Páginas

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Viana, princesa do Lima e Lanheses de mãos dadas! Emoção...



Viana minha terra amada
que te trago no coração
com Lanheses de mão dada
em mim provocas tamanha emoção!



Assim começa o autor do blogue, a descrever a doce sensação que é a de ter visto em Viana do Castelo, princesa do Lima, Lanheses, esta aldeia que ama, tão bem representada nos vários dias de festividades em honra da Senhora d´Agonia, romaria das romarias, deste cantinho à beira-mar plantado!

Desde logo no desfile de grupos folclóricos, Avenida dos Combatentes da Grande Guerra abaixo, dando graças e mostrando todo o esplendor da cultura tradicional lanhesense, tendo culminado num dos mais falados e aclamados registos destas festas, quando Verónica Silva é pedida em noivado por Bruno Rodrigues, um lanhesense dos quatro costados, perante vasta multidão, surpreendida, refira-se sobre um tremendo e gigantesco coro de aplausos, vivas e assobios! A ambos o autor do blogue deseja a maior das felicidades e um sincero voto de felicitação ao Bruno, por tal ousadia assim como por tal brilhante ideia, sem deixar de lado todo o romantismo, ao momento, inerente.


Viana e Lanheses são Amor!!!


E se no ano que passou, o autor do blogue foi bastante critico quanto ao facto de Lanheses não se fazer representar naquele que é o mais aclamado e grandioso número cultural destas festividades, o cortejo histórico-etnográfico; neste ano que se vive, o autor do blogue afirma peremptoriamente - Muito bem - ao ver esta aldeia, fazer representar-se tão bem com um carro alusivo à representação dos barqueiros do Lima onde não faltaram, no interior da barca, dois russos (porcos), os barqueiros e as mordomas, representação muito bem conseguida daquilo que era o transporte no Lima de antigamente. Antecedidos e precedidos por vários elementos desta comunidade, muitos deles afectos ao grupo folclórico da Casa do Povo de Lanheses, outros não, embora não menos afectos em coração à comunidade a que pertencem!





Fotografias gentilmente cedidas por alguém...


O autor do blogue ficou siderado e maravilhado ao vê-los na curva à direita ao fundo da grande avenida, rumo ao Campo da Agonia, e mais maravilhado ficou ao vê-los passar junto a si.

Tremenda emoção ao ver os seus conterrâneos, alegres, felizes e cantando...


Um tremendo - bem haja - para todos sem excepção, mesmo que o tremendo carro do cântaro não tenha desfilado pelas ruas da princesa do Lima, muito especialmente ao amigo Carvalhido, que, depois de lhe "passarem a bola para as mãos", atitude normal em quem está desprovido de ideias e dinâmica lhe falta, desculpem o desabafo, organizou tão belo quadro, em representação de uma das mais ilustres aldeias deste concelho, Lanheses! 


Recebam todos o abraço caloroso e sorridente do autor do blogue!


quarta-feira, 9 de agosto de 2017

O PRINCÍPIO DE TUDO O QUE VIRÁ POR AÍ...

Poderá um homem velejar contra ventos e marés? Enfrentar tempestades, sulcar ondas colossais, velas enfunadas num céu cinzento de nuvens carregadas cortado por raios e trovões, barca empurrada pelas forças do vento, vento que não se vê, mas que se ouve e que se sente!

Pode! Basta ousar, basta desejar...Mesmo que o porto de abrigo, dificilmente seja alcançado!

Um grito de revolta, num oceano de contrariedades, faz tremer a tempestade, mesmo que as tempestades nunca tremam ou não mostrem tremer; enfuna ainda mais o velame, o barco navega agora à bolina, apanha o vento por estibordo e o navegador, punhos e rosto cerrados, contraria a natureza que muito pouco gosta em ser contrariada...

"O preço a pagar pela sua não participação na política é ser governado por quem é inferior" - Platão - assim é o homem, que teme e não mete a proa à tempestade, não enfuna o velame à fúria dos elementos e não ousa levar a barca a bom porto!

Esta barca vai velejar...



segunda-feira, 7 de agosto de 2017

XXXVIII FESTIVAL FOLCLORE DA CASA DO POVO DE LANHESES



Noite de sábado, ventosa quanto baste, mesmo assim não afastando muitos dos membros da comunidade para assistirem a mais uma edição do afamado e aclamado, festival de folclore organizado pela Casa do Povo de Lanheses.

Há já muitos anos que o autor do blogue não assistia, com alguma tristeza sua, a este acontecimento cultural, um dos mais ricos, em sua opinião, dos variados que acontecem nesta aldeia, quer em termos de diversidade, vejam-se os grupos participantes, alguns vindos de vários pontos do globo terrestre, quer em termos de qualidade, deliciosa a mestria como os elementos destes grupos executam, cantam e elevam as tradições orais e de comunicação do corpo alusivas a cada país, através da voz e da dança. Belíssimo!

Ao contrário do que costuma acontecer, trocou-se nesta edição o frondoso pátio do paço dos Condes d´Almada, cenário de espectacularidade fenomenal, pelo adro da Igreja Paroquial, com cenário montado por alguns dos elementos do grupo folclórico da terra, tendo a preciosa ajuda também, de outros membros da comunidade, numa alusão e representação figurada do brasão da aldeia, desculpem o alerta que se segue, pelo menos aqueles mais distraídos, mas faltou o pelourinho sito no jardim do paço de Lanheses, que figura no já referido brasão, juntamente com o cruzeiro!

Perante uma plateia muito bem composta, onde não faltaram, entidades oficiais, com meia-hora de atraso, face às 21:00 horas anunciadas em cartaz e após um desfile de grupos, que não parecia um desfile, mais um amontoado de peregrinos a caminho da serra d´Arga, facto a corrigir,  o espectáculo cultural começava e de maneira estonteante, com o primeiro dos oito grupos folclóricos anunciados no cartaz sob uma tremenda ventoínha de vento fresco vinda do céu!

















A beleza do traje minhoto...


BERNG E-SARN BAND DE RAJABHAT MAHASARAKHAM UNIVERSITY - TAILÂNDIA















































GRUPO FOLCLÓRICO "OS PESCADORES DE TANCOS" - VILA NOVA DA BARQUINHA































FOLKLORE ENSEMBLE HORNÁD - KOSICE - ESLOVÁQUIA

























































































GRUPO FOLCLÓRICO DA CASA DO POVO DE VÁLEGA - OVAR














































RANCHO FOLCLÓRICO DE SÃO MIGUEL-O-ANJO - VILA NOVA DE FAMALICÃO






















ASOCIACIÓN FOLKLÓRICA ESTAMPAS NORTEÑAS - ARGENTINA

































































































BALLET FOLKLÓRICO DEL BIO BIO (BAFOBIOBIO) - CHILE






























































































GRUPO ANFITRIÃO - GRUPO FOLCLÓRICO DA CASA DO POVO DE LANHESES











































PALAVRAS DA ORGANIZAÇÃO E MOMENTOS DE HOMENAGEM



























HORA DA DANÇA...RIQUEZA VISUAL!









































































Ó comadre...




























NO FIM O - VIRA GERAL!







O autor do blogue endossa daqui um voto de felicitação pela organização e forma como foi apresentado esta espectáculo cultural, a todos os elementos e direcção do grupo folclórico da Casa do Povo de Lanheses, que uma vez mais, não deixou os seus créditos por mãos alheios e presenteou a comunidade lanhesense com tremendo festival de luz, cor e som!


Até para o ano!


P.S. - A postagem de imagens não segue obrigatóriamente o alinhamento de grupos, pormenor técnico da parte do blogger ao qual o autor do blogue é alheio! Obrigado.