Páginas

segunda-feira, 24 de julho de 2017

FESTAS DE LANHESES - ÚLTIMO GRANDE DIA - DOMINGO - SOLENE PROCISSÃO

Já há anos, que o autor do blogue aproveita aquele que é o cartão de visita da aldeia, o largo da Feira, para ver passar, em desfile, a solene Procissão em honra do Senhor do cruzeiro e das Necessidades e assim, à semelhança de anos passados, no referido largo, menos composto de público é certo, quando comparado com outras passagens, o autor do blogue fotografou aquele que é por muitos considerado como ponto alto desta festa religiosa.

































































































































































































































































































































A Rosa Maria "Afonsa" merece um voto de felicitação pela excelente forma como organizou a procissão!

Deixa-se a Feira e dá-se o saltinho da praxe ao adro da Igreja Paroquial, para se assistir à despedida da fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Ponte da Barca, ao tradicional desfile de mordomia e tabuleiros alusivos aos vários lugares da aldeia para a já célebre, típica e tão castiça arrematação dos mesmos, momento importante para os festeiros e de pleno gozo para membros da comunidade e forasteiros que assistem!





















































Parabéns, todos, sem excepção, elas e eles lindos, mostra do futuro das gentes da aldeia!














































TABULEIROS ALUSIVOS A CADA LUGAR DA ALDEIA!

















































Quem quiser sorria, disponha...


DEPOIS DA ARREMATAÇÃO - "BORA PRÁ TASCA"













Nem o autor do blogue escapou à sua própria objectiva...








O "Chico" depois de uma tremenda ovação de parabéns, em dia de aniversário...



Espectáculo fabuloso da parte da Banda Musical de São Martinho da Gândara levando o povo todo atrás em êxtase! A considerar para a noite de sábado das festas, dada a qualidade, euforia e alegria do repertório apresentado!




O conhecido de muitos, professor "Catarino", ao comando, como maestro, da charanga!









Euforia total...Belo demais!










 BIS, BIS, BIS, BIS...



Pançolas cheias, toca a curtir o conjunto musical e o que resta destas festividades.








Última noite e o cenário era este! Desolador...Onde estava o povo?




Ocorre no pensamento do autor do blogue, alguns apontamentos mentais que transcreve desde já aqui no blogue:

Em primeiro, uma palavra de felicitação à comissão festiva que organizou e muito bem mais uma edição destas festividades, dentro dos moldes habituais, é certo, mas muito bem, no entender de quem estas linhas escreve, aqui fica aos membros da mesma um voto de - Parabéns!

Em segundo, um desabafo. Foi notória a falta de muito do povo que costuma, passe o pleonasmo, "povoar" o recinto festivo e estas foram, ao olhar do autor do blogue, com toda a certeza, sem que números precisos tenha em sua posse, das festas menos participadas pela comunidade lanhesense, quer pelas (incompreensivelmente) frias noites e ventosos dias de Julho que se viveram, quer pela particularidade da data calendarizada dadas as cinco semanas do mês de Julho, facto que ainda afasta da terra natal, por cedo ser, muitos dos emigrantes que vão chegando e, quer por algo mais, no entender do autor do blogue, um passar obrigatório por mudanças drásticas no figurino da festa, de modo a não entediar pessoas e colectividades e a mesma, seja participada, exemplo disso a falta de figurantes da terra que participassem na solene procissão, sendo a organização obrigada a requisitar e aceitar membros de aldeias vizinhas!

Em terceiro e para finalizar, a digníssima comissão festiva, esqueça a contratação das bandas musicais que foram contratadas para a noite de sábado, fraquinhas , fraquinhas, como se afirma na gíria - tipo, caldinho sem sal - embora possam ser elas compostas por elementos perfeitos a manejar o instrumento, e isso o autor do blogue não põem sequer em questão, mas que ali faltava muita alma, faltava, exemplo disso foi nem a despedida ter sido muito participada pelo público presente, como normalmente o é. Veja-se o tremendo espectáculo no Domingo que deu a banda contratada aqui "ao pé de casa"! Fica aqui a dica...

Tomem-na como crítica construtiva!


Até para o ano...