ocorria, desde o poema dedicado à Casa Grande da Meadela, até um tópico dedicado ao majestoso solar dos Almada, também ele, tal como a casa dos Dantas sito em Lanheses.

Sendo a imaginação fértil, desde que olhar contempla a fabulosa fachada do portão de acesso ao terreno que serve a moradia, com o seu imponente portão em madeira maciça, o arvoredo onde abundam vetustos carvalhos até à não menos inspiradora fachada desta casa grande, com a sua enorme varanda onde abundam os pilares em granito e nos rés-do-chão duas entradas em arco de volta completa, moldam a mente do autor do blogue e a fazem recuar dois séculos atrás em época onde damas e cavalheiros elegantemente vestidos, se passeavam por luxuriantes jardins de inegável verde beleza. Da rectilínea chaminé ao branco das fachadas e à caixilharia em guilhotina tipicamente de origem nacional, digna dos mais belos e grandiosos palácios e os seus jardins, tudo encaixa na perfeição numa esplendorosa ode ao romantismo, época em que Castelo-Brancos e Eças se a mirassem, escreveriam sem dúvidas belas novelas! Encaixaria na perfeição como cenário de obras temáticas como "Amor de Perdição" e os "Maias"...







Excelente cenário para evento cultural, mereceria esta habitação, uma das que mais apela ao olhar e ao carinho do autor do blogue, principalmente quando no seu interior também se passeia um grande amigo de quem estas linhas escreve!

Talvez um dia, quem sabe, não falte inspiração ao autor do blogue e possa sair um texto, tendo como idílico cenário a fabulosa, branca e grande, casa dos Dantas em Lanheses!

Um braço muito especial da parte do autor do blogue ao amigo que ali a habita!

domingo, 13 de dezembro de 2015

ESTRANHA LUMINOSIDADE - Soneto

Estranha luminosidade
sentimento de acalmia
em águas de serenidade
flutuando à luz do dia!

Geometria em precisão
linhas rectas a erguer 
fazem nesta composição
beleza, no olhar a perder!

Ente opacidade e transparências
assim possam seguir,
toda a vida flutuando.

Perdidos em mil essências 
olhos não deixam mentir
quando assim vão navegando!




(do autor Sérgio Moreira)

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

FEIRA de NATAL - CASA DO POVO DE LANHESES

Para os eventuais interessados, aqui se divulga:




APROVEITE A INICIATIVA E VENHA BRINCAR AO NATAL...

PORQUE O NATAL É DE TODOS!

DOMINGO 20 de DEZEMBRO

OCUPAÇÃO TEMPOS LIVRES - FÉRIAS de NATAL - CASA DO POVO DE LANHESES

Para os eventuais interessados, aqui se divulga:





TOME NOTA POR FAVOR:

18 de Dezembro a 31 de Dezembro - Das 08.00 às 18.00 horas

Dias 24 e 31 de Dezembro - Das 08.00 às 12.00 horas

Destinado a todas as crianças com idades compreendidas entre os 6 e 12 anos.

Inscrições nas instalações da Casa do Povo de Lanheses.


CARTAZ FUTEBOLÍSTICO

Para os eventuais interessados, aqui se divulga:



APOIE O CLUBE DA TERRA - UDL LANHESES

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

BARCAS RETRATADAS

Barcas retratadas
em quase, perfeita simetria,
assim tão bem alinhadas
merecedoras de uma fotografia!

Sobre transparente composição
de cristalina água 
que ampara a embarcação!




(do autor Sérgio Moreira)

domingo, 6 de dezembro de 2015

FESTINHA DE NATAL PARA OS MAIS MIÚDOS - SÁBADO 12 DE DEZEMBRO

Para os eventuais interessados aqui se divulga:

"A Junta de Freguesia, em colaboração com as Guias de Lanheses, convidam as crianças do pré-escolar e do 1º ciclo de Lanheses, a participarem na festa de Natal que irá decorrer no próximo sábado dia 12 de Dezembro às 14H00 na sede da Junta de Freguesia, havendo entre outras animações e representação de uma peça de teatro alusiva à época.

Todos os interessados em participar deverão inscrever-se previamente na Junta de Freguesia no decorrer da semana!


12 de DEZEMBRO - 14.00H - SEDE DA JUNTA DE FREGUESIA

AMIGOS À MESA

Hoje foi a vez do Ricas...Parabéns!



Amigos à mesa!


sábado, 5 de dezembro de 2015

POUR CEUX QUI SONT EN FRANCE

Tanta boa disposição
tanta felicidade
alegria no coração
fruto de uma boa amizade!




À la santé!

Pour ceux qui sont en France!



sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

RUMO AO TECTO DE PORTUGAL - A VIAGEM SSVSA QUE FALTAVA REALIZAR!

Com muita antecedência, eis que nova viagem SSVSA se perfila no horizonte e aqui se publicita para que todos quantos se possam interessar venham, na companhia do autor do blogue, participar em nova aventura, desta feita rumo à mais mítica das serras de Portugal Continental, a Serra da Estrela! 

Nesta viagem, o autor do blogue sugere-lhe, amigo leitor e seguidor do blogue, uma partida à descoberta dos cântaros da serra, fabulosas formações rochosas com milhares de anos, dos planaltos e picos mais altos, um passeio junto à nascente de um dos mais famosos rios nacionais, com paragens pela histórica cidade da Guarda, assim como em Belmonte, berço de Pedro Álvares Cabral, Sabugueiro e Seia para depois numa subida ao ponto mais alto de Portugal Continental, a Torre no alto da Serra da Estrela, por ali degustar toda a bravia beleza que a mesma nos transmite! Tudo com cheirinho a queijo da serra...!





VIAGEM DE DOIS DIAS, COM ALOJAMENTO, JANTAR E PEQUENO ALMOÇO INCLUÍDOS NO PREÇO DA VIAGEM!

PREÇO POR PESSOA:

45€/ADULTO

40€/JOVEM ATÉ 12 ANOS


12 e 13 de Março de 2015!

O autor do blogue, saudoso por lhe dar um abraço pessoalmente, o espera para nova aventura!

Sérgio Moreira

Inscrições junto do autor do blogue - 916 835 456 - ou nos locais habituais.


UMA FOLHA CAÍDA!

Uma folha caída
num olhar tão terno
no pavimento perdida
sinónimo de Inverno.

Tal como as folhas caindo
do Homem, assim é a vida,
uma beleza que vai florindo
até que um dia, triste, envelhecida,
tal como esta folha caída
em penoso pavimento,
um corpo entregue ao seu sofrimento
chega por fim, ao Inverno da vida!

Onde tudo termina
onde corpo e alma perecem,
folha que não mais germina
e em terra, ambos, se desvanecem...








(do autor Sérgio Moreira)



quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

NÃO ESQUECENDO O Iº DE DEZEMBRO EM LANHESES

Elementos do executivo da Junta de Freguesia, nomeadamente o seu presidente Filipe Rocha e Cristina Rocha, associaram-se ao Paço dos Almada, representado na presença de D. Lourenço d´Almada, para prestarem homenagem a um dos quarenta conjurados que tomaram a iniciativa revoltosa em Dezembro de 1640, que levou à queda da Dinastia Filipina e instaurou mais tarde, com a a elevação de D. João IV a Rei de Portugal, a independência de Portugal Continental e Insular, perdida sessenta anos antes com o desaparecimento de D. Sebastião Rei de Portugal nas campanhas de África, nomeadamente em Alcácer-Quibir.



Frente a um uma tela pintada a óleo, representando D. Antão d´Almada, um dos conjurados, se depositou coroa de flores sobre o Pelourinho que se encontra nos jardins do Paço de Lanheses, considerado e etiquetado, como Monumento Nacional.

Espera o autor do blogue, como espera também [o seu amigo] D. Lourenço d´Almada, que elementar justiça seja feita e uma das mais importantes e das mais históricas datas da história deste país, pelos órgãos de soberania venha a ser meritóriamente reposta como dia Feriado Nacional e se aclame justamente em homenagem, quer a luta daqueles que ousaram derrubar a dinastia vigente, através das suas pessoas, quer a mais que importante restauração da independência de Portugal!


Viva Portugal Independente! O autor do blogue diz-se pelo - Sim ao feriado de I de Dezembro!


segunda-feira, 30 de novembro de 2015

SAI NOVEMBRO, SAI!

Sai Novembro
sai como tu nunca me lembro
em ti não posso crer
quase um mês inteiro sem chover!
Sai Novembro
sai, mês de ocres cores,
dá lugar a Dezembro
e aos seus frios odores...




(do autor Sérgio Moreira)


BORDOS - VERMELHOS

O espectáculo que é ver os bordos da veiga avermelhados!




Prodígio da natureza
Perante o olhar, infindável beleza...


JAZ UM GAIO!

A natureza fica mais pobre
quando no chão jaz um Gaio
ave de cores e porte nobre
e voa frenético como se fosse um raio!

Este não voará mais
será alimento para outros bichos tais!


Gaio morto nos terrenos da veiga...

(do autor Sérgio Moreira)

sábado, 28 de novembro de 2015

PÔR-DO-SOL EM NOVEMBRO

Novembro não seria Novembro se aqui no blogue não figurasse ou figurassem, fotografias retratando a tremenda beleza que surge no olhar aquando do pôr-do-sol a oeste por trás de montes e da ponte que une as duas margens entre Lanheses e terras de Geraz.

Entre corridas desenfreadas do peludo na margem do Lima e uma brisa bem fresca vinda de norte anunciando um Inverno que já se avizinha no horizonte, a Fuji disparou sem cessar e de muitas fotografias sacadas as seguintes duas foram escolhidas pelo autor do blogue para que aqui ilustrassem esses momentos, sempre melancólico, onde reina o silêncio e a comunhão com a natureza...







Majestosa e bela natureza
com a obra humana, de mãos dadas,
segundos de melancólica beleza
como que saída de um conto de fadas...

Pode o seu autor descansar...
Em Novembro, o pôr-do-sol no blogue,
em imagens voltou a figurar!


(do autor Sérgio Moreira)



CARTAZ FUEBOLÍSTICO

Para os eventuais interessados aqui se divulga:




APOIE O CLUBE DA TERRA - UDL LANHESES



quinta-feira, 26 de novembro de 2015

A CAMÉLIA DO MEU JARDIM

Oriunda do oriente, mais precisamente de terras nipónicas, ou seja do Japão e até de terras da China, é uma das espécies arbustivas de folha perene ou persistente, que mais agradam ao olhar do autor do blogue. 
Espécie que requer, para bem se desenvolver, solos muito ácidos e climas em que abundem as chuvas, ou seja, tão típicos da zona em que estamos inseridos, curiosamente, é no Inverno que se reveste de esplendor quando brotam as suas flores sem cheiro brancas ou vermelhas, mas quase perfeitas e, é norte de Portugal também, em virtude do clima, onde ocorre com mais frequência em quintais e jardins "vestindo" os mesmos de beleza sem par. 
Talvez a única, e é a opinião do autor do blogue, a única espécie que talvez lhe faça frente em beleza seja a magnólia, oriunda de terras do hemisfério norte.

O autor do blogue plantou um exemplar e é com alegria que o vai vendo crescer e pela primeira vez, neste Outono de 2015, florir!


Camellia japonica - Japoneira, como se afirma na gíria, carregada de flores e de beleza!



A bela sua flor!


Bela, verde e vermelha assim
ao vê-la lentamente crescer,
por mim plantada no meu jardim
esta camélia me faz, o olhar enternecer!



Há quem lhe chame Japoneira, há quem lhe chame Camélia, o autor do blogue antes prefere deixar aqui, nesta página virtual, uma referência à sua extrema beleza e neste caso particular, feliz pelo sucesso no desenvolvimento deste jovem exemplar.


terça-feira, 24 de novembro de 2015

OS DIAS FELIZES - Capitulo I

Ver tópico do dia 18 de Abril de 2015!!!  

http://dovaledaserradarga.blogspot.com/2015/04/os-dias-felizes-prefacio.html

Assim começa...

Posso afirmar que tudo começou nos idos de setenta, mais precisamente no longínquo e saudoso ido de setenta e quatro, a nove de Setembro, uma preguiçosa segunda-feira, às seis horas e vinte minutos da madrugada, mais segundo menos segundo, quando mais um nado-vivo berrou a plenos pulmões (ainda não conspurcados pelas maleitas inerentes ao consumo de cigarros) ao sentir a primeira de biliões de inspirações de mililitros de O2, num quarto da maternidade de Monserrate, entretanto, desactivada, naquele que era então o hospital da cidade de Viana do Castelo e hoje em dia, nos dias dos tempos modernos, por muitos carinhosamente apelidado de "Hospital Velho"!

Menina dos olhos para quatro olhos do jovem casal, havia que lhe decidir o nome, que há muito decidido estava. Seria Sérgio o primeiro nome, o segundo nome lhe emprestaria o seu pai, pelos tempos e tempos enquanto fosse, ou seja, ou venha a ser vivo! Por descendência e linhagem àquele pobre nado-vivo, que berrava de modo incessante naqueles primeiros minutos de vida, Loureiro e Moreira lhe caberiam em sorte, como os dois últimos nomes, reservados para sempre no grupo de nomes e palavras que se encontram referidos como apelido, ou, apelidos.

A apresentação está feita! O nome já o sabe o leitor! Não sabe o resto, mas em breve saberá, se é do seu interesse saber...

A primeira viagem foi feita da maternidade do hospital para casa, de carro, sem cadeirinha e cinto de segurança, nada dessas modernices e paneleirices como as de agora, uma curta distância de dois mil metros, dois quilómetros, para quem ouse pensar que dois mil metros é muito, para a aldeia (nesses tempos) da Meadela, mais precisamente para o Lugar da Igreja, quando nestas aldeias ainda imperava a nomenclatura por lugares, e aí para a Rua da Quinta do Bispo de Angola, Bispo este que o pequeno nado-vivo de forte pulmão, nunca veio a conhecer, mas com quem conviveu toda uma vida, sem que algum dia, repita-se, tenha visto tal personalidade, apesar de por milhares de vezes se ter questionado quem teria sido tal personagem. A rua era essa, ligava a Igreja Paroquial a outros lugares e ruelas da aldeia e ligava também, a já referida igreja, ao cemitério, que dada a localização frontal à moradia dos seus progenitores, fez desde muito cedo, com que este nado-vivo de forte pulmão, convivesse de muito perto com o antónimo da vida, a morte! 

Sobre os primeiros dias e semanas pouco haverá a relatar, talvez as sôfregas mamadas nos seios da progenitora, alguns ou, muitos berros e choros, dia e noite fora, alguns também, sorrisos para os familiares e progenitores: - Tão lindo e olha, está a sorrir... - Frases típicas de quem nada sabe dizer à cerca de um bebé nem tão pouco saiba que raio de palavra lhe dirigir, uma vez que a pobre criatura , é dado assente, nada entende!

Pouco importa!

Os dias, semanas, meses e anos foram passando e o nado-vivo de forte pulmão se foi transformando num miúdo de longos cabelos loiros, mas, indubitavelmente em todas as histórias ocorre sempre um mas, a saúde essa se foi tornando débil, débil ao ponto de surgirem complicações graves e numa noite de desespero para o jovem casal de progenitores, não fosse no antigo quartel BC9 estar abrigado um militar com tipo de sangue igual ao seu, o tal nado-vivo de forte pulmão, agora débil, teria feito cedo demais a viagem da Igreja para o Cemitério Paroquial, com direito a passagem e vista para a moradia dos seus progenitores em plena Rua da Quinta do Bispo de Angola. Tal não aconteceu! O militar, que nunca mais viu, ou alguma vez conheceu, apesar de ter sido essa a sua vontade, salvou a vida ao pobre nado-vivo, que em vez da negra e escura viagem Igreja-Cemitério, continuou na colorida e luminosa viagem que é a vida. 
Pelo meio fica um baptizado realizado à pressa, pois as incertezas eram muitas, um menu composto por bifes e batatas fritas regado com preocupações e ansiedades próprias dos jovens casais quando algo com a prole, por menor que seja, não vai bem!

A vida dos bebés é uma seca, berço-mama/mama-berço e criminosamente o nosso cérebro não consegue recordar o acontecido em anos e anos da vida de cada um! Devíamos antes ser formatados como as ovelhas que ao fim de cinco minutos de vida, já circulam pelos campo pela própria pata seguindo a sua progenitora. Falta saber se as mesmas lembram algo dos seus primeiros minutos e anos de vida, as que duram anos!
Se de vida total este nado-vivo já quarenta e um anos viveu, conscientemente, viveu para aí uns trinta e seis! 

Eis a nossa natureza, nada nem ninguém a consegue alterar.

...

À BEIRA DO MAR...

Primeiro pôr-do-sol sacado em Novembro, com vista privilegiada sobre o mar...




Nuvens, rochas, mar!
Águas que em mim vêm bater,
numa ânsia de neles encontrar
tudo aquilo que possa um dia vir a perder!

Oxalá não venha a ser este mar,
o mar do meu desaparecer...
E assim quem sabe, depositar,
por antecipação, lágrimas neste mar a verter!

Console-se por agora a visão
de mais um pôr-do-Sol apreciar
no horizonte da consolação,
vivo, ao ver o Sol, assim estar!

Talvez no futuro doce recordação,
entre nuvens, rochas e à beira do mar!



(do autor Sérgio Moreira)



PORTA ABERTA

Porta aberta, o casal entra e senta-se nas cadeiras da mesa que usualmente escolhe quando ali se dirige para jantar ou mais assiduamente para almoçar...

- Olá boa tarde, como estão?
- Vamos bem, obrigado e consigo?
- Tudo bem, sempre a trabalhar, mas tudo bem! Então que vai ser? Temos arroz-malandro com uns pedacinhos de carne pelo meio e arroz de espigos, uma brincadeira que resolvi experimentar...
- Espigos! Em uníssono!









O paladar dividido entre o picante e o adocicado da suculenta refeição, levou sorrisos aos mesmos lábios que provaram tamanho e delicioso manjar, cozinhado por hábeis e femininas mãos lanhesenses! 

Que a brincadeira se repita por muitas mais vezes!


quinta-feira, 19 de novembro de 2015

A ARANHA E O PINTOR - Soneto.

Acordas assim tão pujante
de vida a fervilhar
minha Lanheses tão brilhante
sob a energia solar!

Paleta de muitas cores
misturadas como húmida teia
em tela, pintada por mil pintores,
salpicos de tinta desta aldeia.

Tal como faz a aranha
assim faz o pintor
uma teia de artimanha
uma tela de esplendor.

A aranha tece a teia para caçar!
O pintor salpica a tela para deslumbrar...


Lanheses, tão verde...


(do autor Sérgio Moreira)



TRINTA DIAS, TRINTA POEMAS! Soneto

Tinta dias, trinta poemas
em breve o vou tentar,
perdido nos meus dilemas
poesia a enfatizar!

Os dramas do pensamento
da vida e suas questões,
da morte e do esquecimento
escrito em pequenos refrões...

Como é bom acordar
decidido, resoluto
e um raio de sol nos bafejar
sentimento bom e absoluto!

Trinta dias, trinta poemas,
pequenos versos, grandes lemas!

(do autor Sérgio Moreira)


O GOSTO POR FALAR DE COISAS AGRADÁVEIS! - Soneto

Gosto de falar de coisas agradáveis
muito gosto de conversar,
sentindo sentidos palpáveis
por isso gosto de viajar.

Explorar o desconhecido
um novo local, conhecer e ver,
algures neste mundo perdido
com outros gosto de aprender.

Aprender até morrer
verdade inalienável 
morrendo de prazer

por o desconhecido conhecer
facto constatável,
tremendo gosto de prazer!

(do autor Sérgio Moreira)




CARTAZ FUTEBOLÍSTICO

Para os eventuais interessados aqui se divulga:




APOIE O CLUBE DA TERRA - UDL LANHESES

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

sábado, 14 de novembro de 2015

NOVEMBRO ATÍPICO - Soneto

Estranho este Novembro
quente e soalheiro, 
desde há anos que não me lembro
de chuva nem lhe sentir o cheiro.

Novembro atípico e colorido
ao contrário do cinzento habitual
o faz assim mais divertido
mesmo que nada natural.

Dos céus muita água já devia
em catadupa ter brotado
inundando a cada dia

a alma de todos um bocado
que bom que assim seria
Novembro todo, tão atípico e debochado!









(do autor Sérgio Moreira)