Páginas

sábado, 21 de janeiro de 2017

O CANTAR DAS JANEIRAS EM LANHESES

Tradição ancestral nas aldeias do interior norte do país até às aldeias do litoral norte, os elementos dos grupos de Janeiras, desde há tempos imemoriais, deixavam o aconchego do lar nas gélidas noite de Janeiro, "armados" com gaitas, bombos e concertinas, de modo a brindarem porta a porta os habitantes das outras moradias da aldeia, com modinhas que cumprimentavam, o senhor e senhora da casa, em tempo de "Reis" anunciando o nascimento de Jesus e deixando votos de bom ano novo, em troca das sobras das festas natalícias; hoje em dia essas sobras foram trocadas por quantias em dinheiro, muitas vezes, para ajuda do realizar de actividade das associações e colectividades locais.

Esta noite passada, a porta da moradia do autor do blogue foi bafejada pelo alegre cantar de um grupo de lanhesenses, que vêm por estas noites cantando as Janeiras pelas casas da aldeia, afectos ao Grupo Folclórico da Casa do Povo de Lanheses, alguns deles bons amigos de quem estas linhas escreve, em troca de ajuda para a colectividade que pelos quatro cantos do mundo tão bem vem representando os usos e costumes desta aldeia.














O autor do blogue deixa-lhes aqui um caloroso abraço, que aqueça humanos corações, porque tem até estado noites inclementemente frias, que os reconforte e lhe dê ânimo para que brilhem e façam brilhar a grandiosa colectividade a que pertencem e vão desenvolvendo trabalho em prol de, o Grupo Folclórico da Casa do Povo de Lanheses!

Bem hajam pela determinação e por não esmorecerem! Tradições há que por bem, não deveriam nunca esmorecer...


sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

A EXTRAORDINÁRIA BELEZA DE UM FINAL DE TARDE

Pá ante pé e o autor do blogue caminha pela margem do Lima, com as águas do mesmo correndo calmas para a sua foz onde se encontrarão com as mesmas águas do imenso Atlântico. Aqui por vezes reina o silêncio, somente cortado pelo som de um qualquer motor, de um não menos qualquer veículo que atravesse a ponte sobre o mesmo rio, ou então, cortado também pelo chilrear da passarada que voa em redor da personagem escanzelada que por ali circula...

Haverá por estas zonas poucos cenários como este, onde ainda se pode mirar a uma paisagem, despejada de casario e seres humanos e onde, por vezes, quando as condições climatéricas assim o permitem, observar um dos mais belos ocasos, que a humano e castanho olhar seja permitido observar.

Aqui nestas paragens, bem próximas da urbe e ao mesmo tempo, se o espírito e a mente o desejarem e disso se abstraírem, bem distantes; aqui se respira calma e aqui a natureza presenteia o mais incauto, ou o mais compenetrado dos observadores, a valsa da natureza atinge proporções dantescas e o espectáculo é passível de ser descrito numa só palavra - extraordinário!
















E assim em horas vagas vá compondo
versos de pura melancolia,
enquanto o Sol se vai pondo
no horizonte de cada dia,
escreve quem esquece a tristeza
e prova de semelhante doçura
entrelaçada por laivos desta beleza
que na alma transborda em ternura!

(do autor Sérgio Moreira)


sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

CERIMÓNIAS FÚNEBRES DE RAMIRO RIO

Nunca o autor do blogue pensou vir a escrever um tópico como este no blogue, no entanto, os acontecimentos ocorridos e a simpatia que nutria por tal pessoa, o obrigam psicologicamente a isso e, neste caso muito particular, o Ramiro, "viajante amigo", bem o merece!


Para todos os interessados, (muito lamentavelmente) aqui se divulga!




Segundo a informação de que o autor do blogue dispõe, o corpo do estimado e amigo Ramiro estará exposto para todos quantos desejem prestar uma última homenagem e acarinhar os familiares que nesta hora bem o devem necessitar, pela manhã de Sábado depois das 10:00h da manhã em câmara ardente na capela da Senhora da Esperança, de onde após, às 15:00h em cortejo fúnebre, partirá rumo à Igreja Paroquial para que se reze missa de corpo presente, seguindo depois para o cemitério paroquial onde o corpo será depositado em sepultura da família.

À família o autor do blogue deixa um tremendo voto de pesar e sentidas condolências pela perda do seu ente querido.

À querida amiga Zélia, irmã deste "bom gigante", muito especialmente, o autor do blogue e sua esposa, deixam carinhoso beijo de modo a confortá-la na sua dor! Se é que tal dor possa alguma vez vir a ser confortada...


Sentidas condolências!


TOMADA DE POSSE DO NOVO MORDOMO DA CRUZ PARA O ANO DE 2017

Enquanto os ponteiros do relógio se vão movendo lentamente, a vida assim vai correndo, assim vai passando e de acordo com este estigma um velho ano ficou para trás e um novo ano começou, precisamente sendo o seu primeiro dia, Domingo!

Ora, segundo a tradição nesta aldeia, (corrijam o autor do blogue se estiver errado) é nesta celebração eucarística que toma posse o novo mordomo da cruz, que irá zelar durante o próximo ano pelo correcto funcionamento e apoio às lides da igreja, com especial relevo na organização e realização da festa da Páscoa, acontecimento sempre importantíssimo no calendário religioso lanhesense.

A passagem de "testemunho" aconteceu efectivamente no dia 01 de Janeiro na celebração da Eucaristia Dominical tendo, Manuel Baptista Franco Rodrigues e Alice Sousa, procedido à passagem da cruz de Cristo para as mãos dos novos mordomos, nas pessoas de José Carlos Leite e Rosa Adília, marcando presença também os antecessores mordomos a Manuel Baptista e Alice Sousa, nomeadamente, Francisco Castro e Maria das Dores.

O autor do blogue não presenciou todo este cerimonial presidido pelo pároco da aldeia Daniel Silva pelos motivos que já muitos conhecem, no entanto, fez questão, por prova de amizade e conhecedor da importância que este ano passado, assumindo as funções de mordomo da cruz, representou para Manuel Baptista, em publicar algumas das fotografias sacadas pelo genro Miguel, muito simpaticamente partilhadas com o autor do blogue, para que este tópico fosse redigido, e a quem o mesmo autor aqui agradece publicamente.


(Todas as fotografias gentilmente cedidas pelo genro de Manuel Baptista, Miguel)

Antecessor e sucessor.











Manuel Baptista no uso da palavra.





O abraço sentido ao Sr. Padre Daniel Silva








Toca a despir a capa branca e passá-la ao novo mordomo!






Uma ajudinha...






Segurar a cruz...



Beijá-la...






E passá-la em mãos...



O mais recente mordomo dá a cruz a beijar ao pároco...






E depois aos demais fiéis e familiares presentes.






O antecessor despede-se.


E o sucessor agarra o testemunho.








Manuel Baptista e o seu antecessor, Francisco Silva.


Descendência...Mariana e Francisco.



Idem...



Pai e filha...



Alice Sousa e o seu "ai Jesus"...Aquele lindo olhinho azul um dia derreterá muito coração feminino (risos)!















Semblante carregado! Sensação de missão cumprida!


José Carlos Leite, investido em novas funções.



A despedida em grande! Pose e personalidade!




Finda a cerimónia, momentos de confraternização!
















José Carlos Leite







O três mordomos. Da esquerda para a direita na fotografia, Francisco Silva,  José Carlos Leite e Manuel Baptista.



Acompanhados pelas esposas, respectivamente da esquerda para a direita Maria das Dores, Rosa Adília e Alice Sousa

Com a filha Mariana e o "netinho" Pedro



Com as filhas Manuela e Mariana e o netinho Pedro



Juntando-se-lhes depois o neto Francisco






O autor do blogue endossa aqui no blogue um efusivo cumprimento ao "amigo Néu", que do seu ponto de vista foi um dos mais marcantes mordomos na recente história da aldeia, não desfazendo muitos outros, claro está. Bem de perto presenciou a dedicação e espírito de sacrifício com que se acometeu o Manuel Baptista no realizar das mais variadas funções que lhe foram atribuídas. Um cumprimento também muito especial à esposa Alice Sousa e filhas Mariana e Manuela pelo total apoio que prestaram ao marido e pai, no realizar das suas funções, testemunhadas variadíssimas vezes pelo autor do blogue e sinónimo incontestável da união que existe entre os membros desta família!

Bem hajam! Sinceros parabéns!

Ao José Carlos, votos de tremendo sucesso no desempenho das novas funções que aceitou e lhe foram atribuídas!